Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2010

Ônibus com telhado verde?

Uma idéia que, se realmente for aprovada, tanto pela população quanto por governos, pode contribuir e muito na diminuição do aquecimento global. O designer Marco Antonio Castro Cosio mal terminou seu mestrado em telecomunicações interativas, na Universidade de Nova York , nos EUA, e já fez um plano ambicioso para mudar a paisagem da cidade. Batizado de Bus Roots (algo como “ raízes movidas por ônibus ”), seu projeto pretende plantar 35 acres (cerca de 14,16 hectares) de plantas suculentas no teto de 4.500 ônibus da metrópole americana. Segundo o site oficial da iniciativa , o objetivo é “recuperar espaços esquecidos, aumentar a qualidade de vida e fazer crescer a quantidade de espaços verdes na cidade”. A ação também combateria o efeito da “ilha de calor” – no qual fatores como concentração de poluição, excesso de obras de concreto e carência de vegetais tornam a área urbana mais quente que o normal. Em São Paulo, por exemplo, a diferença de temperaturas entre espaços urbanos e ver

Cerveja Combustível

Na Universidade de Illinois se costuma beber muito. E foi por causa disso que alguns pesquisadores chegaram na produção de um novo tipo de biocombustível extremamente eficiente. Este combustível é a base de levedura de cerveja! O que sempre foi brincadeira, agora se tornou realidade: a cerveja (modo de dizer!) virou combustível! O que vai ter de gente fazendo piadinha com isso… =) Será que as bombas de gasolina vão se parecer com isso? Entenda: Caso você ainda não saiba, os biocombustíveis são feitos através do processo de fermentação das culturas e quando a levedura é utilizada para converter a biomassa em açúcares, a fermentação resultante deste processo cria combustíveis como o nosso famoso e velho etanol e novato isobutanol. O problema ocorre quando o fermento morrer se houver uma concentração muito alta dos álcoois nessa sopa explosiva e rica em açúcar. Assim, para se obter um processo industrial mais eficiente, será necessário produzir lotes mais concentrados para tornar a

Conheça a mochila sinalizadora para ciclistas

SEIL bag by Lee Myung Su design lab from Ben on Vimeo . Que tal um gadget que te incentiva a andar de bicicleta? Criado por Lee Myung Su , essa mochila é mais um artigo de segurança inventado especialmente para ciclistas. Munida de uma luz LED, o objeto sinaliza as intenções de movimento do ciclista. Mesmo que esteja vestindo uma roupa de cores vivas e sempre sinalize com gestos, nem sempre o ciclista é visível em meio ao trânsito, principalmente à noite. A mochila, que foi chamada de SEIL Bag (sendo “SEIL” uma abreviação para “Safe Aproveite Interact Light”) surgiu para ajudar o pessoal que opta pelas magrelas na hora de ir a um compromisso. Basta sinalizar no botão que a mochila mostrará qual a direção que o ciclista está tomando Funciona da seguinte forma: o acessório possui luzes LED e um controle sem fio destacável. Este controle pode ser posicionado no mesmo lugar das antigas campainhas e buzinas. Preso junto ao guidão, ele funciona como o pisca – pisca de uma moto. Basta um

Edifício americano é projetado para evitar o desperdício de energia

O prédio ainda possui um sistema de coleta de água da chuva Apartamentos ideais são aqueles que além da segurança, primam também pelo conforto. Por isso, imóveis que possuem ventilação no verão e iluminação natural no inverno são os mais desejados. Arquitetos dos Estados Unidos desenvolveram o projeto de um edifício capaz de unir as duas características, diminuindo gastos de energia. O prédio, chamado de Solstice on the Park , foi projetado pelo estúdio de arquitetura " StudioGang " em Chicago. Os projetistas descobriram que o ângulo de 71 graus das janelas capta a luz solar nos dias mais frios e mantém o ambiente fresco nos dias mais quentes. A ideia era aumentar a eficiência energética do edifício a partir do projeto. Para isso, os arquitetos posicionaram cada janela de forma diagonal, permitindo um efeito cintilante. Assim que concluído, o edifício terá 26 andares e 145 apartamentos. Cada ambiente foi construído pensando em criar áreas independentes e viradas para o sul,

Japonês cria máquina que converte plástico de volta em petróleo

No vídeo acima (narração em japonês legendada em inglês), oferecido pela Universidade das Nações Unidas, o Sr. Akimori Ito da japonesa Blest Corporation, apresenta sua invenção revolucionária, uma máquina que transforma plástico novamente em petróleo, ou seja, retornando o que poderia ser considerado lixo à sua própria matéria prima e dando muitos novos usos ao produto. Sua máquina, consideravelmente pequena e portátil, aquece o plástico à centenas de graus Célsius, gerando o gás que se desloca ao recipiente conectado por um tubo na parte superior. Neste recipiente encontra-se água de torneira, responsável por resfriar o gás e, assim, converter em óleo. Esse óleo pode ser convertido posteriormente em gasolina, diesel ou querosene, podendo ser inclusive usado para abastecer veículos, geradores de energia ou fogões. O processo converte 1Kg de plástico em aproximadamente 1 Litro de petróleo. Nem seria preciso dizer que esse processo reduz drasticamente a “pegada de carbono” da sociedade.

Camas sustentáveis para animais de estimação

A cama tem formato de rede para o conforto do pet Que gatos e cachorros gostam de ter um espaço só para eles, não é novidade. Mas, e se você pudesse reservar um cantinho mais sustentável para o seu bichinho relaxar? Esta foi a ideia da Pet Lounge Studio ao lançar a cama para pets feita de matéria-prima totalmente sustentável. O espaço, chamado de Lounger Bambu, é em formato de rede e tem a estrutura feita de bambu. Além disso, possui camurça de poliéster, tecido que pode ser reciclado, e todos os aços utilizados não contém estanho, elemento que pode ser tóxico para o seu pet. A empresa também disponibiliza outros modelos, como a cama tradicional feita para os gatos mais preguiçosos e outros móveis sustentáveis desenvolvidos para os seus animais de estimação, como o Diner Bambu que é um misto de comedouro e bebedouro. Os gatinhos também tem um espaço só para eles “As camas para pets inventadas anteriormente não parecem feitas especificamente para animais de estimação”, explicou Corey

SWU expõe as contradições de quem vê sustentabilidade como oportunidade de marketing

por Silvia Dias — última modificação Oct 11, 2010 06:45 PM Podia ser um divisor de águas, mas será lembrado apenas como mais um festival de música. E mal organizado. Starts With You - e eis que está acabando o potentoso festival musical que assumiu por nome uma equivocada frase em inglês (afinal, não começa com você, mas com todos nós: uma das diferenças da atual visão de mundo para a visão da sustentabilidade é justamente enxergar o todo, as correlações e corresponsabilidades). Se o equívoco ficasse apenas no nome bacanudo, poderíamos ter tido um exemplo concreto de como fazer entretenimento de forma sustentável. Mas SWU foi apenas mais um festival de música criado e executado a partir dos velhos paradigmas que não levavam em conta o impacto da ação sobre o ambiente e sobre as pessoas. Pior: foi um festival muito mal organizado. Como testemunharam vários participantes pelo Twitter (ver, em especial, o http://twitter.com/swuvaitomarnocu), eis que um festival supostamente dedicado à

Suprema Corte da Nova Zelândia recebe prêmio por construção sustentável

O governo da Nova Zelândia decidiu dar o exemplo aos seus cidadãos e inaugurou no início de 2010 a nova sede da Suprema Corte , totalmente erguida segundo princípios da sustentabilidade. A eficiência do projeto foi tanta que este ano a obra foi nomeada para dois prêmios internacionais: o Festival Mundial de Arquitetura e o IStructE Structural Awards. Localizada na capital Wellington, a nova Corte foi projetada pelos arquitetos da Warren & Mahoney e erguida pelo Holmes Consulting Group e já está se tornando um ponto turístico da cidade. Hoje, quem passa pela frente do prédio pode ver painéis de aço reciclado e madeira revestindo as paredes da corte em um desenho inspirado em plantas nativas do país, como a árvore Kauri. Além do design marcante, o que tem garantido o sucesso da construção são os princípios de sustentabilidade aplicados durante a obra. A ventilação natural permite que a corrente de ar circule pelas novas salas de audiência, biblioteca e sala de conferência, criando u

Inglaterra abre maior fazenda eólica no mar

Maior fazenda eólica no mar produzirá 300 MW    Inglaterra inaugurou a maior fazenda eólica fora da costa do mundo, com 35 km2, 100 turbinas e produção de 300 megawatts. A Thanet Offshore Wind Farm fica na costa sudeste do país e gerará energia equivalente ao consumo anual de 200 mil casas. O empreendimento de 780 milhões de libras foi feito pela Vattenfall, uma das maiores empresas de energia da Europa, e levou dois anos para ficar pronto.                                     Cada uma de suas 100 turbinas tem 115 metros de altura e pesa 379 toneladas. Suas pás de 44 metros de comprimento são feitas de fibras de vidro e carbono. Os equipamentos foram projetados para durar pelo menos 25 anos e gerar energia com ventos entre 12 km/h e 88 km/h. A produção de 300 megawatts (MW) da Thanet eleverá o total de energia eólica do Reino Unido a mais de 5.000 MW. Fonte: Info.Abril

Casal constrói comunidade autossustentável em meio à floresta

O casal passou quatro anos construíndo a vila Ter uma casa na árvore é o sonho de muitas pessoas, inclusive era um desejo para o casal Erica e Matt Hogan. Depois de fazer um passeio pelas florestas da Costa Rica, ela teve vontade de ampliar esse sonho e construir não só uma casa, mas uma vila em meio às árvores. O marido topou a aventura, e juntos, construíram sozinhos uma verdadeira comunidade no meio da floresta. Erica tinha vontade de morar perto da natureza depois que assistiu o filme Guerra nas Estrelas – O Retorno de Jedi. Depois de visitar a Costa Rica, ela confessou para o marido que ali seria o lugar ideal para colocar o sonho em prática. “É engraçado, a vila Ewok do filme aparece por poucos segundos em Star Wars, porém nos marcou muito” diz Matt no site oficial da comunidade. Os dois deixaram seus empregos por um ideal e compraram uma propriedade na floresta tropical da Costa Rica. O casal passou quatro anos construindo o sonho de Erica: uma comunidade auto-suficiente no mei

Prédio chinês é lançado e se destaca pelo enorme telhado verde

Prédio possui grande telhado verde que servirá de área de encontro Diante de tantas construções convencionais que estamos acostumados a ver nas ruas, é normal que um grande bloco composto por várias cavidades seja estranho aos nossos olhos. Mas há sustentabilidade por trás de tamanha ousadia arquitetônica. O edifício TED, como foi chamado, foi desenvolvido por um grupo de arquitetura chinês para ser uma área de uso misto em Taiwan e é um grande quadrado com 57m de altura. O edifício intercala uma série de cavidades (que permitem maior ventilação e um fluxo maior de pessoas), com um parque verde localizado no terraço. A função do telhado verde é atenuar problemas ambientais, como excesso de poluição, poeira e barulho, presença de ilhas de calor, por exemplo, além de atrair espécies de animais. As cavidades no prédio servem como entrada de ar O recorte na fachada principal do TED atua quase como uma rua, permitindo que os visitantes caminhem através do edifício. Para fazer o uso int

Plataforma na Malásia vira hotel em alto mar

Por fora o hotel lembra um navio pesqueiro/Foto: Divulgação Quando a vida útil de uma plataforma de petróleo termina, ela fica sem função, estática, em pleno alto mar. Em 1995, quando a Shell decidiu afundar a plataforma Brent Spar, ativistas do Greenpeace se manifestaram contra os danos que a explosão causaria ao meio ambiente. No Golfo do México, região protagonista de um derramamento de óleo em abril deste ano, cerca de 4 mil plataformas serão desativadas até o final do seculo, segundo o escritório Morris Architects. E o que será feito dessas construções? A região de Bornéu, na Malásia, empresários do turismo acharam uma solução: transformaram a estrutura em um hotel. O Seaventures Dive Resort é uma espécie de cruzeiro fixo que serve refeições, oferece atividades de lazer e apresentações musicais. Localizado em uma das melhores áreas de mergulho no mundo, o resort oferece o serviço com acompanhamento de instrutores e leva os hóspedes até os corais por meio de um elevador. O desig

Plantando soluções com os jardins verticais

Prático, criativo e charmoso – esse é o jardim vertical. Na foto, um projeto da empresa Quadro Vivo , especializada no segmento de paisagismo / Fotos: Divulgação Como uma alternativa para quem quer misturar qualidade de vida e rotina, os jardins verticais se tornam, a cada dia, os mais práticos aliados de quem está cansado do concreto. Das práticas mais simples às que exigem mais atenção, o cultivo do “verde” em área urbana, especialmente em casas e apartamentos, ganhou espaço e mostra que é possível cerca-se de flores e plantas sem gastar muito dinheiro ou tempo. Segundo o técnico em paisagismo e especialista em arquitetura da paisagem Alexandre Fang , a busca das pessoas por agregar a natureza às suas vidas tem motivado a procura por jardins alternativos. “Em grandes cidades urbanas como São Paulo, relativamente opressiva em relação ao verde, as pessoas tendem a se fechar cada vez mais, o que provoca uma demanda no que diz respeito à busca por um refúgio. E ao voltar aos olhos para

Poluição luminosa “apaga” as estrelas e desequilibra os ecossistemas das cidades

Criadores do Stellarium ranquearam os níveis de visibilidade de estrelas no céu/Foto: Divulgação Há quanto tempo você não pára e contempla demoradamente um céu estrelado? Pense um pouco e reflita qual foi a última vez que você contou estrelas ou tentou identificar as constelações em uma noite escura. Ou melhor, pergunte a alguma criança se alguma vez na vida ela já viu uma estrela cadente. Cada vez mais, cenas como essas tem sido vistas apenas em filmes, novelas e comerciais de TV. Com a evolução das cidades o homem tem se afastado do contato com a natureza e coisas banais, como olhar para o céu, se tornou algo distante da nossa rotina. Mas não pense que a culpa é exclusiva do nosso estilo de vida moderno. Além da correria do dia a dia e do excesso de espaços fechados, outro problema tem feito com que as pessoas não enxerguem mais tantas estrelas no céu: a poluição luminosa das grandes cidades. Qualquer um pode perceber esse fenômeno. Basta olha de longe para um centro urbano para ve

Energia eólica sem turbinas

Além de produzir a mesma quantidade de eletricidade das tradicionais turbinas, as Windstalks não possuem pás, portanto não oferecem risco aos pássaros Empresa de design cria nova maneira de captar energia eólica: hastes que balançam ao vento e produzem a mesma quantidade de eletricidade das tradicionais turbinas. A grande vantagem das Windstalks, no entanto, é que elas são silenciosas e ocupam menos espaço. Além disso, por não possuírem pás, elas não oferecem risco a pássaros ou outros animais que possam voar. O projeto é de uma empresa de Nova York chamada Atelier DNA e foi feito para a cidade planejada de Masdar, uma região construída próxima a Abu Dhabi. As Windstaçks ficaram em segundo lugar no concurso Land Art Generator, uma competição patrocinada por Madsar para identificar a melhor obra de arte que gerasse energia renovável. O projeto constitui de 1203 “hastes” de fibra de carbono, reforçadas com resina; elas possuem 0,3 metros de largura, 54 metros de altura e estão fixadas

Brasil utiliza apenas 29% da verba destinada à mobilidade urbana

Foto: Daquella manera  Os especialistas são unânimes em afirmar que a melhoria dos sistemas de mobilidade das grandes cidades está diretamente ligada aos investimentos feitos em transportes públicos e veículos alternativos, como a bicicleta. Mas parece que algumas cidades do Brasil não estão aproveitando ao máximo os recursos disponibilizados para tal fim. Segundo o jornal O Estado de S. Paulo, o país deixou de usar R$ 1,2 bilhão que foi destinado para projetos de mobilidade. As informações apontam que a verba reservada pelo Ministério das Cidades vem sendo acumulado desde 2007. Ela faz parte do Programa Nacional de Mobilidade Urbana e deveria ter sido aplicada por Estados e municípios em obras de transporte coletivo e não-motorizados. Ao todo, o governo federal projetou um gasto no valor de R$ 1,77 bilhão em projetos apresentados e executados por Estados e municípios que os inscreveram no ministério. Porém, apenas R$ 529 milhões foram pagos. Com isso, apenas 29% de toda a verba rese

Museu da Tolerância privilegia iluminação e ventilação naturais

O edifício possuirá um balanço de 30 m e um vão livre de 40 m. Imagens - Divulgação Frentes Apresentado na última sexta-feira, dia 25, em cerimônia na Reitoria da USP, o Museu da Tolerância, que será construído na Cidade Universitária, já mostra em seus primeiros traços a preocupação com a adoção de soluções sustentáveis. Proteção adequada das fachadas em relação à insolação, ventilação e iluminação naturais, racionalização da construção, estrutura metálica. Estes são alguns dos aspectos destacados pelos autores do projeto, os arquitetos José Alves e Juliana Corradini, do escritório Frentes. “As demais questões relacionadas à sustentabilidade serão consideradas no desenvolvimento do projeto”, avisa Juliana.  Sobre ventilação e iluminação, destaca-se no projeto a cobertura do subsolo. Esta será formada por um teto verde com estrutura nervurada de concreto preenchida por terra e grama, reconstituindo, assim, as características originais do chão do local. “Os únicos eventos que indica

Biosphere Sustainability Centre: centro cultural com emissão zero carbono

Biosphere Sustainability Centre - Imagem Paul Raff Studio O Biosphere Sustainability Centre, na região de Thousand Island, em Ontário, Canadá, é um complexo cultural multiuso pensado para ser um poderoso catalisador sustentável do desenvolvimento ambiental, social e econômico. O objetivo do Centro é o de incentivar o capital ambiental e humano para incrementar os resultado ambientais, sociais, culturais e econômicos, apontando uma direção global para o desenvolvimento sustentável regional com o centro servindo como uma atração chave e um portal de ligação para a região. A Frontenac Arch Thousand Islands Biosphere, que inclue as “Thousand Islands”, é um local tombado pela UNESCO. Ela abrange o Rideau Canal World Heritage Site, outra denominação da UNESCO. Poucas partes no mundo têm ambas denominações, natural e cultural, da UNESCO. A região será conhecida como um espaço vibrante de classe mundial para a aprendizagem sobre experiências sustentáveis desenvolvidas em base a um capital