Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2011

Tinta solar transforma luz do sol em energia elétrica

A tecnologia para se produzir uma tinta com capacidade de célula solar, ou seja, uma tinta que, colocada sobre materiais específicos, seja capaz de gerar eletricidade, já existe. Por mais ficção científica que isso possa parecer, aplicar um conjunto de quatro tintas distintas (e com propriedades específicas) sobre uma placa de metal é uma alternativa para aquelas grandes e pesadas placas solares que usamos hoje. Essa tecnologia, porém, possui alguns problemas. A durabilidade de uma placa de metal dessas pode ser questionada – ainda que uma das camadas de tinta seja uma “protetora”. Por enquanto, não existe um método para se reaplicar a tinta após a manufatura dessas placas. O maior problema, entretanto, é o alto custo de uma tecnologia como essa. Para a questão financeira, alguns pesquisadores da Universidade de Notre Dame, nos Estados Unidos, dizem ter uma solução. Segundo os cientistas, eles conseguiram “um grande avanço” para a produção de tinta barata. Usando nano-partícula

Projeto de lei em Beirute transforma tetos em jardins

A cidade de Beirute, no Líbano, pode ser a primeira no mundo a ter a obrigadoriedade de plantar jardins nos tetos de seus prédios. A capital, que é uma verdadeira selva de concreto, possui apenas 0,8 metro quadrado de espaço verde por pessoa, bem abaixo da recomendação da Organização Mundial de Saúde, de 12 metros quadrados por pessoa. Um decreto municipal requisitando que cada construção tenha seu próprio jardim de telhado, algo com algumas árvores e plantas em um espaço físico, seria uma solução imediata e rápida para a questão ambiental da cidade. Os tetos podem abrigar também plantas que crescem bem na região, como oliveiras, plantas de pimenta e outras que seriam úteis para a população. Os jardins poderiam servir de complemento às compras de alimentos dos moradores, e também ajudariam a limpar o ar da cidade e diminuir a temperatura da sua ilha de calor. Arquitetos da região defendem que até os muros da cidade podem ser utilizados para crescimento de áreas verdes. As “

Tênis converte seus passos em energia para dispositivos eletrônicos

Usar os movimentos cotidianos do corpo humano para abastecer eletrônicos não é uma ideia nova, mas até agora basicamente não saiu do papel. Uma das formas mais promissoras é usar nossos passos através do peso exercido sobre o calçado a cada pisada. Depois do  estudo da Universidade de Princeton , agora é a vez da Universidade de Wisconsin desenvolver um protótipo. Chamado de InStep Nanopower, o calçado teria uma sola especial com duas bexigas de plástico (uma no calcanhar e outra na altura dos dedos), conectadas entre si (imagem acima). A cada passo dado, o impacto carrega os eletrodos do metal líquido que está nas bexigas, criando assim uma corrente elétrica. Mais pisadas geram mais energia e vão se armazenando na bateria, também na sola do calçado. Basta conectar então algum dispositivo eletrônico através da porta micro-USB para transferir a carga, como um player de música ou celular. Corredores com seus fones de ouvido vão adorar isso. Os criadores Tom Krupenkin e J. Ash

Residencial Sayab, de Luis De Garrido

Um marco da sustentabilidade em Cali Foto aérea do resultado final (crédito: Divulgação) Veja a galeria O complexo residêncial Sayab foi escolhido como o mais sustentável da Colômbia, tendo recebido a Medalha de Ouro de responsabilidade ambiental. Recentemente ele foi eleito, também, como a melhor referência em arquitetura residencial sustentável nas Américas. O prêmio foi outorgado pela prestigiosa Fundação América Sustentável, o que faz do Sayab uma referência internacional em arquitetura sustentável e habitação social. O ambicioso empreendimento foi projetado pelo renomado arquiteto Luis de Garrido, uma das maiores referências internacionais em arquitetura sustentável, e construído pela IC Pré-Fabricados. O prêmio foi concedido devido às características únicas do conjunto, cujos objetivos estão resumidos em seu próprio nome: Sayab significa "fonte natural de vida", em dialeto maia. As principais características do Sayab são : - Alto nível de s

Feliz Ano Novo

Desejo a todos que participaram de alguma maneira desse blog, um ano repleto de mudanças positivas, viagens, mais esperanças, e liberdade de expressão. Que cada um possa se conscientizar das mudanças necessárias para uma vida melhor. Ano 2012 - vibração da energia do número 5 - que significa tudo que escrevi acima em seu lado positivo. No negativo não interessa, pois cada vez mais, devemos focar no lado positivo da vida, e o negativo, deixamos de lado, buscando sempre mudar nossos pensamentos e atitudes, assim estaremos vibrando de maneira a fluir positivamente nessa energia de crescimento e mudanças! Muita Luz e Amor a todos! Celina Lago

Wildpoldsried, pequena cidade alemã, é campeã em energias renováveis

Solar, eólica, hidrelétrica e biomassa rendem US$ 5,7 mi por ano Cidade gera 320% mais energia do que consome (crédito: Divulgação) Veja a galeria Enquanto o governo alemão mostra a intenção de encerrar as atividades de suas usinas nucleares, por pressão do incidente em Fukushima, e anuncia a construção de cerca de 4.500 quilômetros de linhas de transmissão para as novas fontes de energia renovável, um pequeno vilarejo vive a experiência de produzir energia 321% além da que necessita.  A pequena Wildpoldsried, localidade agrícola no estado da Baviera, está faturando anualmente perto de US$ 5,7 milhões com energia renovável. Parte da energia vem das turbinas eólicas (crédito: Divulgação) Veja a galeria Não é nenhuma surpresa que o país que, ano após ano, pouca importância conferiu à competição Decathlon Solar  (para produzir balanço positivo de energia através de casas solares), seja o lar de uma aldeia tão eficiente em termos energéticos. A iniciativa verde

Pi, a casa do futuro

Projeto será apresentado no Decathlon Solar 2012 Projeto deverá gerar mais energia do que a que consome (crédito: Divulgação) O Grupo de Energia e Construção da Universidade de Zaragoza, Espanha, está projetando um protótipo de habitação sustentável que produz mais energia do que consome, além de não gerar resíduos.  A Casa Pi, como vem sendo chamada, será exibida na Decathlon Solar 2012, uma competição internacional em que as universidades projetam e constroem casas autossuficientes em energia. O grupo é dirigido pelo Professor José Antonio Turégano, especialista em projetos de habitações e bairros bioclimáticos, e coordenado pelo doutorando Alejandro del Amo, que concentra seus estudos na área de energias renováveis e sua aplicação residencial. Ambos pertencem ao Grupo de Energia e Construção e têm a colaboração de uma equipe multidisciplinar de arquitetos, engenheiros, biólogos, químicos e designers da Universidade de Zaragoza, cada qual contribuindo dentro de sua áre

Parque Olímpico

Vista geral do projeto (crédito: Divulgação) Em 19 de agosto, foi divulgado o projeto vencedor do Concurso Internacional para o Plano Geral Urbanístico do Parque Olímpico Rio 2016, coordenado pela Empresa Olímpica Municipal em parceria com o Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB). Desenvolvido pela consultoria inglesa AECOM, o projeto define como serão ocupados os espaços públicos, praças e parques, além da disposição das instalações permanentes e temporárias e dos futuros empreendimentos imobiliários a serem construídos na área. Neste primeiro momento, o plano é conceitual. Seu detalhamento será feito ao longo dos próximos meses pela AECOM em conjunto com os entes envolvidos na construção do parque. Segundo o IAB, o projeto vencedor se destacou para a comissão julgadora “por conta do conceito de operação, o acesso separado para atletas e público, a logística do sistema de transportes, a viabilidade de execução e uma via exclusiva para estacionamento. Já no legado que o pro

Comércio já pode ter iluminação 100% LED

Economia de energia pode chegar a 90%, em relação às lâmpadas incandescentes Por:  Por: Marcos de Oliveira Santos Se há pouco o uso dos LEDs em larga escala era um sonho, hoje o uso desta tecnologia é uma realidade. Segundo dados da Abilux (Associação Brasileira da Indústria da Iluminação), estima-se que o mercado dos diodos emissores de luz cresça entre 20% e 30% todo ano. Especificamente com relação a iluminação comercial, seu uso deve aumentar 30% este ano, como calcula pesquisa realizada pela Groom Energy e a Greentech Media Research. Este crescimento se deve, muito, por conta das novas tecnologias que a cada momento são desenvolvidas e disponibilizadas no mercado. Para se ter uma ideia, há pouco menos de dois anos, os LEDs para uso comercial poderiam ser utilizados apenas como forma de decoração e meios de sinalização, já que os produtos com esta tecnologia ainda não haviam avançados o suficiente para suprir outras necessidades. Entretanto, hoje, já é possível usá-los e

Fontes alternativas na climatização

Energia solar, geotermia e biomassa ganham mercado Eco Hotel Pousada do Parque: uso de energia solar térmica (crédito: Divulgação Eco Hotel) Por:Ana Paula Basile Pinheiro Fontes renováveis e abundantes de energia ganham mercado nas ações para conter o aquecimento global. A América Latina foi em 2010 a segunda região do mundo que mais investiu no setor das energias renováveis, com aumento de 39% com relação ao ano anterior, segundo um relatório da Organização das Nações Unidas. O Brasil ocupa um lugar de destaque no cenário mundial no uso de fontesrenováveis de energia. De acordo com os dados do Boletim de Economia e Política Internacional do  IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada)  46% da energia consumida no país vem de fontes renováveis.  Ainda segundo o IPEA, o país só alcançou este estágio graças à produção de eletricidade por hidrelétricas, que corresponde a 15% do total de energia renovável, uso de lenha e carvão vegetal (comum nas termelétricas) com 12%