Pular para o conteúdo principal

Chineses desenvolvem conceito de trem que não para em nenhuma estação.


Um dos principais problemas enfrentados pelos transportes públicos é o tempo gasto a cada parada. Afinal, em uma linha que possui 30 pontos, se o veículo fica parado 5 minutos em cada um, no final do dia haverá um período perdido de duas horas e meia que poderia ter sido utilizado no transporte de usuários.
Os chineses, determinados a resolver esse problema de eficiência, elaboraram uma técnica que promete o embarque e o desembarque de passageiros em trens de alta velocidade sem que o veículo seja obrigado a parar. Dessa forma, resolve-se o problema das paradas e distâncias longas podem ser percorridas em menos tempo.
O conceito funciona da seguinte maneira: ao entrar em uma estação, os passageiros embarcam em uma cabine conectora que se desloca em direção ao trem quando este se aproxima da estação. Assim que o contato é feito, abre-se a porta da cabine e os passageiros podem embarcar, sem que seja preciso que o trem diminua sua velocidade.
O processo de desembarque é semelhante: assim que a cabine de embarque é esvaziada, ela se desloca até o final do trem e permite a entrada dos passageiros que desejam desembarcar – quando se aproxima da próxima estação, a cabine torna a se destacar e permite que as pessoas saiam.
Assim, durante o trajeto ao menos uma cabine sempre estará conectada ao trem, responsável tanto pelo embarque quando desembarque dos passageiros. Além de o transporte de passageiros ganhar velocidade, já que dispensa qualquer parada, ganha-se também em organização.
Afinal, não é preciso ficar empurrando pessoas na hora de sair ou entrar no veículo, com medo de que ele vá partir antes que seja possível pegá-lo e descer dele. O tempo que a cabine fica na estação é muito maior do que o disponível em cada parada de um trem convencional, permitindo que os passageiros entrem e saiam de maneira organizada e segura.
Leia mais: Baixaki  

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Casas Sustentáveis

Diversos modelos e ideias ou projetos de casas sustentáveis bem legais! Divirta-se e apreciem os modelos sem moderação! Captação de água e circulação de ar que mantém a temperatura agradável.  Ideias para aplicar em casas já construídas! Telhado verde! Tendência e obrigatoriedade em alguns países! Este modelo apresenta novas tecnologias! Lâmpadas com energia eólica! Captação de água e armazenamento. Fonte: Bioconservation

AQUECEDOR SOLAR DE ÁGUA FEITO COM TUBOS DE PVC

PROJETO EXPERIMENTAL solução barata para aquecer água para banho Nota:  Aquecedor Solar de Água com o coletor solar feito com tubos de PVC: Criação, pesquisa e desenvolvimento por Edison Urbano. Obs.: Esse projeto foi baseado na tecnologia do ASBC - Sigla que caracteriza o Aquecedor Solar de Baixo Custo, projeto originalmente elaborado pela equipe da ONG Sociedade do Sol que, para a confecção do seu coletor térmico solar, usa placas alveolares de PVC (normalmente usadas para construções de forros). ÍNDICE INTRODUÇÃO Energia Elétrica - consumo sustentável. Formas simples para economizar energia elétrica. Estudo do consumo de energia elétrica por um chuveiro elétrico Explicações gerais do projeto experimental do Aquecedor Solar de água feito com tubos de PVC próprios para água potável. Aprendendo a dimensionar um Aquecedor Solar feito com tubos de PVC. MONTAGEM do(s) COLETOR(es) MONTAGEM do COLETOR feito com TUBOS de PVC Obs.: as medidas podem ser alt

Como Assentar um Piso Drenante?

O piso drenante não é apenas um piso pré moldado em placas de concreto drenante, é na verdade um sistema que engloba os materiais de assentamento formando uma escala granulométrica que drena as águas pluviais para o solo. As placas de piso não podem ser assentadas diretamente sobre a terra, pois a mesma irá entupir os vazios da placa de concreto evitando o correto funcionamento. A placa drenante deve ser assentada em um colchão drenante da seguinte forma de acordo com o manual técnico da Segato Pisos do Brasil: -Espalhar sobre o solo compactado uma camada de brita de aproximadamente 12cm de espessura. -Sobre a camada de brita, espalhar uma camada de Areia de aproximadamente 7cm de espessura. -Fazer colocação das placas usando uma linha de nylon para orientar no alinhamento e nivelamento. -A colocação tem que ser feita de forma que as peças fiquem travadas. Seguindo essas regras, teremos um piso ecologicamente correto podendo participar dos projetos com princípios