Translate

Google Translate
Arabic Korean Japanese Chinese Simplified Russian Portuguese
English French German Spain Italian Dutch

Quem sou eu

Minha foto

Pesquisadora nas áreas de sustentabilidade e saúde da habitação. Tem como objetivo projetar e prestar consultoria a clientes com interesse na busca pelo Viver Saudável, uma interação equilibrada entre meio ambiente, pessoas  e o Lar em que habitam.

Fale Conosco

- Deixe seu comentário ou envie um e-mail: celinalago@hotmail.com
- Se desejar receber as novidades do site seja um seguidor que o envio é automático.
- A sua participação é muito importante. Só assim, unidos conseguiremos reverter o processo de destruição planetária pelo qual estamos passando e encontrar um equilíbrio saudável.

Muita Luz e Amor,

Celina Lago

9 de out de 2011

Aeroporto em Minnesota terá climatização geotérmica

Tecnologia reduzirá emissões de gases de efeito estufa

O novo terminal de Duluth
(crédito: Divulgação)
O novo terminal de passageiros do Aeroporto Internacional de Duluth, Minnesota, já estava sendo construído com uma abordagem sustentável e visando a certificação LEED. Inicialmente orçado em 70 milhões dólares,  as características sustentáveis do projeto poderão se aprofundar. É que a Administração Federal de Aviação (Federal Aviation Administration) aportou mais US$ 3,8 milhões ao empreendimento.
O aporte veio através do de um programa voluntário de baixas emissões de aeroportos (Voluntary Airports Low Emissions Program) e é o primeiro atribuído a um aeroporto em Minnesota, o que permitirá que sistemas geotérmicos de aquecimento e refrigeração sejam instalados no novo terminal.
Além disso, serão instaladas unidades de pré-climatização dos aviões estacionados nos portões de embarque, poupando custos das companhias aéreas e reduzindo significativamente as emissões nocivas ao meio ambiente. Normalmente esta função é cumprida por unidades auxiliares de energia que consomem combustível de aviação ou óleo diesel. A economia para as companhias aéreas, nos próximos 20 anos, poderá chegar a US$ 1,8 milhões.
O sistema geotérmico, que utiliza a temperatura latente subterrânea do solo para aquecer um edifício no inverno e arrefecer no verão, vai exigir a perfuração de 80 poços a uma profundidade de 150 metros nas imediações do terminal.
A expectativa é que o sistema geotérmico traga uma economia de US$ 30.000 anuais em gastos com energia, em comparação aos sistemas tradicionais de resfriamento e aquecimento. A autoridade aeroportuária já havia estudado a possibilidade de usar um sistema geotérmico antes do início da construção, mas descartou-a devido ao longo tempo de retorno do investimento. O programa voluntário de baixas emissões viabilizou o sistema.
A verba de US$ 3,8 milhões cobrirá parte do custo total do sistema geotérmico, que é de US$ 5,2 milhões no total. Os restantes US $ 1,4 milhões serão cobertos por fundos do estado e da autoridade aeroportuária local. O novo terminal está previsto para ser concluído até o final de 2013.