Pular para o conteúdo principal

Pesquisadores desenvolvem plástico que se decompõe na composteira

plastico-capa.jpg
O novo plástico poderá ser jogado na composteira e se desintegrará em alguns meses/Foto: Inhabitat

Pesquisadores do Imperial College de Londres descobriram uma forma de utilizar os açúcares encontrados em árvores de crescimento rápido e gramíneas para criar um polímero que pode ser usado para fazer plástico. Depois do uso, esse material pode ser jogado na composteira comum e se desintegrará em alguns meses.
Este tipo de plástico biorenovável é diferente dos biopolímeros, já utilizados no lugar do plástico derivado do petróleo. Enquanto o antigo é feito a partir de processos como a fermentação bacteriana ou da introdução de genes bacterianos em plantas, o novo produto é feito a partir da extração de um polímero da glicose encontrada em diversos tipos de plantas, como grama e bambu.
Como essas espécies não utilizam áreas de produção de alimento, seu uso pode ajudar a reduzir a polêmica em torno da utilização de plantas como milho e cana de açúcar – matéria-prima dos biopolímeros.
“Nosso objetivo era encontrar uma maneira de utilizar uma cultura não-alimentar para formar o polímero, pois há questões éticas em torno de usar fontes de alimento para esse fim”, afirmou o responsável pela equipe de pesquisa, Dr. Charlotte Williams.
Os cientistas têm trabalhado no projeto há mais de três anos e só agora começaram a ter bons resultados. Os progressos estão especialmente destacados na redução do consumo de água e energia utilizadas durante o processo de fabricação do plástico. Os pesquisadores acreditam que a economia por chegar 80% em relação ao processo atual.

plastico-02.jpgplastico-02.jpgplastico-02-1.jpg
Outra vantagem da descoberta é a sua capacidade ser compostada em condições normais enquanto os biopolímeros precisam passar por processos especiais de biodegradação. “Os açucares desses novos polímeros, ricos em oxigênio, permitem que ele absorva a água e se degrade em produtos inofensíveis – o que significa que ele pode ser jogado na composteira caseira e utilizado como adubo no jardim”, afirmam os pesquisadores.

Por ser feito a partir de materiais baratos ou residuais, esse material também se destaca economicamente em comparação ao plástico petroquímico.
Novas aplicações
“O polímero tem uma vasta gama de propriedades, que estabelece o campo aberto para um maior número de aplicações que não sejam embalagens plásticas biorenováveis. Suas propriedades degradáveis o tornam ideal para aplicações médicas especializadas, como a regeneração dos tecidos, malhas e entrega de remédios. O polímero mostrou ser atóxico para as células e se decompõe no corpo criando subprodutos inofensivos”, informam.
Agora a equipe do Imperial College está focada no desenvolvimento das características materiais específicas necessárias para a fabricação de embalagem e de produtos da área médica.
“O desenvolvimento do material é muito promissor e eu estou otimista de que a tecnologia pode estar em uso dentro de dois a cinco anos”, diz Williams, que já está trabalhando com um número de parceiros comerciais e se diz disposto a envolver outras pessoas interessadas no material.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Casas Sustentáveis

Diversos modelos e ideias ou projetos de casas sustentáveis bem legais! Divirta-se e apreciem os modelos sem moderação! Captação de água e circulação de ar que mantém a temperatura agradável.  Ideias para aplicar em casas já construídas! Telhado verde! Tendência e obrigatoriedade em alguns países! Este modelo apresenta novas tecnologias! Lâmpadas com energia eólica! Captação de água e armazenamento. Fonte: Bioconservation

Política dos 5 R's e Consumo Consciente

A politica dos 5Rs, são as possíveis acções práticas que no dia a dia, podem reduzir o impacto no meio ambiente, através do estímulo ao consumo consciente. São elas: 1 - Repensar os hábitos de consumo Pense na real necessidade da compra daquele produto, antes de comprá-lo. Depois de consumi-lo, separe as embalagens, matéria orgânica e óleo de cozinha usado. Deite no lixo apenas o que não for reutilizável ou reciclável. Evite o desperdício de alimentos. Use produtos de limpeza biodegradáveis. Prefira embalagens de papel e papelão. Adquira produtos recicláveis ou produzidos com matéria-prima reciclada, durável e resistente. Utilize lâmpadas economizadoras e pilhas recarregáveis ou alcalinas. Mude seus hábitos de consumo. 2- Recusar produtos que prejudicam o meio ambiente e a saúde Compre apenas produtos que não agridem o meio ambiente e a saúde. Fique atento ao prazo de validade e escolha as fábricas e empresas que têm compromissos com a ecologia. Evite o excesso de sacos

AQUECEDOR SOLAR DE ÁGUA FEITO COM TUBOS DE PVC

PROJETO EXPERIMENTAL solução barata para aquecer água para banho Nota:  Aquecedor Solar de Água com o coletor solar feito com tubos de PVC: Criação, pesquisa e desenvolvimento por Edison Urbano. Obs.: Esse projeto foi baseado na tecnologia do ASBC - Sigla que caracteriza o Aquecedor Solar de Baixo Custo, projeto originalmente elaborado pela equipe da ONG Sociedade do Sol que, para a confecção do seu coletor térmico solar, usa placas alveolares de PVC (normalmente usadas para construções de forros). ÍNDICE INTRODUÇÃO Energia Elétrica - consumo sustentável. Formas simples para economizar energia elétrica. Estudo do consumo de energia elétrica por um chuveiro elétrico Explicações gerais do projeto experimental do Aquecedor Solar de água feito com tubos de PVC próprios para água potável. Aprendendo a dimensionar um Aquecedor Solar feito com tubos de PVC. MONTAGEM do(s) COLETOR(es) MONTAGEM do COLETOR feito com TUBOS de PVC Obs.: as medidas podem ser alt