Pular para o conteúdo principal

Instituto Ideal lança cartilha sobre eletricidade solar

Cartilha tem caráter didático e busca difundir a eletricidade solar como alternativa/Imagem: Reprodução

Levar informação e conscientização sobre a energia solar é um dos principais objetivos da Cartilha de Eletricidade Solar elaborada pelo Instituto para o Desenvolvimento de Energias Alternativas na América Latina (Ideal), sediado em Florianópolis. O guia, lançado na terça-feira, 3 de abril, foi conhecido em primeira mão pelos alunos do quinto ano do ensino fundamental do Colégio de Aplicação da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina).

Por meio da iniciativa, o instituto busca difundir o documento entre instituições de ensino, empresas de energia, governos e sociedade civil do Brasil e América Latina. O presidente do Ideal, Mauro Passos, abriu a palestra destacando que a decisão de lançar a cartilha em uma escola dentro da UFSC deve-se ao fato de a instituição ser referência em pesquisas de energia fotovoltaica no Brasil, além da possibilidade de levar aos jovens informações sobre uma fonte que será comum no futuro.

“Todos vocês entrarão em contato com a energia solar e outras fontes de energia limpa em seus cotidianos. O próprio carro elétrico será uma realidade corriqueira e as casas funcionarão como mini unidades de produção”, projetou Passos, diante de uma plateia entusiasmada.

Jovens estudantes conheceram a cartilha em primeira mão/Foto: Bárbara Sperb

Em seguida, o professor universitário e doutor em energia solar, Trajano Viana, apresentou o tema aos alunos. Ele lembrou o grande potencial brasileiro em geração de energia fotovoltaica devido à abundância de luz solar no país. Também deu exemplos de possibilidades do seu uso em regiões isoladas, nas quais não existe acesso à energia convencional. “É muito importante cultivar o interesse nas crianças e despertar sua curiosidade sobre novas fontes de energia. E eventos como este são fundamentais para incentivar o consumo da energia fotovoltaica”, frisou.

Após a palestra, os alunos receberam um exemplar da cartilha e desfrutaram de uma aula prática junto aos painéis solares instalados dentro da escola, que ajudam a abastecer a iluminação da instituição. Em tom de brincadeira, o professor Trajano conectou um painel portátil a um aparelho de rádio para exemplificar a simplicidade e a eficácia da tecnologia. O evento foi encerrado com aplausos animados da garotada, sinal de que a semente da inovação está lançada.

Sobre a Cartilha

A Cartilha de Eletricidade Solar, um livreto colorido de 20 páginas em papel reciclado, em linguagem simples e didática, explica o funcionamento da energia, as vantagens, as diferentes tecnologias e os possíveis locais de implantação. Editada em português e espanhol, será enviada para as instituições interessadas e poderá ser reimpressa e distribuída aos seus públicos no Brasil e na América Latina.

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) prepara uma regulação para geração distribuída que deve incentivar a instalação de mini-usinas em residências no Brasil, aproveitando mais uma fonte energética abundante no país. A região menos exposta à radiação solar é 40% maior do que a região mais ensolarada da Alemanha, por exemplo, um dos países que lideram o uso da energia fotovoltaica no mundo.


Fonte: Portal EcoD

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Casas Sustentáveis

Diversos modelos e ideias ou projetos de casas sustentáveis bem legais! Divirta-se e apreciem os modelos sem moderação! Captação de água e circulação de ar que mantém a temperatura agradável.  Ideias para aplicar em casas já construídas! Telhado verde! Tendência e obrigatoriedade em alguns países! Este modelo apresenta novas tecnologias! Lâmpadas com energia eólica! Captação de água e armazenamento. Fonte: Bioconservation

Como Assentar um Piso Drenante?

O piso drenante não é apenas um piso pré moldado em placas de concreto drenante, é na verdade um sistema que engloba os materiais de assentamento formando uma escala granulométrica que drena as águas pluviais para o solo. As placas de piso não podem ser assentadas diretamente sobre a terra, pois a mesma irá entupir os vazios da placa de concreto evitando o correto funcionamento. A placa drenante deve ser assentada em um colchão drenante da seguinte forma de acordo com o manual técnico da Segato Pisos do Brasil: -Espalhar sobre o solo compactado uma camada de brita de aproximadamente 12cm de espessura. -Sobre a camada de brita, espalhar uma camada de Areia de aproximadamente 7cm de espessura. -Fazer colocação das placas usando uma linha de nylon para orientar no alinhamento e nivelamento. -A colocação tem que ser feita de forma que as peças fiquem travadas. Seguindo essas regras, teremos um piso ecologicamente correto podendo participar dos projetos com princípios

Telhado de Bambu

É muito resistente quando devidamente tratado, com uma estética linda e, não se utiliza só como cobertura, mas como vedação (paredes).  Quando os bambus não são tratados, o sol e a chuva os tornam fragilizados, criando fungos e ressecamento, a durabilidade é de uns 2 ou 3 anos, dependendo da região. Mas, se souber colher no dia certo (não caruncha e dura bastante) e aplicar um spray impermeável, a duração será muito maior que três anos *Dica:  - popularmente, a lua minguante (4ºdia) é conhecida como a melhor lua para se cortar os colmos (caule) de bambu.  - Use sulfato de cobre. Fonte: Brincadeira Sustentável