Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2013

DESEJO A TODOS UM ANO NOVO DE MUITAS CONQUISTAS

Telhado verde em casa de campo refresca e economiza energia em cidade paulista

Telhado verde foi uma das opções dos arquitetos para amenizar o forte  calor da região de Bragança Paulista Foto: Fernando Guerra/Divulgação Inserir a construção de forma mais natural possível na paisagem e aproveitar ao máximo os recursos ambientais disponíveis. Esses foram os objetivos dos arquitetos Maria Cristina Motta e Marcio Kogan, do escritório paulistano Studio MK27, ao projetarem uma casa de campo no município de Bragança Paulista, no interior de São Paulo, uma região bastante ensolarada e com extensas áreas verdes. Assim, em vez de um telhado comum, eles optaram por cobrir a casa com um tapete de plantas suculentas, e criaram uma grande construção térrea, na qual se alternam o concreto e a madeira. “As características do local, como insolação, vista e o gosto do cliente pautaram a concepção do projeto. O que fizemos foi projetar uma casa de campo térrea, espaçosa, bem iluminada”, resumiu Maria Cristina à PrimaPágina. O telhado verde tem o papel de proteger

Nova Iorque receberá floresta urbana

Formação vegetal vai diminuir impacto ambiental e melhorar qualidade de vida dos habitantes. Uma floresta urbana será plantada no parque suspenso High Line, construído numa antiga linha de trens de Nova Iorque. Além de reduzir as emissões de carbono da megalópole no meio ambiente, a área verde também vai oferecer aos visitantes uma sensação de imersão na natureza, mesmo em meio ao cinzento cenário da cidade, que receberá um dos símbolos de sustentabilidade mais importantes do mundo. Projetada pelos arquitetos James Corner e Ric Scofidio, a estrutura tem formato circular e vai contar com bancos e área de descanso para a população, a fim de reforçar a conexão das pessoas com a natureza. Segundo informou o CatracaLivre , a floresta também será alterada de acordo com as mudanças de estações, reforçando as diferentes características do clima e da vegetação. A ideia de colocar a floresta no meio de Nova Iorque partiu da equipe do Serviço Florestal dos EUA, que reuniu u

Empresa comercializa carrinho de bebê equipado com bike

A mudança do formato bicicleta para o que é exclusivamente carrinho leva apenas 20 segundos. Um carrinho de bebê, que também funciona como bicicleta. Esta é a criação da Taga Bikes, uma empresa formada por integrantes de diversos países. A proposta foi idealizada após quatro anos de estudo e agora já está disponível comercialmente. De acordo com os fundadores da empresa, o modelo foi projeto após análises universais. Mesmo assim, o fator que mais influenciou a criação foi a cultura holandesa, em que as bicicletas são itens comuns à maior parte da população. Os idealizadores então pensaram em uma maneira de unir a forma do carrinho à utilidade da bicicleta. O resultado foi o Taga, que oferece praticidade, conforto e segurança, tanto aos pais, como aos filhos. De maneira direta, a invenção é um carrinho para bebês com uma bicicleta embutida. Enquanto os carrinhos tradicionais possuem quatro rodas pequenas, o Taga é equipado com três rodas de aro médio. Quando a bicic

Sistema utiliza esgoto e chuva para regar paredes e telhados verdes de edifícios

O esgoto é reutilizado na irrigação de jardins, assim como nas coberturas e paredes verdes. Um novo sistema criado pela empresa brasileira Ecotelhado traz uma inovação para o mercado da construção civil mundial. Chamado de “Sistema Integrado Ecoesgoto”, ele trata todos os resíduos orgânicos do edifício, provenientes das descargas de sanitários, papel higiênico e restos de alimentos, e os reutiliza na irrigação de jardins, assim como nas coberturas e paredes verdes. Enquanto nos EUA e na Europa, o sistema é alternativa sustentável para descentralizar o tratamento de esgoto e reaproveitar a água em caso de calamidade, no Brasil e em outros países da América Latina, África e Ásia, a tecnologia pretende resolver problemas de saneamento básico, ainda tão presentes. Além disso, hoje, a água vem de lugares distantes, e, após ser usada, é enviada também para longe para ser tratada, ou, simplesmente, é despejada em rios e córregos sem tratamento algum. Imagem: Ecotelhado O

Abrigo flutuante autossustentável transforma ondas do mar em energia

Estrutura utiliza fontes limpas de geração e aproveita chuvas para produzir água potável. Batizado de “Arca de Noé”, o projeto criado por uma dupla de arquitetos da Sérvia é um centro de abrigo flutuante e sustentável para abrigar os sobreviventes de desastres naturais. Baseado na lenda bíblica, o espaço arrojado em meio ao oceano vai garantir a alimentação das pessoas por meio da agricultura em terras férteis, filtrar as chuvas para a distribuição de água potável e ainda utilizar as ondas do mar, os raios de sol e os ventos para a geração de energia limpa. Os responsáveis pela “Arca de Noé” são Aleksandar Joksimovic e Jelena Nikolic, que apresentaram o projeto durante uma competição internacional de arquitetura. Criada para ser itinerante, a estrutura conta com anéis e torres submarinas, responsáveis pela estabilidade da Arca. Além da moradia oferecida aos sobreviventes, o espaço também comporta áreas de convivência, escritórios, parques e praias. Protegida por um m

Oásis autossustentável aproveita calor do deserto para produzir energia

Projeto desenvolvido para o Qatar também dessaliniza água do mar e prioriza iluminação natural. O projeto “ Palácio da Natureza ” é um oásis ecológico e autossustentável de alto luxo, planejado para ser construído no deserto do Qatar. Movido a energia produzida pelo sol escaldante da região, o local também conta com um sistema de dessalinização da água do mar e todas as atividades giram em torno de uma grande árvore nativa do país, a sidra, cuja copa serve de cobertura para áreas de convivência, hortas, jardins e fontes. Projetado pelos arquitetos do escritório Sanzpont Arquitectura, o espaço principal do oásis ecológico fica abrigado debaixo de uma cúpula, sustentada pela copa da grande árvore. Com sua forma irregular, a cobertura permite a entrada de luz natural no ambiente, priorizando a eficiência energética ao mesmo tempo em que prevê as condições de clima e iluminação ideais para as plantas que se desenvolvem debaixo da cúpula. O oásis autossustentável util

Casa-contêiner pode ser montada em menos de um minuto

A casa pode ser transportada e montada em minutos. A empresa JayZ Building Solutions , de Melbourne, Austrália, trouxe uma solução inovadora para casas modulares e pré-fabricadas. Utilizando contêineres, eles desenvolveram residências que podem ser montadas em menos de um minuto. A empresa já é conhecida por fornecer alojamentos, escritórios, ambulatórios e escolas em regiões remotas e sem infraestrutura. Imagem: JAYZ Building Solutions As residências possuem duas opções de planta: uma com tamanho de um contêiner de 20 pés, tendo um dormitório e 25 metros quadrados, e, a outra, no tamanho de um contêiner de 40 pés, com três dormitórios e 82 metros quadrados. Ambas podem ser transportadas por navios e caminhões em todo o mundo. Elas podem servir como habitação provisória, permanente ou até mesmo como extensão de outra estrutura já existente. Imagem: JAYZ Building Solutions As casas modulares podem ser descarregadas dos caminhões, utilizando empilhadeira, guindas

Arquiteto cria edifício agro-urbano em cidade japonesa

O local da construção era o último espaço verde restante no centro da cidade. O edifício Asian Crossroads Over the Sea (ACROS), localizado na cidade de Fukuoka, no Japão, é praticamente um parque urbano. Construído em 1994, ele possui três fachadas convencionais: uma delas, possui enormes terraços, que, juntos, assemelham-se a uma montanha. O local era o último espaço verde restante no centro da cidade. O projeto, do escritório de arquitetura argentino Emilio Ambasz & Associates , propõe uma solução nova para um problema urbano comum: conciliar o desejo de desenvolver um lugar para uso rentável, oferecendo, ao mesmo tempo, espaços verdes. O plano de Fukuoka atende às duas necessidades numa única estrutura, através da criação de um modelo inovador agro-urbano. Foto: Divulgação/Prefeitura de Fukuoka Os 15 terraços, que atingem cerca de 60 metros acima do solo, contém 35 mil plantas, representando 76 espécies. Um grande átrio semicircular e um saguão triangular

Oito cidades mostram ao Brasil que é possível despoluir os rios urbanos

O crescimento desordenado das cidades, somado ao descaso do poder público e à falta de consciência da população, fazem com que boa parte dos rios urbanos do Brasil mais pareçam a extensão das lixeiras. A falta de tratamento de esgoto e o descarte de poluentes industriais são os grandes vilões para esse quadro. Atualmente, os 500 maiores rios do planeta enfrentam problemas com a poluição, segundo dados da Comissão Mundial de Águas. Contudo, diversas cidades conseguiram transformar seus rios mortos em belos retratos de cartão-postal, como Paris e Londres, integrando-os à sua vida econômica e social. A Exame listou alguns exemplos que podem inspirar as autoridades brasileiras para que alcancemos os mesmos resultados.   Sena pode estar 100% despoluído em 2015 Foto: Danielle Meira dos Reis 1. Rio Sena, Paris (França) O Sena, em Paris, foi degradado por conta da poluição industrial, situação comum a outros rios europeus. Neste caso, porém houve um agravante: o recebimento de esgot

Vagão abandonado é transformado em centro cultural itinerante no Equador

Reforma sustentável do equipamento férreo leva cultura e oportunidade para comunidades isoladas. Um vagão abandonado do sistema ferroviário do Equador foi transformado em um centro itinerante de cultura e lazer, em que são realizadas apresentações musicais, festas, peças de teatro, oficinas de capacitação e outras atrações totalmente gratuitas por onde passa. A transformação do antigo vagão em novo centro de cultura abriu novas oportunidades à população, e, ainda, tornou-se referência de sustentabilidade na arquitetura. Batizado de “Vagão do Saber”, o projeto dos arquitetos do escritório Al BordE faz parte da revitalização das linhas férreas do país latino, que possui apoio do Ministério da Cultura e do Patrimônio do Equador. O novo vagão leva desenvolvimento por onde passa, isso porque, há diversas comunidades isoladas no entorno da linha do trem, desativada há mais de doze anos. Assim, o projeto está aumentando a importância econômica destas áreas, cujos cenários são