Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2015

10 RESIDÊNCIAS DE BAIXO IMPACTO AMBIENTAL

Figurando principalmente em grandes metrópoles, as construções de baixo impacto ambiental apresentam ideias criativas e soluções eficientes para driblar o desperdício, sem deixar a estética de lado. Os modelos de casa sustentável a seguir mostram que sustentabilidade não significa apenas respeito ao meio ambiente, mas também qualidade de vida. Blooming Bamboo Home (imagem do topo) Criada para atender as necessidades de uma região assolada por enchentes frequentes, no Vietnã, a Blooming Bamboo Home é toda construída em bambu, material considerado um dos mais sustentáveis do mundo. A decoração interna, assim como o mobiliário, também é fabricada do mesmo material, afim de reduzir resíduos e promover durabilidade e economia. Em caso de enchentes, a casa é suspensa e flutua. Earthships Com base de pneus antigos preenchidos com terra, a Eartships é considerada o modelo de casa mais sustentável do mundo. Projetada para captar total luminosidade e água da chuva, ela é

O Nautilus - Uma casa caracol gigante para caber uma Família

A casa Nautilus, uma habitação em forma de caracol do designer Javier Senosiain, é uma união de experimentação artística e de vida simplificada. Inspirado pela obra de Gaudí e Frank Lloyd Wright, Senosiain trouxe à Cidade do México mais um exemplo brilhante do que ele chama de "Bio-Arquitetura" - a ideia de que os edifícios com base nos princípios naturais de formas orgânicas nos trazem de volta para a história local, tradição e raízes culturais, por sua vez, criam harmonia com a natureza. Situado acima da cidade Smoggy, este molusco gigante é o lar de Magali e Fernando Mayorga e seus dois filhos Allan e Josh. Ao entrar na casa dos Mayorga, é preciso primeiro passar pela entrada principal - uma porta definida dentro de uma grande parede de vidros coloridos - para a sala onde o chão coberto de plantas é separado por longas vias estreitas que correm ao lado de um córrego artificial. Os furos nas portas localizadas na parte traseira do espaço principal levam a

Bioarquitetura

Princípio construtivo que visa a utilização de materiais naturais, reduzindo, ou até mesmo evitando a agressão ao meio ambiente, através de técnicas bem antigas (seculares e até milenares) comprovadamente eficientes no que tange à quesitos como segurança da edificação, conforto térmico e saneamento. Tendo como característica a preferência por materiais locais, como terra, pedra, argila, fibras naturais (como palhas, sisal, junco) e outros, reduz-se gastos com transporte e fabricação, oferecendo edificações de baixo custo com as qualidades citadas no parágrafo anterior. Um ponto que é preciso ressaltar nesta definição de bioarquitetura é que ela é mais válida para a concepção de ecovilas, estando estas localizadas no meio rural dos municípios. Fazendas, chácaras e casas de campo são obras que também podem se originar destas saudáveis técnicas construtivas, pois geralmente localizam-se em grandes lotes, tendo em volta elementos naturais disponíveis (terra, madeira, fibras vegeta

Conheça a cidade onde todo morador tem uma horta

Foto: Yann Arthus-Bertrand/Divulgação Les Avanchets, Genebra, Suíça. Este é o endereço dos sonhos de qualquer hortelão urbano, de acordo com o fotógrafo e ambientalista francês Yann Arthus-Bertrand. Ele postou em seu site foto da cidade europeia , onde praticamente todas as casas possuem uma horta urbana. A ideia é que cada morador cultive, no próprio jardim, as frutas e verduras que mais gosta, mas não restrinja a dieta de sua família apenas a elas. Por lá, todos têm a cultura de trocaralimentos orgânicos com os vizinhos, ampliando as possibilidades de alimentação(saudável!) e estimulando a integração social. É ou não é uma boa ideia? A prática já existe em Les Avanchets há anos e, segundo Arthus-Bertrand, é herança da Primeira Guerra Mundial. Após o fim dos conflitos, no século 20, o governo da Suíça, entre outros países da Europa, deu aos trabalhadores alguns loteamentos de terra, para que tivessem a oportunidade de reconstruir suas vidas, e assim teve início a cultur

Detalhes construtivos com a taipa de pilão

Arrimo de solocimento traço 10:1, altura de 1,65 m, espessura de 25 cm, estruturado com pilares de madeira reutilizada. Campinas/SP – 1998. Fundações para paredes estruturais em solocimento com espessura de 14 cm, traço 12:1. Pilares-guia de concreto nas quinas e vãos modulares para as aberturas. Casa do Arquiteto, Campinas/SP – 1993.   Arrimo de solocimento ensacado, com altura frontal de 3 m, 3000 sacos de farinha de trigo empilhados e compactados por fiada, drenos de PVC. Valinhos/SP – 1989.   Corte do oitão de solocimento monolítico. Espessura da parede com 16 cm, traço 12:1. Campinas/SP – 1993.  Residência em paredes estruturais de solocimento monolítico, espessura 16 cm, traço 14:1. Aberturas em arcos feitas in loco com formas de madeira, com vergas embutidas no maciço. Campinas/SP – 1997.   Pilares-guia em madeira aparente com amarração macho-fêmea nas paredes estruturais em solocimento, traço 16:1, espessura 16 cm. Campinas/SP – 1987.