Pular para o conteúdo principal

Fábrica faz sucesso com telhas de embalagem longa vida



Embalagens longa vida já foram vilãs do meio ambiente. Hoje não são mais. A empresa Eco-Lógica do Distrito Federal comprova essa realidade. Ela é especializada na fabricação de telhas e placas feitas com os componentes dessas embalagens, cuja principal fornecedora no país é a Tetra Pak.


A tecnologia que separa seus componentes - papel, plástico (polietileno) e alumínio - foi desenvolvida pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT)da Universidade de São Paulo (USP) e já está sendo aplicada em outros países. Ela permite à multinacional destinar corretamente seus resíduos. “Sempre gostei de reciclagem. Todos deviam se preocupar e contribuir para a reciclagem e reaproveitamento de tudo que for possível”, afirma Ivanildo Rezende, diretor da Eco-Lógica.

A fábrica foi fundada há um ano e meio e está localizada em Vicente Pires, uma das regiões administrativas da capital federal. No momento, o empreendimento ocupa área de 450 m² e conta com equipe de quatro funcionários. A história da fábrica começou no dia em que Ivanildo conheceu duas telhas feitas com embalagens longa vida e as colocou à venda.
A Eco-Lógica começou vendendo 20 telhas por semana. Hoje a fábrica comercializa 50 telhas/dia.

Na época, ele comprava e revendia sobras de desmanches de casas e demolições em geral. Ele sabia o quanto as telhas de cerâmica e amianto eram problemáticas, pois se danificavam facilmente, não eram reaproveitadas e iam parar em lixões e aterros. “Quando conheci as telhas Tetra Pak, me apaixonei”, declara o empresário.

O empresário viajou para São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais atrás de equipamento que pudesse separar e reciclar as embalagens longa vida. “São necessárias 1,5 mil caixas longa vida para se fazer uma telha”, informa. “Elas são excelentes para substituir as telhas de amianto, condenadas e proibidas em vários países”, comenta.

Ivanildo conta que inicialmente a Tetra Pak não o autorizou a produzir as telhas. “Achei que era só montar a fábrica”, revela. Depois de algum tempo e trâmites, foi aceito e a multinacional o treinou e disponibilizou consultor, que o orientou na montagem do empreendimento. Atualmente existem 30 fábricas como a Eco-Lógica em todo o país, que juntas produzem cerca de 100 mil telhas/mês.

A Tetra Pak fornece a matéria-prima a todas elas, que chega de São Paulo (SP) , custando R$ 250/tonelada. O equipamento chamado Hidrapulper separa o alumínio do polietileno. Nem sempre o frete dos caminhões, que transporta as embalagens longa vida até as fábricas, é cobrado, explica o empresário.


Clientela e benefícios

A clientela das telhas feitas com embalagens longa vida não para de crescer no DF. Inicialmente era composta por home centers, lojas e consumidores de baixa renda. Hoje, projetos arquitetônicos elaborados, que não expõem os telhados, dão preferência ao produto. “ As nossas telhas têm durabilidade de 30 anos, segundo a ABNT, e promovem conforto térmico, reduzindo 50% do calor. Sem falar que ela é antirruído, resistente à chuva de granizo e antichama”, ressalta.

Outra vantagem, que ele faz questão de destacar, é o fato das telhas recicladas não serem descartadas em aterros. “Nossa telha vira telha de novo. Ela vem da reciclagem e pode voltar a ser reciclada muitas vezes”, enfatiza. Ivanildo conta que investiu R$ 500 mil, por meio de empréstimos pessoais. Ele diz que não conseguiu crédito nas instituições financeiras públicas.

Tecnologia nacional

A tecnologia responsável pela segregação dos materiais das embalagens longa vida (20% de plástico, 5% de alumínio e 75% de papel) e fabricação de telhas é 100% brasileira e foi desenvolvida pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) da Universidade de São Paulo (USP). Ela é conhecida como tecnologia de plasma. “Esta tecnologia está sendo exportada para outros países”, informa Ivanildo.
A Tetra Pak está presente em 170 países. A telha de embalagens longa vida mede 2,20m X 90 cm e tem ondulação como as telhas de amianto. Uma custa R$ 35 e sua colocação é rápida e mais barata do que as convencionais de cerâmica e amianto, pois são leves, exigem menos estrutura e não se quebram, segundo o empresário.

A Eco-Lógica começou vendendo 20 telhas por semana. Hoje a fábrica comercializa 50 telhas/dia. A empresa está dobrando o turno dos funcionários e vai adquirir mais equipamentos para aumentar a produção. A meta é chegar a produzir 100 telhas/dia, nos próximos meses. Ivanildo faz cursos e recebe consultorias do Sebrae DF. Ele afirma que está muito satisfeito com empreendimento e que aprende muito com os técnicos da instituição. “Nossa meta é crescer no segmento de reciclagem, contribuindo sempre com o meio ambiente”, enfatiza. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Casas Sustentáveis

Diversos modelos e ideias ou projetos de casas sustentáveis bem legais! Divirta-se e apreciem os modelos sem moderação! Captação de água e circulação de ar que mantém a temperatura agradável.  Ideias para aplicar em casas já construídas! Telhado verde! Tendência e obrigatoriedade em alguns países! Este modelo apresenta novas tecnologias! Lâmpadas com energia eólica! Captação de água e armazenamento. Fonte: Bioconservation

AQUECEDOR SOLAR DE ÁGUA FEITO COM TUBOS DE PVC

PROJETO EXPERIMENTAL solução barata para aquecer água para banho Nota:  Aquecedor Solar de Água com o coletor solar feito com tubos de PVC: Criação, pesquisa e desenvolvimento por Edison Urbano. Obs.: Esse projeto foi baseado na tecnologia do ASBC - Sigla que caracteriza o Aquecedor Solar de Baixo Custo, projeto originalmente elaborado pela equipe da ONG Sociedade do Sol que, para a confecção do seu coletor térmico solar, usa placas alveolares de PVC (normalmente usadas para construções de forros). ÍNDICE INTRODUÇÃO Energia Elétrica - consumo sustentável. Formas simples para economizar energia elétrica. Estudo do consumo de energia elétrica por um chuveiro elétrico Explicações gerais do projeto experimental do Aquecedor Solar de água feito com tubos de PVC próprios para água potável. Aprendendo a dimensionar um Aquecedor Solar feito com tubos de PVC. MONTAGEM do(s) COLETOR(es) MONTAGEM do COLETOR feito com TUBOS de PVC Obs.: as medidas podem ser alt

Como Assentar um Piso Drenante?

O piso drenante não é apenas um piso pré moldado em placas de concreto drenante, é na verdade um sistema que engloba os materiais de assentamento formando uma escala granulométrica que drena as águas pluviais para o solo. As placas de piso não podem ser assentadas diretamente sobre a terra, pois a mesma irá entupir os vazios da placa de concreto evitando o correto funcionamento. A placa drenante deve ser assentada em um colchão drenante da seguinte forma de acordo com o manual técnico da Segato Pisos do Brasil: -Espalhar sobre o solo compactado uma camada de brita de aproximadamente 12cm de espessura. -Sobre a camada de brita, espalhar uma camada de Areia de aproximadamente 7cm de espessura. -Fazer colocação das placas usando uma linha de nylon para orientar no alinhamento e nivelamento. -A colocação tem que ser feita de forma que as peças fiquem travadas. Seguindo essas regras, teremos um piso ecologicamente correto podendo participar dos projetos com princípios