Pular para o conteúdo principal

GM do Brasil constrói fábrica sustentável em Joinville


Duas fábricas de motores e cabeçotes, além de transmissões estão sendo edificadas em Joinville (SC). A fábrica de motores será inaugurada até o final de 2012 e incorporará um conjunto de sistemas pioneiros nas áreas de eficiência energética e proteção ao meio ambiente, credenciando-se à certificação global do LEED (Leadership in Energy and Environmental Design).

As iniciativas, que farão dela uma fábrica sustentável, incluem o primeiro sistema de geração de energia fotovoltaica da indústria automotiva brasileira. A unidade será a primeira do Brasil a ter 100% dos resíduos industriais reciclados (“landfill free”), além de incorporar o tratamento inédito de efluentes e esgotos por meio de jardins filtrantes e reciclagem da água industrial por meio de osmose reversa, dentre outros.

“Temos muito orgulho em poder incorporar à unidade de Joinville um conjunto de sistemas e tecnologias inovadoras que farão dela uma fábrica sustentável. A GM, que completou 87 anos no Brasil, tem um compromisso com o desenvolvimento sustentável. Isso faz parte do DNA da companhia”, destaca Grace Lieblein, presidente da GM do Brasil.

Marcos Munhoz, vice-presidente da GM do Brasil, acrescenta que a empresa já supera o montante de R$ 1 bilhão em investimentos anunciados para o complexo industrial de Joinville. A primeira fábrica a entrar em operação é a de motores e cabeçotes. A segunda, anunciada em fevereiro último, produzirá transmissões a partir de 2014. “Estes investimentos consolidam a importância do Brasil no cenário automotivo internacional, como centro produtor determinado a superar desafios estruturais para ser competitivo e renova seu objetivo de continuar desenhando, montando e vendendo os melhores veículos do mundo”, acentua o executivo.

Recentemente, em evento realizado em Joinville, a diretoria da GM do Brasil, em conjunto com seus parceiros fornecedores, fez uma apresentação revelando os primeiros detalhes dos projetos na área de sustentabilidade. O encontro contou com as presenças de Marcos Munhoz, vice-presidente da GM, além de outros executivos da empresa e também do prefeito de Joinville, Carlito Merss, e outras autoridades, e os representantes das empresas Martifer e EP Engenharia.

Conjunto de iniciativas pioneiras A GM implantará na nova unidade em Joinville um conjunto amplo de iniciativas pioneiras, com sistemas e tecnologias voltadas à área da sustentabilidade, seja na operação propriamente dita da fábrica, mas também com práticas e políticas diferenciadas em relação à comunidade local.

Algumas destas ações:- Incentivo ao transporte sustentável: bicicletário, vagas exclusivas para veículos flex fuel e transporte coletivo- Uso de materiais locais, madeira certificada e materiais reciclados- Reciclagem de materiais e resíduos, compostagem de resíduos de alimentos- Proteção de taludes e plantio de 720 árvores nativas- Uso eficiente da água: torneiras e descargas de baixo fluxo e com sensor ou temporizador, reuso de água de chuva- Eficiência energética: motores de alta eficiência, iluminação natural com dimerização e lâmpadas de alto rendimento, iluminação externa com LED, materiais de baixa absorção de calor.

Com as várias ações voltadas para a área da sustentabilidade, a GM se credencia para obter, o mais rápido possível, o reconhecimento de suas iniciativas pela certificação do LEED – Leadership in Energy and Environmental Design, emitida pelo US GBC (United States Green Building Council) a mais importante organização global na avaliação de edifícios sustentáveis em termos de eficiência energética e proteção ao meio ambiente.

A fábrica de motores da GM deverá ser a primeira da GM no mundo certificada em decorrência das providências e ações tomadas no projeto e na sua construção. Este reconhecimento credenciará a fábrica da GM como uma autêntica “fábrica verde” que também será um verdadeiro modelo em proporcionar aos empregados um ambiente inovador e favorável ao trabalho.

Fonte: Tribuna do Norte / foto: divulgação       Via: Eco4planet

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Casas Sustentáveis

Diversos modelos e ideias ou projetos de casas sustentáveis bem legais! Divirta-se e apreciem os modelos sem moderação! Captação de água e circulação de ar que mantém a temperatura agradável.  Ideias para aplicar em casas já construídas! Telhado verde! Tendência e obrigatoriedade em alguns países! Este modelo apresenta novas tecnologias! Lâmpadas com energia eólica! Captação de água e armazenamento. Fonte: Bioconservation

Como Assentar um Piso Drenante?

O piso drenante não é apenas um piso pré moldado em placas de concreto drenante, é na verdade um sistema que engloba os materiais de assentamento formando uma escala granulométrica que drena as águas pluviais para o solo. As placas de piso não podem ser assentadas diretamente sobre a terra, pois a mesma irá entupir os vazios da placa de concreto evitando o correto funcionamento. A placa drenante deve ser assentada em um colchão drenante da seguinte forma de acordo com o manual técnico da Segato Pisos do Brasil: -Espalhar sobre o solo compactado uma camada de brita de aproximadamente 12cm de espessura. -Sobre a camada de brita, espalhar uma camada de Areia de aproximadamente 7cm de espessura. -Fazer colocação das placas usando uma linha de nylon para orientar no alinhamento e nivelamento. -A colocação tem que ser feita de forma que as peças fiquem travadas. Seguindo essas regras, teremos um piso ecologicamente correto podendo participar dos projetos com princípios

Telhado de Bambu

É muito resistente quando devidamente tratado, com uma estética linda e, não se utiliza só como cobertura, mas como vedação (paredes).  Quando os bambus não são tratados, o sol e a chuva os tornam fragilizados, criando fungos e ressecamento, a durabilidade é de uns 2 ou 3 anos, dependendo da região. Mas, se souber colher no dia certo (não caruncha e dura bastante) e aplicar um spray impermeável, a duração será muito maior que três anos *Dica:  - popularmente, a lua minguante (4ºdia) é conhecida como a melhor lua para se cortar os colmos (caule) de bambu.  - Use sulfato de cobre. Fonte: Brincadeira Sustentável