Pular para o conteúdo principal

Meus novos rumos profissionais - André Trigueiro

Depois de 15 anos à frente do Jornal das Dez, chegou a hora de encarar novos desafios


Amigos,

15 anos passam rápido. Lembrar que passei um terço da minha existência à frente do Jornal das Dez é algo que me deixa sinceramente emocionado. Nesse período vivi dois casamentos, escrevi 4 livros, criei dois cursos universitários, virei comentarista de rádio, ganhei alguns prêmios que muito me honram, perdi pessoas muito queridas como minha mãe e ganhei duas filhas “postiças” (Larissa e Rachel). Ainda assim, a impressão é a de que o tempo voou.

Olhando para trás, lembro com clareza que inauguramos a Globo News naquela bancada (a convite de Alice-Maria) quando não tínhamos audiência ou patrocinadores. Era difícil até trazer alguns entrevistados para o estúdio tamanha a nossa invisibilidade nos primeiros momentos da tv por assinatura.

À frente do Jornal das Dez ajudamos a consolidar a linguagem, o jeito de fazer escalada, de chamar os repórteres, de conduzir uma entrevista, de encaixar cacos e improvisos, de arrematar uma informação sem TP. Fiz parte dessa história e me orgulho muito dela.

O principal telejornal da Globo News se firmou relativamente rápido, consolidou sua audiência e atraiu anunciantes importantes.

Pelo Jornal das Dez tive o privilégio de viajar a trabalho para cobrir duas copas do mundo (2002 e 2006), uma olimpíada (2000), as eleições americanas (2004), a mais importante de todas as conferências do clima em Copenhagen (2009), o aniversário do 11/9 em Nova Iorque (2011), entre outras missões tão desafiadoras quanto prazeirosas.

Foi à frente do Jornal das Dez que demos em primeira mão notícias marcantes como a morte de Lady Di (furamos a CNN!) e a 1ª eleição do Presidente Lula em 2003. Foi ali que realizamos a primeira entrevista ao vivo com o presidente da Petrobras, logo após a confirmação do mega vazamento de óleo na Baía de Guanabara em 2000.

No Jornal das Dez produzimos a primeira série da televisão brasileira sobre o Protocolo de Kioto (“Kioto: o protocolo da vida) em 2004. Promovemos o 1º comentarista de sustentabilidade da tv brasileira (aberta ou fechada), Sérgio Besserman, mais tarde cedido ao Bom Dia Rio. Entrevistamos em seguidas eleições todos os candidatos à presidência da República e varamos inúmeras madrugadas acompanhando a contagem dos votos pelo Brasil.

Tantas histórias emocionantes, tristes, engraçadas, trágicas…Difícil contar todas aqui. São lembranças que me acompanharão para sempre.

Perdi a conta de quantas entrei no estúdio rouco, gripado, febril, com coriza, e bastava acender a luz vermelha do “ao vivo” para que um novo e surpreendente ânimo sustentasse o corpo debilitado até o final do expediente. Só o meu profundo respeito pelo que esse jornal representa – e por todos os que o fazem nos bastidores – explica isso.

Devo reconhecer que meu lado eco-chato se fez presente no dia-a-dia da redação. Certa vez, voltando de férias, criei o “clube da caneca” com a distribuição gratuita de várias canecas a colegas que se comprometessem em não usar mais os copos plásticos descartáveis. Se os que ganhassem canecas fossem flagrados bebendo água em copos descartáveis teriam que devolver a mim o presente. A brincadeira deu certo e foi muito divertida. Foi constante também a mobilização em favor da reciclagem e do uso sustentável de papel em nossos afazeres jornalísticos.

Olhando para trás, vejo que em 15 anos de Jornal das Dez fiz muitos amigos, de várias gerações e com muitas visões de mundo. Pelo Jornal das Dez em particular passaram por mim alguns editores-chefe, dezenas de colegas redatores e muitos âncoras de Brasília e São Paulo. Aos poucos fui me dando conta de que o privilégio de estar neste honroso posto significava também ser testemunha ocular da história a partir de um mesmo ponto.

Pois esse ponto está mudando de lugar. Não por outra razão senão pelo fato de que a vida é feita de mudanças, e nós precisamos estar abertos às oportunidades que signifiquem novos desafios e riscos.

De minha parte, resta a gratidão.

Impossível nominar aqui todos os colegas que me ajudaram imensamente com suas críticas, sugestões, apoio, coragem e força!

Ouvi muitas vezes dentro e fora da Globo News que eu seria “a cara” do Jornal das Dez. Na verdade, eu sempre tentei ser o pregoeiro que tenta “vender o produto” confeccionado com extremo zelo e talento pelos colegas da redação. Foram eles, ao longo de todos esses anos, o coração pulsante que movimentou essa imensa e complexa estrutura que fez o Jornal das Dez ser o que é.

Aos que confiaram no meu trabalho, se arriscaram junto comigo,e suportaram meus defeitos e idiossincrasias, meu sincero agradecimento.

Continuaremos juntos na Globo News, pois que o Cidades e Soluções permanece vivo na grade sinalizando rumo e perspectivas. É um programa muito querido!

Foi uma honra e um enorme prazer fazer parte desse time. Obrigado Globo News!

Assumo em abril novas funções na Rede Globo, conforme nota assinada pelo nosso Diretor Geral de Jornalismo e Esporte, Carlos Henrique Schroder. Diz a nota: ”Trigueiro será repórter do primeiro time da rede, trabalhando preferencialmente para o Jornal Nacional, no Rio de Janeiro. Além disso, terá uma coluna sobre sustentabilidade, sua especialidade, no Jornal da Globo. E continuará a liderar o programa Cidades e Soluções, na Globo News, com o sucesso de sempre. Terá ainda um papel de destaque na cobertura da Rio+20, que ajudará a organizar.”
(a nota completa segue abaixo)

Que Deus nos abençoe.

Beijos e até breve.

André Trigueiro


Comentários

  1. Foi com grande tristeza que percebi a saída do André do jornal das 10. Eu o acompanhei desde o início, já que a compra de minha assinatura quase coincide com o programa. Sempre senti uma grande empatia com o André e descobri à pouco que compartilhamos da mesma crença religiosa. O programa perdeu muito, e não o assisto mais. Continuarei a assistir o Cidades que é ótimo, mas certamente não o acompanharei no canal 5, pois não vejo esse canal há mais de uma década e essa foi a razão da assinatura da tv por satélite. A espiritualidade tem uma razão para isso com certeza; tomara seja para o seu crescimento e felicidade. Abraços e muitas felicidades!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Casas Sustentáveis

Diversos modelos e ideias ou projetos de casas sustentáveis bem legais! Divirta-se e apreciem os modelos sem moderação! Captação de água e circulação de ar que mantém a temperatura agradável.  Ideias para aplicar em casas já construídas! Telhado verde! Tendência e obrigatoriedade em alguns países! Este modelo apresenta novas tecnologias! Lâmpadas com energia eólica! Captação de água e armazenamento. Fonte: Bioconservation

AQUECEDOR SOLAR DE ÁGUA FEITO COM TUBOS DE PVC

PROJETO EXPERIMENTAL solução barata para aquecer água para banho Nota:  Aquecedor Solar de Água com o coletor solar feito com tubos de PVC: Criação, pesquisa e desenvolvimento por Edison Urbano. Obs.: Esse projeto foi baseado na tecnologia do ASBC - Sigla que caracteriza o Aquecedor Solar de Baixo Custo, projeto originalmente elaborado pela equipe da ONG Sociedade do Sol que, para a confecção do seu coletor térmico solar, usa placas alveolares de PVC (normalmente usadas para construções de forros). ÍNDICE INTRODUÇÃO Energia Elétrica - consumo sustentável. Formas simples para economizar energia elétrica. Estudo do consumo de energia elétrica por um chuveiro elétrico Explicações gerais do projeto experimental do Aquecedor Solar de água feito com tubos de PVC próprios para água potável. Aprendendo a dimensionar um Aquecedor Solar feito com tubos de PVC. MONTAGEM do(s) COLETOR(es) MONTAGEM do COLETOR feito com TUBOS de PVC Obs.: as medidas podem ser alt

Como Assentar um Piso Drenante?

O piso drenante não é apenas um piso pré moldado em placas de concreto drenante, é na verdade um sistema que engloba os materiais de assentamento formando uma escala granulométrica que drena as águas pluviais para o solo. As placas de piso não podem ser assentadas diretamente sobre a terra, pois a mesma irá entupir os vazios da placa de concreto evitando o correto funcionamento. A placa drenante deve ser assentada em um colchão drenante da seguinte forma de acordo com o manual técnico da Segato Pisos do Brasil: -Espalhar sobre o solo compactado uma camada de brita de aproximadamente 12cm de espessura. -Sobre a camada de brita, espalhar uma camada de Areia de aproximadamente 7cm de espessura. -Fazer colocação das placas usando uma linha de nylon para orientar no alinhamento e nivelamento. -A colocação tem que ser feita de forma que as peças fiquem travadas. Seguindo essas regras, teremos um piso ecologicamente correto podendo participar dos projetos com princípios