Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2014

Para economizar espaço, escola chinesa ganha pista de atletismo no telhado

A pista é ideal para que as crianças se divirtam e pratiquem esportes. Espaço é um problema comum às grandes cidades em todo o mundo, na China não seria diferente. No entanto, o escritório de arquitetura Lycs deu um jeito nisso e conseguiu incluir uma pista de atletismo sem ocupar um espaço extra. A solução encontrada foi desenvolver a área esportiva na própria cobertura da escola primária de Tian Tai. Ao invés de ter um telhado, a construção ganhou 200 metros de pistas vermelhas, ideais para que as crianças possam se divertir e iniciar no esporte. Foto: Divulgação De acordo com o escritório, o projeto se esforçou para proporcionar um ambiente bonito para o cultivo do conhecimento, cultura, aptidão física, arte e ética para crianças do ensino fundamental. Caso fosse construída no chão, a pista ocuparia 40% da área da escola, o que tornaria os outros espaços muito menores. Com a estrutura no telhado, a escola ganhou, em média, três mil metros quadrados de área útil.

Modificando As Cidades: Os Parklets Mais Criativos Do Mundo

Você já ouviu falar no termo “parklet” por aí? Esse é um termo que vem ficando cada vez mais comum no Brasil e se ainda não ouviu falar, ainda ouvirá muito. Os parklets são intervenções urbanas que propõe uma solução prática para um dos maiores problemas que vivemos atualmente em grande parte do país e do mundo: As cidades pensadas para carros e não para pessoas. A nova tendência que veio para ficar consiste em promover a utilização de espaços públicos antes utilizados para estacionamento de veículos como áreas de convivência, lazer e socialização. As instalações geralmente são simples e podem ser feitas com diversos tipos de materiais como madeira, grama, pallets, objetos reaproveitados entre outros. A intenção é transformar através de pequenas mudanças, a dinâmica das cidades e com os desdobramentos dessa nova atitude, melhorar a qualidade de vida da sociedade que acabou desaprendendo a utilizar adequadamente os espaços públicos. Literalmente estacionados nas beiras de calça

Modelo de Sustentabilidade na Arquitetura: Real Goods Solar Living Center

O trabalho do arquiteto Sim Van Der Ryn é notável na área da sustentabilidade. Segundo seu portifólio, ele segue o princípio do Design for Life, ou seja, “desenho para a vida“, projetos feitos para valorizar a vida, inspirados na natureza, nos seus processos e ciclos e formas. O projeto Real Goods Solar Living Center é um dos maiores modelos de sustentabilidade aplicada à arquitetura. Está localizado na Califórnia, EUA e foi projetado em 1996. Seus princípios de arquitetura sustentável são: - projeto bioclimático; - paisagismo sustentável com criação de espécies orgânicas; - autonomia de energia; - uso de água de chuva; - materiais de baixo impacto, como a terra estabilizada (paredes em taipa). A forma do complexo construído partiu do formato da espiral áurea, que é uma espiral logarítmica com um valor específico para o fator de crescimento. Este padrão é muito encontrado na natureza e para muitos estudiosos, é uma proporção pela qual identificamos a harmon

MINI MORADIAS ECOLÓGICAS

Por que complicar as coisas, se nossa vida pode ser simplificada? A empresa Canadense Sustain Design Studio é especializada em fazer mini casas sustentáveis, que podem ser até carregadas para outros lugares ou receber mais cômodos caso a família cresça. São módulos de moradia, alguns feitos com conteiners. Os módulos são sustentáveis pois possuem brises, paredes isolantes e telhado verde para conforto térmico, possuem sistema de tratamento de esgoto, espaço para pequena horta e compostagem e uso de materiais atóxicos nos acabamentos: Tudo o que você precisa para uma casa está neste modelo de casa conteiner da Port-a-Bach : Conheça também a pequena Eco Shed: De Ric Frankland, a mini eco casa chamada Dwelle : Fonte: Ecodhome

Tecnologia recicla água cinza e produz calor para aquecer água limpa

O sistema Nexus eWater foi desenvolvido com o intuito de reduzir o desperdício de água e energia. A tecnologia recicla a água cinza, ao mesmo tempo em que aproveita o calor desta água residual para aquecer a água limpa novamente. O aparelho, criado nos Estados Unidos, foi projetado principalmente para o uso residencial, sendo acessível e pequeno, capaz de ser armazenado dentro da própria casa. De acordo com os fabricantes, o Nexus eWater ajuda a reduzir o consumo de água em 34% e a produção de esgoto em 70%, ao mesmo tempo em que disponibiliza água quente gastando 75% menos energia. Foto: Divulgação O sistema funciona de forma diferente de outras tecnologias de aproveitamento do calor. Ao ser instalado próximo às áreas onde ocorre o consumo de água quente, como o chuveiro, pias e máquinas de lavar, um tanque armazena a água residual, que é purificada, e uma bomba de calor armazena o potencial para o aquecimento de água limpa. Foto: Divulgação A capacidade

Edifício construído em São Paulo reduz consumo de água potável em 94%

Outro ponto de destaque deste projeto é que nenhuma árvore foi removida do terreno. O EcoCommercial Building (ECB), edifício que utiliza mais de 20 tecnologias para construções sustentáveis baseadas em matérias-primas produzidas pela Bayer MaterialScience, acaba de receber a certificação LEED-NC Platinum do U.S. Green Building Council, que reconhece as melhores estratégias e práticas sustentáveis. Este é o sexto prédio deste tipo construído pela Bayer no mundo que, além de suas matérias-primas, contou com soluções em sustentabilidade de mais 13 empresas parceiras que atuam no país. “Estamos muito orgulhosos com este reconhecimento. Soluções como o ECB são muito importantes, pois considerando as megatendências previstas para as próximas décadas - como a escassez de energia - edifícios como este podem se tornar soluções de médio a longo prazo, já que são capazes de gerar toda sua energia e reduzir em até 80% o consumo”, reforça Fernando Resende, gerente do Programa EcoComm

Lixo produzido em Universidade da Califórnia vira energia para campus

Microrganismos em grandes tanques sem oxigênio consomem o lixo orgânico produzido no próprio campus. A principal área de pesquisa de Ruihong Zhang, professora no Departamento de Engenharia Biológica e Agrícola da University of California, Davis, tenta resolver de uma só vez dois importantes problemas na atualidade: a falta de energia e o excesso de lixo. Ruihong e os cientistas do grupo que coordena estudam o uso de bactérias para transformar lixo orgânico – principalmente sobras de alimentos – em energia. Ela pesquisa o tema há quase 20 anos em busca de solução para uma questão que se resume em “como transformar o máximo possível de lixo orgânico em energia renovável”. A pesquisa deixou de ser básica para ser aplicada quando, em abril deste ano, a UC Davis inaugurou uma usina de biodigestão de lixo a partir da pesquisa de Zhang. A usina ganhou o nome de Digestor Anaeróbico de Energia Renovável da UC Davis – ou simplesmente Read, na sigla em inglês. O custo foi de US$ 8,

Japão termina construção de cidade inteligente e sustentável

A prioridade é a consciência energética e ecológica. A “cidade do futuro” já é realidade, pelo menos, no Japão. Na última semana o projeto da Fujisawa Sustainable Smart Town teve a fase de construção concluída. A Panasonic, responsável pelo complexo, trabalha agora nos últimos detalhes e na venda das residências. Foto: Divulgação A construção da cidade, na Província de Kanagawa, situada cerca de 50 km a oeste de Tóquio, faz parte de um projeto de recuperação de áreas devastadas pelo terremoto e tsunami realizado pela Panasonic com mais oito empresas parceiras. A prioridade na “Cidade Inteligente e Sustentável de Fujisawa” é a consciência energética e ecológica. Foto: Divulgação A iniciativa pretende demonstrar que saber articular tecnologias diversas ajuda na construção de uma cidade verde. Em consequência, isso contribui para que estas construções sejam mais valorizadas. Foto: Divulgação As casas já possuem painéis solares embutidos, que fornecem e