Translate

Google Translate
Arabic Korean Japanese Chinese Simplified Russian Portuguese
English French German Spain Italian Dutch

Quem sou eu

Minha foto

Pesquisadora nas áreas de sustentabilidade e saúde da habitação. Tem como objetivo projetar e prestar consultoria a clientes com interesse na busca pelo Viver Saudável, uma interação equilibrada entre meio ambiente, pessoas  e o Lar em que habitam.

Fale Conosco

- Deixe seu comentário ou envie um e-mail: celinalago@hotmail.com
- Se desejar receber as novidades do site seja um seguidor que o envio é automático.
- A sua participação é muito importante. Só assim, unidos conseguiremos reverter o processo de destruição planetária pelo qual estamos passando e encontrar um equilíbrio saudável.

Muita Luz e Amor,

Celina Lago

21 de ago de 2011

Projeto Residencial de oito casas de madeira da Vila Taguaí


Daniel Ducci

Situado a 22 km do centro de São Paulo, o projeto residencial de oito casas de madeira da Vila Taguaí, em Carapicuíba (SP), da arquiteta Cristina Xavier, foi concebido como uma alternativa inovadora de construção de novos espaços de moradia e ocupação de áreas verdes na periferia.

Em um vale densamente arborizado, com declive de 35% e face Leste, a implantação da Vila mantém o terreno natural o máximo possível: as oito casas são elevadas do solo criando terraços nos jardins, as árvores são preservadas e novas serão plantadas reforçando a vegetação nativa e as vias de circulação de veículos são pavimentadas com pedras mantendo a permeabilidade do solo. Os espaços de uso privativo ainda são integrados ao espaço de uso coletivo - um grande jardim - por meio de terraços e caminhos de pedestres.

As edificações utilizam o máximo de iluminação e ventilação natural (com as maiores aberturas voltadas para as faces norte/leste e as menores para oeste; controlando a insolação, permitindo a iluminação natural dos ambientes e criando o efeito chaminé) e possuem aquecimento de água com energia solar. A vila encontra-se num vale que precisa ser preservado - as águas pluviais são captadas e encaminhadas ao córrego existente. Os esgotos são tratados em estação dentro do condomínio para posterior uso nos vasos sanitários e irrigação.

A madeira é o material que possui o melhor desempenho diante das grandes questões deste século: energia e meio-ambiente. Sua produção depende apenas da energia solar e, além disso, florestas manejadas combatem o efeito estufa e geram empregos de qualidade na floresta, evitando a migração para as grandes cidades e também promovendo o desenvolvimento econômico da região produtora. Desta forma, ela foi a escolida para o projeto. Utilizando de modo racional a madeira proveniente de áreas de manejo sustentável da Amazônia, o projeto trabalhou com as premissas de aliar tecnologia inovadora de baixo custo e fácil execução.

Uma estreita colaboração entre Engenharia e Arquitetura viabilizou a pesquisa deste sistema construtivo, que se baseia em painéis de madeira para paredes, lajes de piso e lajes de cobertura. A dimensão dos painéis pode variar em largura de 0,20m a 3,00m, seguindo uma modulação de 10 em 10 cm, e em altura, de 1m a 5,50m. Foram projetados para favorecer o aproveitamento de peças de madeira maciça de menores dimensões e, ao mesmo tempo, se adequar a diferentes projetos arquitetônicos. As dimensões finais de cada painel facilitam a pré-fabricação na oficina, o armazenamento, o transporte e a montagem em obra.

As oito casas e três plantas-tipo com áreas entre 129 e 173m² com um ou dois pavimentos, criam espaços multifuncionais em residências compactas, viabilizando assim, a pesquisa do sistema construtivo. As unidades possuem acesso direto em nível ao pavimento estar e terraço. As casas sendo de madeira e suspensas têm bom desempenho térmico e evitam a umidade vinda do solo criando um terraço sombreado junto aos jardins.

Vila Taguaí: 
Estrada Taguaí, 402 - Carapicuíba (SP)
Área do terreno - 12.051 m²; 
Área construída - 1.249 m²
Custos aproximados: R$ 3.000.000 (terreno + projeto +  obra)
Equipe:Arquitetura: Cristina Xavier (autora); Henrique Fina, Lucia Hashizume e João Xavier (colaboradores)
Estrutura: Helio Olga
Fundações: Luis Fernando MeirellesElétrica: 
SandretecHidráulica: HagaplanConstrução: Ita Construtora
Fotografias: Daniel Ducci

Fonte: Arqbacana