Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2015

Compartilhando espaço: como dois casais conseguem viver e trabalhar em 65 m²

Devido ao uso inteligente, espaço é otimizado para atender quatro pessoas Os escritórios de arquitetura P10 Studio e Miel Architects foram os responsáveis pela transformação de um apartamento de 65 m², localizado em Barcelona, Espanha, em um local de moradia e home office destinado para até quatro pessoas. A equipe readequou o apartamento, extraindo o máximo de espaço para dois casais, sem sacrificar aspectos como privacidade e conforto. A premissa do projeto foi pensar quais espaços poderiam ser compartilhados e quais não. Durante o dia, cada habitante pode circular à vontade, sem bloquear a luz natural entre os ambientes. De noite, cada um pode se isolar em seu espaço privado deslizando as portas acústicas que dividem os cômodos. A planta retangular foi dividida entre espaços comuns localizados no centro e áreas privadas nas extremidades, assim foi possível organizar o apartamento para proporcionar uma vida compartilhada na medida certa - ou, como diriam os des

Primeiro jardim vertical do Minhocão fica pronto em setembro

Novo projeto possibilita a instalação de vários jardins no centro de São Paulo. Sete condomínios estão sob análise Imagem: Movimento 90º Até o dia 5 de setembro, um prédio vizinho ao Elevado Costa e Silva, popularmente conhecido como Minhocão, deverá ganhar o primeiro jardim vertical permanente autorizado pela Prefeitura de São Paulo. A estrutura, que começou a ser montada no dia 4 de julho, teve seu projeto aprovado pela Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente no mesmo mês. O jardim será instalado em uma empena cega (paredes lisas e externas a edifícios, sem abertura à iluminação, à ventilação e à insolação) de 302 metros quadrados do Condomínio Edifício Huds, localizado na Rua Helvétia, 965. A Prefeitura analisa o pedido de instalação em outros sete prédios da região. A iniciativa agrega benefícios não só paisagísticos, mas principalmente ambientais, já que com as plantas, a poluição do entorno é também reduzida. Os jardins e os telhados verdes, como são conhecidas

Desapego material e economia estimulam adesão às microcasas móveis

Estilo de vida conquista quem procura por um modelo de vida menos consumista, mais simples e sustentável Foto: Tiny House, Giant Journey Já pensou como seria se você pudesse mudar de cidade e continuar morando na mesma casa? A geógrafa Lee Pera, de 37 anos, vive hoje esse tipo de experiência, segundo relatou a BBC . Ela integra o movimento das microcasas, que conquista cada vez muitos adeptos nos Estados Unidos. As construções possuem até 37 metros quadrados e, devido a leis que proíbem que casas muito pequenas sejam construídas em algumas cidades, essas residências são, muitas vezes, edificadas sobre rodas, tornando-se móveis e toleradas em mais regiões. O movimento, que entrou em ascensão durante a crise econômica em 2008, que afetou consideravelmente o setor imobiliário, reacende hoje com novos critérios: pessoas que não querem gastar todo o seu dinheiro com aluguéis ou investir em imóveis gigantes, como também aqueles que procuram por um modelo de vida menos consum

Casa sustentável é construída em menos de três horas

Casa montada no CTU servirá como teste para o sistema construtivo O Centro de Tecnologia e Urbanismo (CTU) abriga uma casa de 43 m² com dois quartos, sala, cozinha e banheiro que foi erguida com tecnologia alemã de construção a seco, chamada de woodframe. A execução da obra foi realizada em três horas nesta sexta-feira (1/11). A iniciativa atraiu dezenas de pessoas que acompanharam a montagem da casa etapa a etapa. A estrutura da edificação é de placas em OSB. São madeiras que depois de coladas adquirem alta resistência mecânica. Após a conclusão da fundação, ou radier, as paredes foram coladas uma a uma por guindaste, e por último o telhado foi fixado. A casa será finalizada na próxima segunda-feira, com a colocação das telhas, portas e janelas, acabamento interno de placas de gesso acartonado, pias e louças sanitárias.   Primeira parede é colada na fundação Além da rapidez e agilidade, outra vantagem da moradia é o baixo custo. A edificação também é um exemplo de cons

Brasil alcança marca de 41 mil unidades residenciais certificadas Aqua-HQE

Bairro Ilha Pura abrigará os atletas olímpicos e paralímpicos em 2016 Foto: Divulgação Morar em residências sustentáveis que proporcionam conforto e economia ao usuário aos poucos vem se tornando comum aos brasileiros. O país está entre os quatro primeiros do mundo no número de construções ambientalmente corretas no mundo e alcançou recentemente a expressiva marca de 41 mil unidades residenciais certificadas Aqua-HQE - selo de sustentabilidade internacional, de origem francesa, aplicado no país pela Fundação Vanzolini. Pelo incentivo às praticas da sustentabilidade na construção civil o Aqua-HQE acaba de conquistar o 14º Prêmio Marketing Best Sustentabilidade e segundo Manuel Martins, coordenador executivo da certificação, “o modelo de avaliação representa uma mudança de paradigma que requer planejamento e controle pelo empreendedor e estimula a ideia de consumo consciente entre a população”. Segundo ele, “as crises hídrica e energética vividas pelo país, também são fatores impo

Estrada que carrega carros elétricos está em teste no Reino Unido

Imagens:  Bored Panda Enquanto o Brasil possui atualmente apenas cerca de três mil veículos elétricos em circulação (0,04% da frota mundial), segundo dados da Associação Brasileira do Veículo Elétrico (ABVE), esses automóveis menos poluentes são cada vez mais comuns em países como Japão, Estados Unidos e Reino Unido. O problema é que recarregar as baterias dos carros elétricos ainda é um problema, primeiro porque as estações de recarga muitas vezes estão muito distantes umas das outras e, além disso, esses veículos demandam algum tempo para serem recarregados. Ao pensar nesses fatores, a organização  Highways England  se propôs a implementar uma tecnologia capaz de permitir que usuários de carros elétricos não precisem parar para abastecer os veículos. Para que o sistema funcione, os automóveis seriam equipados com sistema wireless e poderiam trafegar em estradas especiais. Nestas áreas, haverá fios elétricos enterrados sob a estrada gerando campos eletromagnéticos q

Asfalto pode dar lugar a plástico reciclado nas ruas da Holanda

Entre as vantagens prometidas estão menos manutenção e até três vezes mais durabilidade Imagens: Divulgação/VolkerWessels Benefícios como maior durabilidade, eficiência e menos tempo de manutenção - e consequentemente menos obras e engarrafamentos - têm feito com que a Holanda estude, atualmente, substituir o asfalto de suas ruas e avenidas por plástico reciclado. Batizado de PlasticRoad, o modelo desenvolvido por uma subdivisão da empresa holandesa VolkerWessels, utiliza apenas material reciclado como matéria-prima para a produção das seções da estrada, que podem ser pré-fabricadas. A empresa garante que o material aguenta temperaturas mais elevadas, resistindo a um calor de até 80°C. A cidade de Roterdã já se mostrou interessada e disponibilizou uma espécie de laboratório para que a PlasticRoad seja testada Entre as vantagens prometidas estão menos manutenção e até três vezes mais durabilidade, o que significa menos obras e, consequentemente, menos engarrafamen