Translate

Google Translate
Arabic Korean Japanese Chinese Simplified Russian Portuguese
English French German Spain Italian Dutch

Quem sou eu

Minha foto

Pesquisadora nas áreas de sustentabilidade e saúde da habitação. Tem como objetivo projetar e prestar consultoria a clientes com interesse na busca pelo Viver Saudável, uma interação equilibrada entre meio ambiente, pessoas  e o Lar em que habitam.

Fale Conosco

- Deixe seu comentário ou envie um e-mail: celinalago@hotmail.com
- Se desejar receber as novidades do site seja um seguidor que o envio é automático.
- A sua participação é muito importante. Só assim, unidos conseguiremos reverter o processo de destruição planetária pelo qual estamos passando e encontrar um equilíbrio saudável.

Muita Luz e Amor,

Celina Lago

27 de jun de 2012

Cornell Plantations Welcome Center

Refrigeração passiva e aquecimento solar para a certificação LEED Prata

O novo edifício confunde-se com a paisagem do entorno
(crédito: Divulgação)
O Jardim Botânico da Universidade de Cornell fica próximo a uma estrada que serpenteia um desfiladeiro profundo e estreito, passando por alguns dos mais ousados elementos da arquitetura no campus. Mas, ao contrário das formas concretas acrobáticos do Herbert F. Johnson Museum of Art, de 1973, o centro de visitantes recentemente concluído é uma presença discreta e quase invisível na paisagem . "É quase como uma redoma de vidro que desceu e capturou um pouco do jardim", diz Jon Neuert, sócio da Baird Sampson Neuert, de Toronto. "Você pode literalmente ver através do edifício." A empresa projetou as instalações da Cornell Plantations, no campus Ithaca em New York.
Mas para além de toda a sua preocupação com o meio ambiente, o Brian C. Nevin Welcome Center reúne uma gama de utilidades, como banheiros e bebedouros, alojadas em uma estrutura de 550 metros quadrados, além das áreas de orientação e exposições. Além disso, foi necessário criar acessos para portadores de necessidades especiais à sala de aula, um café e espaço para eventos. O objetivo era a conquista da certificação LEED Prata. 

A equipe de design implantou a estrutura de aço de dois andares entre uma colina incrustrada em uma ladeira e um prédio do século 19, usado para pesquisas e funções administrativas. A empresa de paisagismo Halvorson Design Partnership trabalhou com gramíneas baixas, pontuadas por plantações mais esculturais, incluindo equinácea e falso índigo.

Uma ponte com largura suficiente para acomodar um caminhão de bombeiros, desemboca em uma alameda para pedestres que leva ao centro de boas-vindas, onde continua em linha reta através da construção de um conjunto de portas de vidro, antes de desembocar nos jardins dos fundos. A parte fechada é alcançada através de um átrio de pé direito duplo. Uma série de vitrines de vidro, com mapas e informações sobre o jardim botânico, separa o caminho até a recepção, um café e uma loja de presentes que se abre para um terraço. Escadas paralelas levam ao interior e exterior da fachada norte do projeto, no segundo andar do edifício onde está a sala de aula, que se abre para uma área plana no topo da colina.

A sala de aula é o único espaço climatizado do projeto, usando um sistema de refrigeração passiva. A área entre a antiga escola e o centro de boas-vindas possui um microclima próprio que a torna mais fria no verão do que outras partes do site. Na fachada oriental foram instaladas janelas mecanicamente controladas. Juntamente com as clarabóias do átrio e uma fileira de janelas operáveis no teto, elas criam um efeito de chaminé, puxando o ar resfriado.


Grelhas curvas de ipê também contribuem para a climatização do projeto, oferecendo sombreamento no verão e permitindo a entrada da luz durante os invernos frios de Ithaca. O edifício combate o frio através de um sistema de aquecimento de piso radiante, alimentado por caldeiras de alta eficiência e por  coletores solares térmicos instalado sobre um telhado verde. Durante o primeiro inverno de vida do edifício, os coletores responderam satisfatoriamente por 12 a 15 por cento das suas necessidades de aquecimento. 
A combinação de refrigeração passiva e aquecimento solar, dispositivos de baixo fluxo nos banheiros, e uso de pedra de origem local, entre outras características, colocam o projeto em vias de exceder os requisitos do cliente, com possibilidade de receber a certificação LEED Platinum.
Mas com cerca de um ano de uso, algumas distorções foram apresentadas no dia-a-dia do edifício. A sala de conferências do segundo andar apresentou deficiências na circulação do ar no verão e os arquitetos elaboraram planos para adicionar ar condicionado para esse espaço. O cliente também adicionou sombreamento adicional para as fachadas envidraçadas com o objetivo de reduzir o brilho no inverno e conter o ganho de calor solar no verão
.


Principais parâmetros
Localização: Ithaca, New York
Área: 550 m2
Conclusão: Janeiro de 2011
Custo: US$ 5,68 milhões 
Utilização anual de energia adquirida (com base em simulação): 2.065 MJ/m2, redução de 39% a partir do caso base
Pegada de carbono anual (previsto): 144 kg CO2/m2
Fonte: Greensource            Via: Portal EA