Pular para o conteúdo principal

Arquitetos apostam em ideia sustentável para revitalizar praça espanhola

A estrutura gigante é considerada uma das maiores do mundo, toda feita em madeira reflorestada. Imagem: Divulgação
 
O projeto arquitetônico de revitalização da Plaza de la Encarnación, na Espanha, recebeu uma novidade sustentável. A ideia surgiu de um escritório alemão e consiste em uma estrutura gigante, considerada uma das maiores do mundo, toda feita em madeira. 
O escritório de arquitetura Jürgen Mayer H. Architects, um dos líderes da Alemanha, foi o campeão de um concurso realizado em 2004 para a revitalização da Plaza de la Encarnación, em Sevilha, Espanha.O projeto denominado “Metropol Parasol” (MP) cobre uma área de 150m x 70m.
A prioridade para os arquitetos foram as questões da forma e espaço, com materiais reutilizados. O revestimento de poliuretano protege a madeira e lhe permite respirar - uma espécie de ar condicionado natural - e a própria madeira quando queima não emite fumaças tóxicas. Para ser usada no projeto, a madeira precisava ter sido plantada de maneira sustentável, com um certificado PEFC (Programa para o Reconhecimento dos Esquemas de Certificação Florestal), concedido pelo Finnish Forest Council of Certification. O revestimento do parasol se auto-limpa necessitando de pintura a cada 20 a 25 anos.
O MP é o novo projeto ícone, um lugar de identificação e de articulação do papel de Sevilha como um dos mais fascinantes destinos culturais da Espanha. O projeto explora o potencial da Plaza de la Encarnación de se tornar o novo centro urbano contemporâneo. Seu papel como um espaço urbano dentro do tecido denso do centro medieval da cidade, permite uma grande variedade de atividades como lazer, contemplação e comércio. Uma infraestrutura altamente desenvolvida ajuda a ativar a praça, tornando-se um destino atraente para turistas e locais.
Toda a estrutura é feita em madeira clara, coberta por uma fina camada de poliuretano. Inicialmente, o terreno seria transformado em um estacionamento, mas após descobertas arqueológicas no local, a prefeitura de Sevilha decidiu transformá-lo em um centro cultural. O edifício, que se parece com grandes cogumelos, abrigará um museu, um sítio arqueológico, uma praça elevada, bares e restaurantes, um mercado de agricultores e um terraço panorâmico no topo da estrutura. As colunas tornam-se pontos importantes de acesso ao museu abaixo, bem como para a praça e deck acima, definindo uma relação única entre o histórico e a cidade contemporânea.
O edifício é formado por peças de madeira encaixadas umas nas outras. As peças deixam um espaço livre para a passagem do sol. Além disso, as cores neutras da estrutura contrastam com as cores fortes das construções da região.
A arquitetura proposta não vai apenas criar um novo lugar de identificação para as pessoas de Sevilha, mas também articular a função da cidade como um dos destinos mais fascinantes da Espanha.
O projeto foi concebido como uma estrutura de telhado que dá sombra durante o dia, criando um microclima confortável e um lugar para relaxar. O espaço permite uma série de atividades urbanas, tais como esportes (vôlei de praia, basquete de rua, boxe etc), eventos culturais (cinema, teatro e concertos) e até mesmo usos comerciais (eventos de moda, eventos corporativos, apresentações), que enfatizam o papel da Praça como um dos principais lugares da cidade para comunicação e interação.
O papel do mercado neste conceito é que reativa a vida do dia a dia. Servindo o bairro e agregando qualidade significativa para a vida diária dos habitantes da área. A infraestrutura é acessível para as pessoas de diferentes partes da cidade e ao mesmo tempo reforçará sua importância para o ambiente urbano.
Com a proposta MP, a Praça torna-se um protótipo de um novo espaço urbano que combina a vida cotidiana com novas tecnologias e novos programas. Abrangendo todo o corredor de ônibus, a estrutura ainda enfatiza a continuidade espacial da praça, um conceito que é ainda mais realçado pelo uso de mosaicos homogêneos distintos em todo o local.  
Fonte: CicloVivo

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Casas Sustentáveis

Diversos modelos e ideias ou projetos de casas sustentáveis bem legais! Divirta-se e apreciem os modelos sem moderação! Captação de água e circulação de ar que mantém a temperatura agradável.  Ideias para aplicar em casas já construídas! Telhado verde! Tendência e obrigatoriedade em alguns países! Este modelo apresenta novas tecnologias! Lâmpadas com energia eólica! Captação de água e armazenamento. Fonte: Bioconservation

AQUECEDOR SOLAR DE ÁGUA FEITO COM TUBOS DE PVC

PROJETO EXPERIMENTAL solução barata para aquecer água para banho Nota:  Aquecedor Solar de Água com o coletor solar feito com tubos de PVC: Criação, pesquisa e desenvolvimento por Edison Urbano. Obs.: Esse projeto foi baseado na tecnologia do ASBC - Sigla que caracteriza o Aquecedor Solar de Baixo Custo, projeto originalmente elaborado pela equipe da ONG Sociedade do Sol que, para a confecção do seu coletor térmico solar, usa placas alveolares de PVC (normalmente usadas para construções de forros). ÍNDICE INTRODUÇÃO Energia Elétrica - consumo sustentável. Formas simples para economizar energia elétrica. Estudo do consumo de energia elétrica por um chuveiro elétrico Explicações gerais do projeto experimental do Aquecedor Solar de água feito com tubos de PVC próprios para água potável. Aprendendo a dimensionar um Aquecedor Solar feito com tubos de PVC. MONTAGEM do(s) COLETOR(es) MONTAGEM do COLETOR feito com TUBOS de PVC Obs.: as medidas podem ser alt

Como Assentar um Piso Drenante?

O piso drenante não é apenas um piso pré moldado em placas de concreto drenante, é na verdade um sistema que engloba os materiais de assentamento formando uma escala granulométrica que drena as águas pluviais para o solo. As placas de piso não podem ser assentadas diretamente sobre a terra, pois a mesma irá entupir os vazios da placa de concreto evitando o correto funcionamento. A placa drenante deve ser assentada em um colchão drenante da seguinte forma de acordo com o manual técnico da Segato Pisos do Brasil: -Espalhar sobre o solo compactado uma camada de brita de aproximadamente 12cm de espessura. -Sobre a camada de brita, espalhar uma camada de Areia de aproximadamente 7cm de espessura. -Fazer colocação das placas usando uma linha de nylon para orientar no alinhamento e nivelamento. -A colocação tem que ser feita de forma que as peças fiquem travadas. Seguindo essas regras, teremos um piso ecologicamente correto podendo participar dos projetos com princípios