Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2011

A telha solar Solé Power Tile

Imagem: srs energy Ser ecologicamente sustentável sem comprometer a estética do edifício. Este é o compromisso da SRS Energy com a Solé Power Tile . Uma telha que actua como painel fotovoltaico, gerando energia para a casa.   Estas telhas têm o aspecto e tamanho das telhas comuns, mantendo assim o telhado a mesma estética. A sua eficiência é apenas de 8% a 20%, bastante menor do que a dos painéis fotovoltaticos normais, mas é capaz de gerar 860 kw/h ao ano por cada 10 m2 de telhas. O custo inicial é alto, até porque esta é ainda uma tecnologia nova, mas de gerar retorno do investimento rapidamente, para além de manter os telhados das casas com o seu aspecto tradicional.  Fonte: Ecoblogs

Os carros elétricos que nós amamos estão cada vez mais próximos

Durante muito tempo nós ouvíamos que “o carro elétrico é o futuro”. Mas esse futuro era sempre distante, pois nenhuma fabricante parecia querer bancar a ideia. Mas esse ano as maiores fabricantes mostraram seus projetos de carros elétricos no maior evento dessa indústria: O Salão de Detroit. O salão sempre foi conhecido por mostrar para o mundo os Muscle Cars, grandes queimadores de combustível. Este ano, porém, ele mostra que o principal mercado consumidor de automóveis do mundo está pensando no futuro e quer que os veículos elétricos e híbridos cheguem o mais rápido possível pra  mudar os velhos hábitos fumacentos. Dentre as empresas que anunciaram os projetos de híbridos ou elétricos estão a Porsche com dois modelos, Volkswagen que confirmou uma família de carros elétricos “UP” para 2013, Toyota com um modelo atualizado do Prius (híbrido já disponível no mercado japonês desde 1997 e no mundo desde 2001) e o Compacto C, a Volvo com seu C30 elétrico, a GM com o Volt (eleito o carro d

Exposição de Arquitetura prevê um futuro urbano sustentável

  Nossa  cautelosa ignorância  sobre alguns sinais   muito  chocantes  de nossa  terrível existência   na   Terra ,   ou seja,   o aquecimento   global , mudanças   climáticas,   superpopulação e   as emissões de gases poluentes ,   agora  demandam por  uma   solução  adequada .   Assim ,   os mais importantes arquitetos   do   mundo   se juntaram   no centro  de Arquitetura  do   AIA - NY, para   explorar   as possibilidades   de   sair   do atoleiro .   Esperando  que  sugiram  a criação de projetos de  melhores cidades através de melhor   transporte ,   estão participando de   uma nova exposição intitulada  “ Our Cities Ourselves: The Future of Transportation in Urban Life ”   -“ Nossa   Cidades   Nós Mesmos:   O Futuro   do   Transporte  na  Vida Urbana” . Como   colocaram  como centro das atenções o transporte ,   eles olham   para a frente   para   criar   um   futuro  urbano viável . Com   visões   diferentes   de   dez culturas   urbanas :   Ahmedabad , Budapeste,   BuenosAi

Infraestrutura Verde

      Foto:  Port Lands Estuary: Reinventing the Don River as      an Agent of Urbanism, Toronto, Ontario, Canada.      Michael Van Valkenburgh Associates, Inc. Com o   rápido crescimento da população   global   e   aumento da densidade   urbana e suburbana,  existe menos locais com  espaços verdes .   No entanto ,   uma maior integração   de diferentes tipos de   espaços verdes ,   ou infra-estrutura verde, no ambiente   construído, está   se tornando   uma prioridade . Infra-estrutura   verde   pode   ser   considerado   um   marco conceitual   para a compreensão de que   " a natureza   oferece   serviços valiosos   para o ambiente   humano ".  Num  nível   nacional ou regional,   redes interconectadas de   sistemas de parques   e   corredores de fauna preservam   a função   ecológica   e   criam   um equilíbrio entre o   ambiente construído e o natural .  Num  nível   urbano ,   parques   e   arborização urbana   são fundamentais para a redução dos custos de   utilizaçã

Paredes comestíveis fazem sucesso

`Por  KEN BELSON Publicado no NYTimes em 18 de Novembro de 2009  Foto:  Marilynn K. Yee/The New York Times  O New York Times relata que algumas empresas da área de construção estão se movendo para o nascente, para o crescente mercado das paredes verdes. No caso da empresa Barthelmes, ela está produzindo painéis verticais de metal que podem ser preenchidos com terra e sementes. Paredes verdes possuem benefícios semelhantes aos telhados verdes. "Assim como os telhados verdes, as paredes incluem uma espessa camada de vegetação do lado de fora dos edifícios para proporcionar isolamento e reduzir os custos de aquecimento e  electricidade." De fato, a revista Time lista as paredes verdes como sendo uma das 50 melhores invenções do ano de 2009, e citou como exemplo,  a história das paredes projetadas por Patrick Blanc, nos oito andares do Hotel Athenaeum , em Londres. As paredes verdes também podem ser usadas para produzir alimentos em áreas urbanas densas. Usando menos espaço, p

POSTE DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA 100% ALIMENTADO POR ENERGIA EÓLICA E SOLAR

Cem por cento limpeza Por GEVAN OLIVEIRA Empresário cearense desenvolve o primeiro poste de iluminação pública 100% alimentado por energia eólica e solar. Não tem mais volta. As tecnologias limpas – aquelas que não queimam combustível fóssil – serão o futuro do planeta quando o assunto for geração de energia elétrica. E, nessa onda, a produção eólica e solar sai na frente, representando importantes fatias na matriz energética de vários países europeus, como Espanha, Alemanha e Portugal, além dos Estados Unidos. Também está na dianteira quem conseguiu vislumbrar essa realidade, quando havia apenas teorias, e preparou-se para produzir energia sem agredir o meio ambiente. No Ceará, um dos locais no mundo com maior potencial energético (limpo), um ‘cabeça chata’ pretende mostrar que o estado, além de abençoado pela natureza, é capaz de desenvolver tecnologia de ponta. O professor Pardal cearense é o engenheiro mecânico Fernandes Ximenes, proprietário da Gram-Eollic, empresa que

Como funcionam os edifícios ecológicos

Introdução Talvez  Caco, o Sapo  estivesse errado e ser verde possa ser fácil - pelo menos no que diz respeito às edificações. Ralph Orlowski/Getty Images Essa edificação na Alemanha foi deixada mais "ecológica" por meio de janelas térmicas e sistemas de isolamento, entre outras coisas "Construção ecológica" e "desenvolvimento sustentável" são os termos mais quentes do setor de construção no momento, mas o que querem dizer, exatamente? De acordo com o site da  Agência de Proteção Ambiental - EPA (em inglês) norte-americana, a construção ecológica é "a prática de criar modelos mais saudáveis e de aproveitamento mais eficiente dos recursos na construção, reforma, operação, manutenção e demolição de edificações" [fonte:  EPA  (em inglês)]. Os proponentes dizem que a construção ecológica é, não só menos prejudicial ao meio ambiente, como também mais saudável e oferece melhor custo/benefício. E o que é desenvolvimento sustentável? O Programa Amb

Em 2016, Brasil dirá adeus às lâmpadas incandescentes

O nde você estará em 2016? Talvez vendo seu filho nascer, ou comandando uma empresa gigantesca, ou simplesmente terminando a faculdade. Você também pode virar artista, mendigo, maluco, ou as três coisas de uma vez. Tudo é imprevisível, mas uma coisa nós sabemos: você estará aposentando de vez as lâmpadas incandescentes de sua casa – se você ainda morar no Brasil, ou tiver uma casa para morar e tal. A medida, publicada no Diário Oficial da União, visa diminuir o consumo de energia pelas clássicas e quentes lâmpadas amarelas. Com o surgimento de opções mais econômicas – e por enquanto mais caras – no mercado, a lâmpada incandescente ainda representa 80% da iluminação das casas brasileiras. Com a substituição total por lâmpadas fluorescentes, a estimativa é que o país economize 10 terawatts por hora até 2030. Viu, vale a pena. Ainda sobre as amarelinhas, se até 2016 nenhuma solução econômica surja, as lâmpadas incandescentes serão completamente banidas do mercado brasileiro. Prevejo o fi