Pular para o conteúdo principal

Governo corta a já pífia verba de parques federais


O Governo Federal reduziu o orçamento do ICMBio (Instituto Chico Mendes), que toma conta dos parques nacionais, em 30%. O valor que era de R$ 557,8 milhões previstos para o ano foi reduzido para  R$ 388,7 milhões. Para comparação, em 2010 foram gastos R$ 461 milhões.
Com o corte, vários projetos e parques foram prejudicados. Talvez o mais importante dos projetos seja o Parques da Copa que, como o nome anuncia, revitalizaria parques perto das cidades-sede da Copa 2014 para gerar incentivo ao turismo ecológico.
Isso ainda acontece um ano antes do país sediar a conferência sobre desenvolvimento sustentável Rio +20. Para o presidente do ICMBio, Rômulo Mello, “o que a gente gasta, considerando a área, é uma gozação”. O gasto por hectare é de R$ 2, que pode subir até R$ 5 se for inclusa a folha de pagamento. Uma vergonha, já que em ordem de grandeza, até a Costa Rica gasta mais do que isso.
Se a comparação for com os EUA, que estão no furacão da crise, a coisa fica ainda mais ridícula: R$ 145 por hectare protegido é o que dispõe o NPS (National Park Service), algo semelhante ao nosso ICMBio. Só em 2011 foram US$ 3 bilhões de verbas federais “e a gente ainda reclama”, brinca o porta-voz do NPS, David Barna.
Parques da Amazônia recebem doações internacionais e conseguem amenizar o problema da falta de verba. Renato Dumont, diretor do parque dos Campos Amazônicos, diz que “No ano passado, 70% da verba veio do Arpa”. O sistema entrega doações para 64 unidades espalhadas pela floresta. E ainda há quem não goste do dinheiro internacional na região.
Para outros 12 parques, ainda existe outra forma de conseguir verba: A venda de ingressos. As duas unidades mais ricas do país, Parque da Tijuca (onde fica o Cristo Redentor) e o Parque Nacional de Brasília, conseguiram arrecadar R$ 13 milhões e R$ 1,1 milhão respectivamente. Mas nada é perfeito, já que eles arrecadam mais e gastam mais. Amauri Motta, diretor do Parque de Brasília, diz que a demanda no parque que administra é cinco ou seis vezes maior que a verba.
Carlos Eduardo Young, economista da UFRJ, diz que a situação é uma oportunidade perdida. Para ele e outros economistas, só em visitação as unidades de conservação poderiam gerar R$ 1,8 bilhão por ano. Sendo que, em 2009, só o ICMS ecológico (imposto que alguns Estados destinam a municípios com unidades de conservação) arrecadou R$ 402 milhões, enquanto no mesmo ano o ICMBio gastou R$ 322 milhões.
A importância de investir na área de turismo ambiental é enorme já que teremos eventos esportivos mundiais por pelo menos metade dessa década. É uma pena que o governo não pense assim.

Fonte: Folha | Imagem via     Via: Eco4planet

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Casas Sustentáveis

Diversos modelos e ideias ou projetos de casas sustentáveis bem legais! Divirta-se e apreciem os modelos sem moderação! Captação de água e circulação de ar que mantém a temperatura agradável.  Ideias para aplicar em casas já construídas! Telhado verde! Tendência e obrigatoriedade em alguns países! Este modelo apresenta novas tecnologias! Lâmpadas com energia eólica! Captação de água e armazenamento. Fonte: Bioconservation

AQUECEDOR SOLAR DE ÁGUA FEITO COM TUBOS DE PVC

PROJETO EXPERIMENTAL solução barata para aquecer água para banho Nota:  Aquecedor Solar de Água com o coletor solar feito com tubos de PVC: Criação, pesquisa e desenvolvimento por Edison Urbano. Obs.: Esse projeto foi baseado na tecnologia do ASBC - Sigla que caracteriza o Aquecedor Solar de Baixo Custo, projeto originalmente elaborado pela equipe da ONG Sociedade do Sol que, para a confecção do seu coletor térmico solar, usa placas alveolares de PVC (normalmente usadas para construções de forros). ÍNDICE INTRODUÇÃO Energia Elétrica - consumo sustentável. Formas simples para economizar energia elétrica. Estudo do consumo de energia elétrica por um chuveiro elétrico Explicações gerais do projeto experimental do Aquecedor Solar de água feito com tubos de PVC próprios para água potável. Aprendendo a dimensionar um Aquecedor Solar feito com tubos de PVC. MONTAGEM do(s) COLETOR(es) MONTAGEM do COLETOR feito com TUBOS de PVC Obs.: as medidas podem ser alt

Como Assentar um Piso Drenante?

O piso drenante não é apenas um piso pré moldado em placas de concreto drenante, é na verdade um sistema que engloba os materiais de assentamento formando uma escala granulométrica que drena as águas pluviais para o solo. As placas de piso não podem ser assentadas diretamente sobre a terra, pois a mesma irá entupir os vazios da placa de concreto evitando o correto funcionamento. A placa drenante deve ser assentada em um colchão drenante da seguinte forma de acordo com o manual técnico da Segato Pisos do Brasil: -Espalhar sobre o solo compactado uma camada de brita de aproximadamente 12cm de espessura. -Sobre a camada de brita, espalhar uma camada de Areia de aproximadamente 7cm de espessura. -Fazer colocação das placas usando uma linha de nylon para orientar no alinhamento e nivelamento. -A colocação tem que ser feita de forma que as peças fiquem travadas. Seguindo essas regras, teremos um piso ecologicamente correto podendo participar dos projetos com princípios