Pular para o conteúdo principal

GM do Brasil constrói fábrica sustentável em Joinville


Duas fábricas de motores e cabeçotes, além de transmissões estão sendo edificadas em Joinville (SC). A fábrica de motores será inaugurada até o final de 2012 e incorporará um conjunto de sistemas pioneiros nas áreas de eficiência energética e proteção ao meio ambiente, credenciando-se à certificação global do LEED (Leadership in Energy and Environmental Design).

As iniciativas, que farão dela uma fábrica sustentável, incluem o primeiro sistema de geração de energia fotovoltaica da indústria automotiva brasileira. A unidade será a primeira do Brasil a ter 100% dos resíduos industriais reciclados (“landfill free”), além de incorporar o tratamento inédito de efluentes e esgotos por meio de jardins filtrantes e reciclagem da água industrial por meio de osmose reversa, dentre outros.

“Temos muito orgulho em poder incorporar à unidade de Joinville um conjunto de sistemas e tecnologias inovadoras que farão dela uma fábrica sustentável. A GM, que completou 87 anos no Brasil, tem um compromisso com o desenvolvimento sustentável. Isso faz parte do DNA da companhia”, destaca Grace Lieblein, presidente da GM do Brasil.

Marcos Munhoz, vice-presidente da GM do Brasil, acrescenta que a empresa já supera o montante de R$ 1 bilhão em investimentos anunciados para o complexo industrial de Joinville. A primeira fábrica a entrar em operação é a de motores e cabeçotes. A segunda, anunciada em fevereiro último, produzirá transmissões a partir de 2014. “Estes investimentos consolidam a importância do Brasil no cenário automotivo internacional, como centro produtor determinado a superar desafios estruturais para ser competitivo e renova seu objetivo de continuar desenhando, montando e vendendo os melhores veículos do mundo”, acentua o executivo.

Recentemente, em evento realizado em Joinville, a diretoria da GM do Brasil, em conjunto com seus parceiros fornecedores, fez uma apresentação revelando os primeiros detalhes dos projetos na área de sustentabilidade. O encontro contou com as presenças de Marcos Munhoz, vice-presidente da GM, além de outros executivos da empresa e também do prefeito de Joinville, Carlito Merss, e outras autoridades, e os representantes das empresas Martifer e EP Engenharia.

Conjunto de iniciativas pioneiras A GM implantará na nova unidade em Joinville um conjunto amplo de iniciativas pioneiras, com sistemas e tecnologias voltadas à área da sustentabilidade, seja na operação propriamente dita da fábrica, mas também com práticas e políticas diferenciadas em relação à comunidade local.

Algumas destas ações:- Incentivo ao transporte sustentável: bicicletário, vagas exclusivas para veículos flex fuel e transporte coletivo- Uso de materiais locais, madeira certificada e materiais reciclados- Reciclagem de materiais e resíduos, compostagem de resíduos de alimentos- Proteção de taludes e plantio de 720 árvores nativas- Uso eficiente da água: torneiras e descargas de baixo fluxo e com sensor ou temporizador, reuso de água de chuva- Eficiência energética: motores de alta eficiência, iluminação natural com dimerização e lâmpadas de alto rendimento, iluminação externa com LED, materiais de baixa absorção de calor.

Com as várias ações voltadas para a área da sustentabilidade, a GM se credencia para obter, o mais rápido possível, o reconhecimento de suas iniciativas pela certificação do LEED – Leadership in Energy and Environmental Design, emitida pelo US GBC (United States Green Building Council) a mais importante organização global na avaliação de edifícios sustentáveis em termos de eficiência energética e proteção ao meio ambiente.

A fábrica de motores da GM deverá ser a primeira da GM no mundo certificada em decorrência das providências e ações tomadas no projeto e na sua construção. Este reconhecimento credenciará a fábrica da GM como uma autêntica “fábrica verde” que também será um verdadeiro modelo em proporcionar aos empregados um ambiente inovador e favorável ao trabalho.

Fonte: Tribuna do Norte / foto: divulgação       Via: Eco4planet

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Casas Sustentáveis

Diversos modelos e ideias ou projetos de casas sustentáveis bem legais! Divirta-se e apreciem os modelos sem moderação! Captação de água e circulação de ar que mantém a temperatura agradável.  Ideias para aplicar em casas já construídas! Telhado verde! Tendência e obrigatoriedade em alguns países! Este modelo apresenta novas tecnologias! Lâmpadas com energia eólica! Captação de água e armazenamento. Fonte: Bioconservation

AQUECEDOR SOLAR DE ÁGUA FEITO COM TUBOS DE PVC

PROJETO EXPERIMENTAL solução barata para aquecer água para banho Nota:  Aquecedor Solar de Água com o coletor solar feito com tubos de PVC: Criação, pesquisa e desenvolvimento por Edison Urbano. Obs.: Esse projeto foi baseado na tecnologia do ASBC - Sigla que caracteriza o Aquecedor Solar de Baixo Custo, projeto originalmente elaborado pela equipe da ONG Sociedade do Sol que, para a confecção do seu coletor térmico solar, usa placas alveolares de PVC (normalmente usadas para construções de forros). ÍNDICE INTRODUÇÃO Energia Elétrica - consumo sustentável. Formas simples para economizar energia elétrica. Estudo do consumo de energia elétrica por um chuveiro elétrico Explicações gerais do projeto experimental do Aquecedor Solar de água feito com tubos de PVC próprios para água potável. Aprendendo a dimensionar um Aquecedor Solar feito com tubos de PVC. MONTAGEM do(s) COLETOR(es) MONTAGEM do COLETOR feito com TUBOS de PVC Obs.: as medidas podem ser alt

Como Assentar um Piso Drenante?

O piso drenante não é apenas um piso pré moldado em placas de concreto drenante, é na verdade um sistema que engloba os materiais de assentamento formando uma escala granulométrica que drena as águas pluviais para o solo. As placas de piso não podem ser assentadas diretamente sobre a terra, pois a mesma irá entupir os vazios da placa de concreto evitando o correto funcionamento. A placa drenante deve ser assentada em um colchão drenante da seguinte forma de acordo com o manual técnico da Segato Pisos do Brasil: -Espalhar sobre o solo compactado uma camada de brita de aproximadamente 12cm de espessura. -Sobre a camada de brita, espalhar uma camada de Areia de aproximadamente 7cm de espessura. -Fazer colocação das placas usando uma linha de nylon para orientar no alinhamento e nivelamento. -A colocação tem que ser feita de forma que as peças fiquem travadas. Seguindo essas regras, teremos um piso ecologicamente correto podendo participar dos projetos com princípios