Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2012

Cornell Plantations Welcome Center

Refrigeração passiva e aquecimento solar para a certificação LEED Prata O novo edifício confunde-se com a paisagem do entorno (crédito: Divulgação) O Jardim Botânico da Universidade de Cornell fica próximo a uma estrada que serpenteia um desfiladeiro profundo e estreito, passando por alguns dos mais ousados elementos da arquitetura no campus. Mas, ao contrário das formas concretas acrobáticos do Herbert F. Johnson Museum of Art, de 1973, o centro de visitantes recentemente concluído é uma presença discreta e quase invisível na paisagem . "É quase como uma redoma de vidro que desceu e capturou um pouco do jardim", diz Jon Neuert, sócio da Baird Sampson Neuert, de Toronto. "Você pode literalmente ver através do edifício." A empresa projetou as instalações da Cornell Plantations, no campus Ithaca em New York. Mas para além de toda a sua preocupação com o meio ambiente, o Brian C. Nevin Welcome Center reúne uma gama de utilidades, como banheiros e beb

Foster and Partners cria nova identidade para banco do Marrocos

Projeto do escritório londrino usa elementos da cultura islâmica Enquanto a envoltória do edifício relaciona-se com o vernáculo regional, o interior é contemporâneo (crédito: Cortesia Foster and Partners) Veja a galeria O Banque Marocaine du Commerce Exterieur (BMCE) é um dos principais bancos do Marrocos. Incentivado pelo desejo de traduzir sua larga experiência aos clientes, o banco encomendou uma série de agências emblemáticas. Seu design segue uma abordagem modular e temática, com variações de escala e paisagismo, em resposta aos diferentes locais. Enquanto as agências em Casablanca e Rabat refletem seus sites compactos nos centros financeiro e cívico na costa do Marrocos, a agência de Fez tem detalhes sutis que expressam a herança artesanal da cidade. Cada edifício é introduzido através de uma colunata e encimado por uma cúpula. O intradorso da abóbada é processado em tadelakt, uma técnica de gesso local, e o exterior é revestido em zellige - uma telha cerâmica tr

Arena PGE em Gdansk

A Arena homenageia história e geografia local, com seus históricos estaleiros (crédito: Divulgação) A Arena PGE em Gdansk, uma das principais sedes da Eurocopa 2012, virou um cartão de visitas para a Polônia e, também, para os arquitetos do RKW. O estádio, inaugurado no verão de 2011, orienta-se para duas cenas típicas da região. Por um lado a sua forma e cor emulam o  âmbar típico do lugar. A arquitetura parece projetar-se em forma arredondada a partir da água, da areia e do vento. A cobertura de policarbonato empresta leveza, transparência e luminosidade âmbar à fachada. Para isso, a concha brilhante exterior é composta por uma série de seis variedades de módulos coloridos de diferentes formatos que, combinados, criam um gradiente homogêneo de cor. Isto dá à instalação esportiva com seus mais de 43.000 assentos a sua identidade histórica. O segundo aspecto à qual se orienta é a forte indústria da construção naval e seus estaleiros como locais importantes da modernidade

Pavilhão solar do Porto Olímpico de Barcelona tem emissão zero de CO2

80 módulos solares instalados no telhado fornecem 25 MWh por ano (crédito: Divulgação) Veja a galeria O edifício de madeira foi construído em apenas um mês, por ocasião da celebração em Barcelona da conferência sobre cidades inteligentes, a SmartCity Expo & Congresso Mundial, realizado em novembro passado. O pavilhão foi concebido pelo Instituto Avanzado de Catalunya e construído pela empresa Visoren para a Endesa. A Schott Solar, que patrocinou o projeto, apresenta o Pavilhão de 154 metros quadrados como uma alegoria das duas ideias chave que saíram do SmartCity & Expo 2011. A saber: "que os municípios tornem compatíveis entre si dados, redes e circuitos de informação, produtos, água, energia e, inclusive, mobilidade, hoje separados, possibilitando o intercâmbio global" e que evoluam para a produção "local e autônoma ", o que significa que os futuros cidadãos transformarão suas casas em produtoras de energia renovável e, por sua vez, as cidade

8 maneiras de fazer um jardim vertical

Os jardins verticais têm conquistado espaço no paisagismo brasileiro. Eles foram criados para amenizar a falta de áreas verdes nos centros urbanos e também para modificar a paisagem de locais com espaços pequenos. O jardim vertical é um sistema que pode revestir qualquer tipo de parede ou muro interna ou externamente. Os sistemas podem possuir irrigação automatizada por gotejamento ou o cuidado pode ser feito manualmente, dependendo do tamanho. A fachada externa verde é uma ótima forma de revitalizar edifícios e combater as ilhas de calor urbano. No caso de paredes internas, a parede verde pode purificar e limpar o ar, pois retém compostos orgânicos voláteis (COV), materiais particulados, fumaça de cigarro, além de manter o conforto térmico agradável. Oito sistemas de jardins verticais que já chegaram ao mercado brasileiro. Cada um deles possui características específicas. 1. Blocos Pré-Moldados O método de bloco pré-moldado foi criado pela empresa Neo Rex . Eles

EcoD Básico: Evento Sustentável

Olimpíadas de Londres é a primeira a receber o certificado ISO 20121/Foto:  Divulgação É comum associar a sustentabilidade apenas ao aspecto ecológico, como a preocupação com os resíduos pós-atividades, porém para a realização de um evento sustentável também é necessário o desenvolvimento de um equilíbrio entre as perspectivas sociais, econômicas, culturais, políticas. O organizador de um evento sustentável deve ter a preocupação de analisar desde o local escolhido para a realização da atividade e valor cobrado pela inscrição da mesma, até a seleção dos fornecedores e o destino dos resíduos gerados. Entenda: Local: a escolha do lugar para a realização do evento engloba o gasto de energia e a emissão de CO2. Opte por locais que tenham iluminação natural, verifique se o sistema de refrigeração de ar é eficiente do ponto de vista energético. Além disso, é importante evitar o uso de geradores, pois consomem combustíveis fósseis e emitem CO2. O local também deve ter fácil trans

Casa de plástico reutilizado é apresentada na Rio+20

A utilização de plástico na construção reduz em até 80% o uso de madeiras/Fotos:  Divulgação A Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20) também é utilizada como palco de apresentações de projetos sustentáveis. Um exemplo é uma casa feita de plástico reutilizado , projetada pela empresa cearense de engenharia Impacto Protensão , que garante redução de até 80% do uso de madeiras nas obras. Além de ter um preço mais acessível, cerca de 40% mais barata do que a convencional, e de rápida montagem, a habitação de plástico, reutiliza o material danificado evitando o seu descarte na natureza. E com ele é possível erguer casas, hotéis, salas de aula, escritórios e até banheiros. Outra vantagem do material é a logística, segundo o engenheiro civil Valter Bastos, uma pessoa pode montar a casa, utilizando apenas um manual. Projetos O Hotel Vale das Nuvens foi o primeiro hotel feito com placas de plástico reciclado do mundo Segundo o portal G1

Líderes terão dia de negociações sobre polêmicas do documento final da Rio+20

Chefes de Estado e governo posam para a foto oficial da Rio+20/Foto: Roberto Stuckert Filho/PR Na véspera do encerramento da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20) os cerca de 100 chefes de Estado e governo reunidos no Rio de Janeiro mantêm na quinta-feira, 21 de junho, uma série de discussões em mesas-redondas sobre o documento final a ser anunciado por eles na sexta-feira (22). A exemplo de quarta-feira (20), vários presidentes e primeiros-ministros discursarão. O pronunciamento do presidente de Cuba, Raúl Castro, é um dos mais esperados. Os líderes se reúnem em quatro grandes debates, em busca de fechar um consenso sobre o documento final, que nos últimos dias dividiu os negociadores dos países em desenvolvimento e os desenvolvidos e gerou muita polêmica. Mas o texto não será modificado, mesmo diante de críticas e apelos. A tendência, segundo os negociadores, é acrescentar, mas sem a possibilidade de exclusão de itens ou de alteração de con

GHERKIN: O PRÉDIO PEPINO

Já havia postado sobre esse prédio em 22/09/2009, mas com a Rio+20 resolvi reforçar, pois ainda temos muito que aprender. O “30 St Mary Axe” é um edifício londrino que facilmente se destaca dentre os demais. Seu formato peculiar e seus 180 metros de altura despontam em meio à arquitetura clássica e conservadora típica da capital inglesa. É o sétimo arranha-céu mais alto de Londres, com 40 andares. Pertence à Swiss Reinsurance Company, mais conhecida por Swiss Re – uma das maiores companhias de seguros e resseguros do mundo, operante em mais de 30 países. Todos esses atributos já bastariam se não fosse por uma característica especial da edificação: ela recebe informalmente o nome de Gherkin, que significa “pepino” em inglês. O motivo de tal apelido é bem nítido; ovalado e comprido, o prédio é tão exótico que chegou a ser criticado pela mídia inglesa antes do início de sua construção. Por sua semelhança, é constantemente comparado com a Torre Agbar, que fica em Barcelona, na Es

UM PRODUTO CHEIO DE VIDAS

Decorar a casa com objetos sustentáveis é sinônimo de conscientização e estilos arrojados. Móveis de madeira reaproveitada, tecido de garrafa PET e tinta à base de terra. Artigos como estes já não são mais considerados “coisas de hippies”. “Muitos achavam isso pelo fato do produto ser mais artesanal. Mas hoje as peças são muito bem acabadas”, afirma a arquiteta Maira Del Nero, ao ressaltar que a tecnologia permitiu um design e um acabamento capazes de enganar muitas pessoas sobre a real procedência deste tipo de produto. Existe uma infinidade de peças sustentáveis, que vão de mesas e cadeiras a enfeites e utensílios domésticos. A madeira está presente em vários destes itens e possui diferentes procedências, todas sustentáveis. A de demolição normalmente é usada para a produção de portas e assoalhos, além de mobiliários. A madeira de manejo é certificada pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e é originada de árvores brasileiras. “As

Gerador eólico produz até 1.200 litros de água por dia

Parece apenas um gerador eólico, mas trata-se de um equipamento capaz de produzir água líquida a partir da humidade do ar/Foto: Reprodução As tecnologias sustentáveis também podem criar alternativas para ampliar o acesso à água - um dos problemas enfrentados em boa parte do mundo por conta da má distribuição e da escassez. Um exemplo inusitado foi divulgado recentemente: é um gerador eólico capaz de produzir até 1.200 litros de água por dia, de acordo com informações do G1 Natureza . Fabricado pela empresa francesa Eolewater, o catavento gerador de energia aciona um sistema de refrigeração que, ao resfriar o ar, condensa a umidade presente na atmosfera. Dessa forma, a tecnologia retira água do ar em áreas remotas, sem acesso a energia elétrica. Um protótipo dessa máquina funciona desde outubro de 2011 em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes, e consegue retirar até 800 litros de água do ar por dia, mesmo estando em uma região desértica. Via: Portal EcoD

Akatu lista dicas para redução dos impactos do seu consumo nas Mudanças Climáticas

Usar a bicicleta é uma alternativa de baixo impacto no ambiente/Foto: David Corral-Abad Todo produto que consumimos possui etapas que começa na extração de matérias-primas e termina no descarte do produto, e todas elas geram emissões de gases. Para reduzir esses poluentes lançados na atmosfera, é aconselhável fazer escolhas de consumo que privilegiem o máximo de aproveitamento dos produtos evitando desperdícios e, assim, reduzindo a emissão de gases de efeito estufa. Além disso, o consumidor também tem a opção de escolher comprar mercadorias em empresas que se preocupam em reduzir os impactos da produção sobre as mudanças climáticas. Pequenas ações podem ser feitas no dia a dia por cada um de nós no intuito de transformar a realidade atual. A Akatu listou três dicas essenciais para que você possa seguir e, então, contribuir na diminuição dos impactos do seu consumo nas Mudanças Climáticas. Dicas Procure saber de onde vem o que você compra. Produtos da sua região chega

Armazém abandonado em Chicago é transformado em prédio verde

O antigo armazém recebeu certificação Leed Platinum/Imagens: James Steinkamp Transformar um armazém abandonado, que remonta o ano de 1908, em um prédio com eficiência energética e iniciativas verdes, foi o que fez a empresa de arquitetura Solomon Cordwell Buenz , em Chicago, nos Estados Unidos. O projeto desafiador transformou a sede da Walsh Construção , uma das maiores empresas de construção da cidade, no primeiro prédio local a usar tecnologia solar térmica e telhado verde, segundo informou o portal Inhabitat . Na construção, os designers e arquitetos minimizaram os desperdícios a partir da reutilização dos tijolos demolidos da parede exterior. Já no telhado verde, usaram sistemas para economizar água, o que inclui a retenção da água da chuva para ser usada na irrigação durante o verão. O prédio também possui dupla descarga de baixo fluxo nos banheiros, além de incorporar a ventilação natural no interior do edifício e a controlabilidade térmica via ventiladore

Edificações inteligentes

Computação em nuvem auxilia na conectividade Modelo quebra dependência física entre usuário e o local da infraestrutura (crédito: NT Editorial)  Fabio Benussi Prandini  O conceito de  Cloud Computing  (Computação em Nuvem) tem o potencial de transformar o mercado de edificações inteligentes, criando diferentes nichos de negócios para provedores de serviços e integrando soluções em aplicações de fácil utilização pelos usuários. Primeiro vamos aos conceitos básicos sobre o que é Cloud Computing: Cloud Computing ou “Computação em Nuvem” é um modelo de computação onde a infraestrutura (Servidores, Storage, Rede, Backup, etc),  pode estar em qualquer lugar e o usuário passa a acessá-la de forma remota. Este modelo é a quebra da dependência física que existia entre usuário e o local onde fica a infra-estrutura, portanto os custos de implantação tendem a ser baixos. Geralmente é contratado como um serviço entre o provedor da infra-estrutura de TI e o usuário que acessa os s

Eficiência energética em empreendimentos sustentáveis

Preocupação vem do fato do setor imobiliário ser responsável pelo consumo de 41% de energia Marcos Casado é gerente técnico do Green Building Council Brasil (crédito: GBC Brasil) Marcos Casado O selo LEED está presente em 132 países desenvolvendo o mercado de construções sustentáveis. Trata-se de um selo que comprova a sustentabilidade de um empreendimento por meio da comprovação de uma série de critérios que visam a redução dos impactos ambientais durante a obra e operação. Como o próprio nome já sugere,  Leadership in Energy and Environmental Design , um desses critérios é a eficiência energética. Essa preocupação vem do fato de o setor imobiliário ser responsável pelo consumo de 41% da energia elétrica gerada. Em um empreendimento que adote medidas sustentáveis, o consumo de energia tem uma redução média de 30%. Para atingir esse patamar, mitigar os impactos no meio ambiente e obter o selo LEED, as empresas devem pensar de forma verde já em seus projetos, desde a impla

Refrigeração passiva e aquecimento solar para a certificação LEED Prata

Elas podem ser as protagonistas de uma residência. Principalmente quando são inteligentes, ou seja, planejadas para se destacar não só pela beleza, mas também pela eficiência. Montadas com elementos modulares pré-fabricados ou com projetos feitos sob medida, as cozinhas trazem equipamentos com design moderno que facilitam a execução de tarefas. A disposição dos utensílios também contribui para deixar a cozinha mais esperta e proporcionar todo o conforto para quem curte fazer refeições especiais. Veja: A LCD Cuccina da Treselle faz parte de uma linha de armários que já vem a TV camuflada na porta de um dos módulos. Quando o aparelho está desligado, passa despercebido (Fotos: Divulgação) Na cozinha da Bontempo, as gavetas são abertas com um leve toque A designer de interiores Roberta Devisate utilizou armários que simplificam e facilitam a organização da cozinha, com gavetas que possuem espaços definidos para cada utensílio O projeto da arquiteta Estela Netto possui