Pular para o conteúdo principal

O Que são Construções Sustentáveis?


Tornar a construção civil uma atividade menos impactante ao meio ambiente, desenvolvendo projetos que usam racionalmente os recursos naturais, sem deixar de atender plenamente as necessidades humanas é um dos princípios da Ambiência Soluções Sustentáveis. Com sua equipe multidisciplinar a empresa desenvolve os mais diversos projetos de construções sustentáveis para toda a gama da sociedade – sejam para novas construções ou reformas – dos quais pode-se citar: casas uni familiares; sedes de propriedades rurais; prédios residenciais multifamiliares; prédios comerciais, industriais e públicos; e instalações industriais e rurais.
Mas porque se fazer uma construção sustentável?
As construções são a extensão do ser humano, elas são a base de suas realizações e manifestações, abrigam desejos e vontades, marcam acontecimentos e encontros, revelam características únicas e próprias. Assim como a humanidade, as edificações vêm sofrendo evoluções e alterações, distanciando-se da natureza como o ser humano, chegando-se ao ponto de existirem “edifícios doentes”, responsáveis por causar alterações na saúde de seus habitantes e usuários. Atualmente a construção civil está entre as atividades humanas que mais causam impactos ambientais no mundo (Ambiente.hsw). Segundo dados da ANAB, cerca de 50% dos recursos extraídos da natureza são destinados ao setor; e especificamente no caso do Brasil, é responsável pelo consumo de cerca de 40% dos recursos naturais e da energia produzida, 34% da água, 55% de madeira não certificada, além de responder pela produção de 67% da massa total de resíduos sólidos urbanos. Considerando a importância das edificações na história do homem, a relevância dos impactos causados pela construção civil e ainda que todos os processos globais estão de alguma forma interligados, a Ambiência propõe que as construções sustentáveis sejam utilizadas como ferramenta para a melhoria da consciência ambiental da população e, conseqüentemente, contribuinte à sua reaproximação da natureza.
E quais os benefícios as construções sustentáveis podem trazer?
Inúmeros são os benefícios trazidos pelas construções sustentáveis, desde a contribuição ao meio ambiente aos diversos benefícios diretos aos seus moradores e usuários. Primeiramente pode-se citar o benefício econômico, visto que segundo a ANAB a cada US$ 1,00 investido na construção de edifícios sustentáveis, em 20 anos, US$ 15,00 são retornados, sendo deste total, 74% economizados em saúde e produtividade dos ocupantes, 14% na operação e manutenção e 11% no consumo energético e hidráulico. Além disso, pode-se mencionar a melhoria na qualidade de vida, saúde e produção dos moradores e usuários. Segundo dados apresentados pela ANAB, os ocupantes de escritórios em edifícios verdes são de 2 a 16% mais produtivos; as vendas em locais com iluminação natural são até 40% maiores do que nos locais fechados (California Board for Energy Efficiency Third Party Program); e ainda, estudantes de escolas que dão prioridade à iluminação natural são em média 20% mais rápidos em provas de matemáticas e 26% em testes de leitura (According to a Heschong Mahone Group study, “Day lighting in Schools,” conducted on behalf of the CA Board for Energy Efficiency).
Entenda um pouco mais sobre as CONSTRUÇÕES SUSTENTÁVEIS        
As construções sustentáveis empregam as técnicas da bioarquitetura e são, antes de tudo, intervenções conscientes e planejadas. Buscam satisfazer as necessidades humanas, ajustando-as às condições naturais locais, empregando de forma sustentável os recursos, buscando sempre não esgotá-los, preservando-os para as gerações futuras.Como embasamento da proposição de soluções para os problemas que a própria construção criará, deve-se buscar desde o primeiro momento – na fase de planejamento – analisar o contexto global do local onde se pretende inserir a nova edificação. Deve-se considerar as condições naturais (vegetação, relevo, condições climáticas), a disponibilidade de recursos materiais e humanos e as técnicas que melhor se ajustam a cada caso.Desta forma têm-se ambientes construídos com menos impactos ambientais, com menor consumo energético e hidráulico, mais confortáveis e saudáveis para seus moradores e usuários, e sustentáveis, ou seja, são construções viáveis ambientalmente, economicamente e socialmente.Com isso, as Construções Sustentáveis passam a não ser assunto específico somente de arquitetos e engenheiros civis, uma vez que abrange conceitos mais amplos, como meio ambiente, sociologia e economia, o que torna essencial a participação uma equipe multidisciplinar capaz de abordar todos os requisitos para se ter uma edificação realmente sustentável.
Quais são seus Princípios?
Em linhas gerais, pode-se dizer que as construções sustentáveis devem basear-se em 4 grandes princípios, sendo eles:
  • Redução do impacto da obra e da operação das edificações, contemplando para isso o total planejamento, o uso racional dos recursos, o uso de técnicas e materiais menos degradantes e com maior durabilidade;
  • Contemplação das necessidades dos moradores e usuários, adequando-as às condições do meio ambiente local, promovendo a saúde e bem estar do ser humano;
  • Envolvimento da sociedade, com o emprego de materiais, técnicas e Mão de obra locais;
  • Utilização das construções sustentáveis como instrumento de educação ambiental e melhoria da consciência ambiental dos envolvidos;
.
Quais são os aspectos contemplados nas construções Sustentáveis?
Diversos são os aspectos considerados, estando presente os mais variados matérias e técnicas, sendo eles de uso histórico, tradicional ou moderno, mas que visam sempre seguir os princípios básicos das construções sustentáveis. Desta forma, pode-se dividir os aspectos considerados em dois grupos: o básico e o completo. No primeiro estão todos aqueles fatores realmente indispensáveis para quem pensa em construir uma edificação sustentável; e no segundo estão todos aqueles que vão contribuir ainda mais para o meio ambiente e para a qualidade da edificação.
O básico
  • Planejamento da obra;
  • Consideração das necessidades dos moradores e/ou usuários;
  • Análise e consideração das condições locais, abordando aspectos naturais, como vegetação, relevo e condição climática (chuva, sol e vento);
  • Análise e consideração das condições socioeconômicas locais;
  • Contemplação da boa relação com a comunidade do entorno da obra;
  • Utilização de mão de obra e materiais locais;
  • Treinamento e conscientização dos operários, demonstrando-lhes sua responsabilidade na minimização dos impactos da obra;
  • Aplicação de gestão de resíduos sólidos na obra, baseada nos princípios dos 3 R’s (redução, reutilização e reciclagem);
  • Uso racional dos recursos e materiais;
  • Emprego de técnicas e materiais que possibilitem a redução do consumo energético (como aquecedores solares) e hidráulico (como descargas e torneiras mais eficientes).
  • Uso de Madeira certificada, por contemplarem aspectos ambientais desde seu plantio até o fornecimento ao consumidor;
  • Priorização do uso de materiais não tóxicos, não nocivos ao ser humano e à natureza;
  • Utilização de ecoprodutos, materiais com baixo impacto ambiental;
  • Emprego de técnicas capazes de manter a boa qualidade do ar e o conforto térmico-acústico dos ambientes;
Completo
  • Captação e utilização da água da chuva;
  • Tratamento individual de esgoto;
  • Tratamento e reuso da água;
  • Escolha minuciosa de todos os materiais a ser utilizados;
  • Reutilização de portas, janelas, pisos e outros materiais provenientes de demolições;
  • Utilização de técnicas construtivas com o uso de materiais como tijolos em solo cimento, adobe e bambu;
  • Uso de energias renováveis para produção de energia elétrica, como solar fotovoltaica e eólica;
  • Uso de telhado jardim, por serem ótimos isolantes térmicos;
Fonte: Ambiência

    Comentários

    Postagens mais visitadas deste blog

    Casas Sustentáveis

    Diversos modelos e ideias ou projetos de casas sustentáveis bem legais! Divirta-se e apreciem os modelos sem moderação! Captação de água e circulação de ar que mantém a temperatura agradável.  Ideias para aplicar em casas já construídas! Telhado verde! Tendência e obrigatoriedade em alguns países! Este modelo apresenta novas tecnologias! Lâmpadas com energia eólica! Captação de água e armazenamento. Fonte: Bioconservation

    AQUECEDOR SOLAR DE ÁGUA FEITO COM TUBOS DE PVC

    PROJETO EXPERIMENTAL solução barata para aquecer água para banho Nota:  Aquecedor Solar de Água com o coletor solar feito com tubos de PVC: Criação, pesquisa e desenvolvimento por Edison Urbano. Obs.: Esse projeto foi baseado na tecnologia do ASBC - Sigla que caracteriza o Aquecedor Solar de Baixo Custo, projeto originalmente elaborado pela equipe da ONG Sociedade do Sol que, para a confecção do seu coletor térmico solar, usa placas alveolares de PVC (normalmente usadas para construções de forros). ÍNDICE INTRODUÇÃO Energia Elétrica - consumo sustentável. Formas simples para economizar energia elétrica. Estudo do consumo de energia elétrica por um chuveiro elétrico Explicações gerais do projeto experimental do Aquecedor Solar de água feito com tubos de PVC próprios para água potável. Aprendendo a dimensionar um Aquecedor Solar feito com tubos de PVC. MONTAGEM do(s) COLETOR(es) MONTAGEM do COLETOR feito com TUBOS de PVC Obs.: as medidas podem ser alt

    Como Assentar um Piso Drenante?

    O piso drenante não é apenas um piso pré moldado em placas de concreto drenante, é na verdade um sistema que engloba os materiais de assentamento formando uma escala granulométrica que drena as águas pluviais para o solo. As placas de piso não podem ser assentadas diretamente sobre a terra, pois a mesma irá entupir os vazios da placa de concreto evitando o correto funcionamento. A placa drenante deve ser assentada em um colchão drenante da seguinte forma de acordo com o manual técnico da Segato Pisos do Brasil: -Espalhar sobre o solo compactado uma camada de brita de aproximadamente 12cm de espessura. -Sobre a camada de brita, espalhar uma camada de Areia de aproximadamente 7cm de espessura. -Fazer colocação das placas usando uma linha de nylon para orientar no alinhamento e nivelamento. -A colocação tem que ser feita de forma que as peças fiquem travadas. Seguindo essas regras, teremos um piso ecologicamente correto podendo participar dos projetos com princípios