Translate

Google Translate
Arabic Korean Japanese Chinese Simplified Russian Portuguese
English French German Spain Italian Dutch

Quem sou eu

Minha foto

Pesquisadora nas áreas de sustentabilidade e saúde da habitação. Tem como objetivo projetar e prestar consultoria a clientes com interesse na busca pelo Viver Saudável, uma interação equilibrada entre meio ambiente, pessoas  e o Lar em que habitam.

Fale Conosco

- Deixe seu comentário ou envie um e-mail: celinalago@hotmail.com
- Se desejar receber as novidades do site seja um seguidor que o envio é automático.
- A sua participação é muito importante. Só assim, unidos conseguiremos reverter o processo de destruição planetária pelo qual estamos passando e encontrar um equilíbrio saudável.

Muita Luz e Amor,

Celina Lago

30 de jul de 2011

Roupa feita com leite é de longa vida

Ok, o trocadilho do título não foi tão criativo quanto a ideia da alemã Anke Domaske, de 28 anos, que criou roupas feitas com leite! Entenda o que faz esse tecido ser melhor que a seda.
As roupas são feitas com leite azedo, então ninguém vai ficar sem leite para priorizarem a criação do tecido. Mais do que isso, ele causa menos impacto ambiental do que a seda, já que não precisa de pesticidas e outros materiais químicos. Na composição do tecido existe apenas um item: Leite.
A equipe alemã conseguiu transformar o leite azedo em algo parecido com um fio. Para chegar nisso eles precisaram retirar toda parte líquida do leite, junto com as proteínas e aí sim moem tudo o que ficou para dar origem aos fios. Sobre a qualidade em comparação com a seda, a criadora tem a falar sobre:
" O leite é sempre preterido porque as pessoas apenas o enxergam como uma comida. Mas você pode fazer muito mais com ele — o leite é um material natural, puro e muito belo. O detalhes especial do leite é que ele tem um toque realmente sedoso. O tecido veste perfeitamente, e é mais barato do que seda."
Os primeiros vestidos serão comercializados pelo valor integral de US$290, mas podem sofrer baixas no preço conforme as compras aumentam.
Fonte: Eco4planet