Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2013

Projeto chinês propõe ônibus que anda por cima dos carros

Um ônibus suspenso que anda  por cima dos carros . Já imaginou? Uma equipe de pesquisadores chineses colocou a ideia no papel e defende que o projeto pode ser parte da solução para o trânsito terrível das grandes cidades. Quando parado, o  Land Airbus , como é chamado, não interrompe o trânsito, pois a parte inferior funciona como um túnel, “vazada”, em formato de arco – o que os inventores chamaram de  design oco . O veículo ocupa duas pistas e permite que carros de até dois metros de altura passem por baixo. Cada “vagão” comporta até 300 pessoas. Os passageiros entram no ônibus via elevador lateral e também são previstas estações fixas de parada. Movido por painéis solares e eletricidade, o veículo chega a 60 km/h. Há ainda um sistema que freia o veículo automaticamente em caso de emergência (se houver um acidente à frente, por exemplo). Os criadores dizem que o ônibus suspenso pode diminuir em 30% o trânsito nas ruas e avenidas. Outra vantagem destacada é que a construção d

Saiba como fazer uma horta caseira reutilizando garrafa PET

A ideia é reaproveitar materiais que iriam para o lixo para cultivar suas próprias hortaliças. Com a facilidade das compras em supermercados e feiras livres, deixou-se de se cultivar hortaliças e temperos dentro de casa. Para voltar às origens e descobrir o prazer que este hobby pode nos proporcionar, o CicloVivo, com informações do Engenheiro Agrônomo Juscelino Nobuo Shiraki, dá a dica de como construir uma horta caseira suspensa, reutilizando garrafas PET. A ideia é reaproveitar materiais que iriam para o lixo para cultivar suas próprias hortaliças. Além disso, a horta caseira é decorativa e deixa um aroma agradável no ambiente. O espaço pode ser pequeno, porém, precisa ser ensolarado. Você pode aproveitar pequenos espaços em casa, como quintais ou varandas. É importante escolher as espécies certas para o espaço disponível em sua casa. Material - Tesoura; Alicate; Arame; - Garrafa PET; Isopor; Manta para jardinagem; - Terra preparada; Hortaliças. Métodos

Casa ecológica feita com 7 mil pneus é construída em São Paulo

Serão reutilizados cerca de 7 mil pneus, 3 mil garrafas PET e 5 mil latinhas. Uma casa ecológica está em fase de construção no município de Joanópolis, no estado de São Paulo. Para construi-la serão reutilizados cerca de sete mil pneus. Também foram utilizadas três mil garrafas PET e cinco mil latinhas de alumínio. O projeto da casa, que se iniciou em 1991, foi idealizado pelo casal Yuri e Vera Sanada, após viajarem o mundo por 12 anos em um veleiro e conhecerem mais de quarenta países. "A Casa Orgânica é o resultado de quase duas décadas de observações e experiências ao redor do mundo, em terra e no mar, resultando num lar vivo, que pode ajudar a mudar a vida das comunidades brasileiras", diz Vera. Os pneus e latinhas compõem a parede. De acordo com o biólogo Yuri Sanada, a casa é a primeira com esse sistema no Brasil. Talvez, por isso, ela não tenha sido bem recebida pelos vizinhos. “Já teve até denúncia por causa da dengue, por causa de mau cheiro dos pneus,

5 inovações sustentáveis desenvolvidas por jovens brasileiros

Energia limpa, economia de água e aproveitamento de resíduos foram  os impulsos para as invenções. Não é só no exterior que os jovens vêm desenvolvendo soluções sustentáveis para diminuir os impactos causados pela sociedade no meio ambiente. O CicloVivo visitou a 7ª Feira Tecnológica FETEPS, realizada em São Paulo até a última quinta (24), e separou cinco inovações em tecnologias verdes expostas no evento. Entre as principais novidades, figura uma válvula sustentável que calcula o tempo de banho, uma moto capaz de carregar celulares com a energia do sol e uma lanterna para bicicletas que acende conforme os movimentos das pedaladas. Criadores da válvula sustentável para chuveiro apresentam a solução durante a 7a FETEPS.  | Foto: CicloVivo Válvula sustentável para chuveiro A grande demanda por água encanada nos meses de verão no litoral paulista fez com que os estudantes da ETEC Caraguatatuba desenvolvessem uma válvula sustentável para chuveiros: criado por u

Aeroporto mais verde do mundo vai se transformar em cidade sustentável

Projeto do aeroporto de Incheon, na Coreia, conta com sistema de energia solar, lagos e jardins. Referência no mundo todo, o Aeroporto de Incheon , na Coreia do Sul, pretende se transformar numa pequena cidade sustentável. Com planos de eficiência energética e energia solar, o espaço ainda oferece jardins e hortas aos passageiros, além de lagos e cascatas artificiais nas dependências do terminal. A principal referência em sustentabilidade do Aeroporto de Incheon é o terminal 2, em que o escritório Gensler vem instalando as mudanças na estrutura. Na parte superior, o projeto conta com um gigante teto de vidro, que garante a iluminação natural durante o dia, economizando, assim, nos gastos de luz. Para refrescar o ambiente, a área ganhou um ar-condicionado de alta eficiência, que mantém as temperaturas amenas, sem altos níveis de emissões de carbono. Boa parte da eletricidade utilizada nas dependências do terminal 2 é oriunda das placas fotovoltaicas instaladas na

Empresa paulista oferece tintas ecológicas 60% mais baratas

Uma pequena indústria de Guarulhos, na Grande São Paulo, lucra com a produção de tintas recicladas. Elas são fabricadas com sobras de tintas, produtos vencidos ou sem especificações - a substância é poluente e não pode ser descartada de qualquer maneira. Em 1985, Cláudio Furusava abriu a empresa Vida Nova Tintas para reciclar esse material. Hoje é o filho, Cristian Furusava, quem cuida do negócio. O material é separado por cor, brilho, tempo de secagem e aderência. A tinta reciclada custa 60% menos do que a tradicional. Cristian contou com o apoio do Sebrae para definir as estratégias de ação da empresa, por meio de um Plano de Negócios, que orienta os objetivos do empreendedor de como lidar com os riscos do mercado, com concorrentes e o público-alvo. A fábrica produz cerca de cem toneladas de tinta reciclada por mês e o faturamento fica entre R$ 150 e R$ 200 mil. A expectativa é o negócio cresça 15% em 2013. Os clientes são empresas como uma fábrica de andaimes e de

Hortas urbanas: os desafios da fusão entre campo e cidade

Vista da fazenda urbana Eagle Street em Greenpoint, Brooklyn.  © RooftopFarms.org Não é novidade que a produção de hortaliças está voltando às cidades: hortas urbanas no meio de Berlim e Nova York , e vários projetos de fazendas verticais em desenvolvimento confirmam esta tendência. Entretanto, a fusão (ou reaproximação) do campo com a cidade não é tão simples. Da análise sobre o uso do espaço público à quantidade efetiva de alimentos que se pode produzir, há diversas questões sobre as quais é preciso refletir. Um artigo do Grist reflete sobre esta questão e destaca alguns pontos importantes. Nem sempre os espaços públicos disponíveis nas cidades são adequados para o cultivo e nem sempre se pode levar uma comunidade ao campo (em referência a projetos de comunidades rurais) Certos espaços urbanos são mais úteis para outras atividades, e às vezes, transpor uma comunidade para o campo acaba criando apenas mais um subúrbio.Certos espaços urbanos são mais úteis para ou

FACHADAS VEGETAIS

As paredes cobertas com plantas surgem como um novo conceito de cobertura de paredes e telhados, maximizando a utilização do bem mais escasso nas cidades, o espaço. Países como Alemanha ou França já utilizam essa modalidade que além disso outorgam um valor estético adicionando muitas vantagens ambientais. Um jardim vertical consiste em revestir paredes e telhados com plantas que crescem sem nenhum tipo de solo, como acontece com as epífitas, os musgos, liquens, orquídeas, samambaias e bromélias, também chamadas  de plantas aéreas que se usam como suporte outras espécies em vez de se enraizarem ao solo. Para isso empregamos fibras sintéticas específicas associadas a racks. Os jardins verticais são leves e podem ser instalados no exterior dos edifícios e em diferentes climas, criando assim superfícies vegetais que servem de filtros de ar e reguladores térmicos, reduzindo até 8° a temperatura exterior y até 10 decibéis a poluição sonora. Jardín vertical de Paterna . Valencia.

Projeto Brasileiro que Transforma Lixo em Material de Construção ganha Prêmio Internacional

A competição  Moradia Ideal  – Colaboração para Cidades Mais Inclusivas e Sustentáveis ( Sustainable Urban Housing – Collaborating For Liveable And Inclusive Cities ), da  Ashoka Changemarkers , organização mundial que trabalha com inovação e apoio a empreendedores sociais, recebeu inscrições de  48 países , totalizando 289 projetos. De 11 finalistas, três foram premiados –  um deles , brasileiro:  Lixo Zero, Arquitetura Sustentável, Energia Renovável , dos arquitetos Márcia Macul e Sérgio Prado, fundadores da ONG  Curadores da Terra . A proposta é ambiciosa: reaproveitar todo tipo de lixo gerado nas cidades em  Usinas Limpas , que processam resíduos orgânicos, plásticos e minerais (incluindo lodo e esgoto dos córregos e rios) e dão origem a materiais de construção, fertilizantes e energia. As usinas podem ser feitas para todas as quantidades de lixo, variando de tamanho de acordo com o número de habitantes da comunidade ou cidade em que é implantada. “Cada unidade é feita i

Concurso Nacional de Idéias para Estudantes de Arquitetura e Urbanismo – Sustentabilidade em Edificações Públicas

Imagens do projeto vencedor – Universidade do Semi-Árido Em 2008 foi realizado o  Concurso Nacional de Idéias para estudantes de Arquitetura e Urbanismo , sobre o tema “ Sustentabilidade em Edificações Públicas ”. O evento foi uma iniciativa conjunta da Câmara dos Deputados (Departamento Técnico,  EcoCâmara – Núcleo de Gestão Ambiental , Comissão de Desenvolvimento Urbano e da Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável) e do  Instituto de Arquitetos do Brasil – Distrito Federal (IAB-DF) . O concurso foi patrocinado pela CAIXA. O concurso teve como objetivos: - Promover o debate sobre a sustentabilidade em edificações públicas, por meio de exposições e apresentações dos trabalhos selecionados e premiados; - Incentivar alunos e professores dos cursos de graduação em Arquitetura e Urbanismo a pesquisarem sobre o tema, por meio da elaboração de projetos de Arquitetura e Urbanismo; - Contribuir para a investigação de alternativas técnicas, conceituais e projetuai