Pular para o conteúdo principal

Exposição apresenta moradia sustentável projetada para favelas

exposicao
A exposição segue até o dia 8 de julho, na praça Tiradentes, Rio de Janeiro/Foto: Divulgação

Projetos desenvolvidos para modernizar favelas cariocas começaram a ser apresentados na segunda-feira, 26 de junho, na exposição Favelacity Exchange, na praça Tiradentes, centro do Rio de Janeiro. A iniciativa segue até o dia 8 de julho, com maquetes e imagens dos projetos.

Entre as propostas, baseadas em conceitos de sustentabilidade, estão construções que utilizam concreto e tijolos feitos com materiais reciclados, edificações que privilegiam a ventilação e iluminação natural e casas com sistemas de reaproveitamento de água da chuva.

Todas as iniciativas foram desenvolvidas, ao longo de um ano, por alunos dos cursos de mestrado e de doutorado em arquitetura da universidade suíça ETH Zurich, referência mundial em pesquisa multidisciplicar e educação. O grupo visitou comunidades cariocas, como a Cidade de Deus, na zona oeste, analisou as estruturas e as relações sociais já existentes por três meses e criou as propostas.

De acordo com o diretor de Estudos de Design Urbano da universidade, Rainer Hehl, o objetivo é apresentar ao poder público, às organizações sociais que atuam nesses locais e aos próprios moradores, opções de fácil implementação capazes de melhorar as condições de vida nas favelas.

“As favelas vêm se tornando um importante fator para a inclusão social com uma lógica própria de crescimento. Por isso, analisamos esse novo paradigma e criamos projetos para um desenvolvimento sustentável dessas moradias informais. A ideia da exposição é mostrar tudo isso não só para arquitetos, mas para um público maior que inclui associações de moradores e organizações não governamentais que trabalham nessas regiões para discutir e garantir acesso a informações importantes”, explicou à Agência Brasil.

Rainer Hehl acrescentou que, no caso da Cidade de Deus, o modelo de moradia sustentável proposto foi a construção de blocos de habitação cooperativa com seis proprietários. As casas podem ser construídas em cima das já existentes, mas de forma que tenham um pátio interno que permita a entrada da luz solar e viabilize a circulação do ar.

"Vimos que já existem iniciativas interessantes no local e propomos um modelo que aproveita a lógica que vem da área para atender ao crescimento da comunidade, mas de forma sustentável", afirmou.

Fonte: Portal EcoD

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Casas Sustentáveis

Diversos modelos e ideias ou projetos de casas sustentáveis bem legais! Divirta-se e apreciem os modelos sem moderação! Captação de água e circulação de ar que mantém a temperatura agradável.  Ideias para aplicar em casas já construídas! Telhado verde! Tendência e obrigatoriedade em alguns países! Este modelo apresenta novas tecnologias! Lâmpadas com energia eólica! Captação de água e armazenamento. Fonte: Bioconservation

AQUECEDOR SOLAR DE ÁGUA FEITO COM TUBOS DE PVC

PROJETO EXPERIMENTAL solução barata para aquecer água para banho Nota:  Aquecedor Solar de Água com o coletor solar feito com tubos de PVC: Criação, pesquisa e desenvolvimento por Edison Urbano. Obs.: Esse projeto foi baseado na tecnologia do ASBC - Sigla que caracteriza o Aquecedor Solar de Baixo Custo, projeto originalmente elaborado pela equipe da ONG Sociedade do Sol que, para a confecção do seu coletor térmico solar, usa placas alveolares de PVC (normalmente usadas para construções de forros). ÍNDICE INTRODUÇÃO Energia Elétrica - consumo sustentável. Formas simples para economizar energia elétrica. Estudo do consumo de energia elétrica por um chuveiro elétrico Explicações gerais do projeto experimental do Aquecedor Solar de água feito com tubos de PVC próprios para água potável. Aprendendo a dimensionar um Aquecedor Solar feito com tubos de PVC. MONTAGEM do(s) COLETOR(es) MONTAGEM do COLETOR feito com TUBOS de PVC Obs.: as medidas podem ser alt

Como Assentar um Piso Drenante?

O piso drenante não é apenas um piso pré moldado em placas de concreto drenante, é na verdade um sistema que engloba os materiais de assentamento formando uma escala granulométrica que drena as águas pluviais para o solo. As placas de piso não podem ser assentadas diretamente sobre a terra, pois a mesma irá entupir os vazios da placa de concreto evitando o correto funcionamento. A placa drenante deve ser assentada em um colchão drenante da seguinte forma de acordo com o manual técnico da Segato Pisos do Brasil: -Espalhar sobre o solo compactado uma camada de brita de aproximadamente 12cm de espessura. -Sobre a camada de brita, espalhar uma camada de Areia de aproximadamente 7cm de espessura. -Fazer colocação das placas usando uma linha de nylon para orientar no alinhamento e nivelamento. -A colocação tem que ser feita de forma que as peças fiquem travadas. Seguindo essas regras, teremos um piso ecologicamente correto podendo participar dos projetos com princípios