Translate

Google Translate
Arabic Korean Japanese Chinese Simplified Russian Portuguese
English French German Spain Italian Dutch

Quem sou eu

Minha foto

Pesquisadora nas áreas de sustentabilidade e saúde da habitação. Tem como objetivo projetar e prestar consultoria a clientes com interesse na busca pelo Viver Saudável, uma interação equilibrada entre meio ambiente, pessoas  e o Lar em que habitam.

Fale Conosco

- Deixe seu comentário ou envie um e-mail: celinalago@hotmail.com
- Se desejar receber as novidades do site seja um seguidor que o envio é automático.
- A sua participação é muito importante. Só assim, unidos conseguiremos reverter o processo de destruição planetária pelo qual estamos passando e encontrar um equilíbrio saudável.

Muita Luz e Amor,

Celina Lago

30 de ago de 2011

Sistemas construtivos Sustentáveis


 TIJOLO ECOLÒGICO
Bloco composto de terra, cimento e água prensados, os tijolos de solo-cimento constituem uma alternativa mais sustentável para a construção em alvenaria. Esses elementos, após pequeno período de cura,garantem resistência à compressão simples similar à dos tijolos maciços e blocos cerâmicos.
Em relação a um tijolo convencional apresenta uma série de vantagens:

  • Fabricado sem a queima, evita a emissão de CO²;
  • Redução na duração da obra;
  • O custo final da obra pode ser reduzido cerca de 20%;
  • Podem, em geral, ser produzidos com o próprio solo local e no canteiro de obras, reduzindo ou evitando o custo de transporte;
  • A regularidade de suas formas requer argamassa de assentamento de espessura mínima e uniforme;
  • Podem dispensar o uso de revestimento, desde que protegidos da ação direta da água, sendo, portando, recomendáveis para paredes com tijolos à vista;
  • Aceita aplicação de reboco, pintura, gesso, etc, diretamente sobre o tijolo;
  • Utilizam basicamente mão-de-obra não especializada.
  • Devido aos furos internos possui propriedades termo acústicas;
  • Permite o embutimento de tubulações elétrica e hidráulicas, evitando a quebra de parades e desperdício de material.

Taipa de Pilão

Um legado do Oriente Médio, a taipa de pilão caracterizou a arquitetura de São Paulo até a segunda metade do século 19, quando caiu em desuso com a chegada dos imigrantes, adeptos da alvenaria. Recebe esta denominação por ser socada (apiloada) com o auxílio de uma mão de pilão. A forma que sustenta o material durante sua secagem é denominada de taipal, que até hoje significa componentes laterais de formas de madeira. A taipa encontrada no período colonial brasileiro é executada com terra retirada de local próximo à construção devido às dificuldades de transporte e ao volume grande de material.
Dentro do conceito de desenvolvimento sustentável, essa técnica não pode ser esquecida porque utiliza um recurso abundante, de grande resistência e qualidade térmica, a terra.
Antes de iniciar a obra, verifica-se o tipo de solo. Nesta construção, a fundação de pedras recolhidas do terreno apóia a parede de 30 cm de espessura composta de uma mistura de terra, areia e cimento. A composição é despejada entre fôrmas de madeira tipo sanduíche, em camadas de 15 a 20 cm, e socada com um pilão até o recheio se reduzir a 10 cm.
A parede desenformada fica pronta imediatamente, tornando-se um bloco monolítico e auto-portante que serve de sistema estrutural dentro de uma construção, por sua alta resistência à compressão.

Madeira de Manejo Sustentável e de Reflorestamento

O ECOLOFT é fabricado na sua quase totalidade com madeira, um recurso natural renovável. 
A madeira contribui efetivamente para um ambiente mais sustentável. Tem propriedades únicas de absorção de dióxido de carbono que ajudam a diminuir o CO2 na atmosfera. De todos os materiais de construção disponíveis, a madeira é o único que tem um saldo de carbono positivo: absorve carbono da atmosfera, ao contrário de todos os outros, que o libertam. Uma árvore absorve quase uma tonelada de CO2 por cada metro cúbico de seu  crescimento. Este CO2, retido na madeira, continua afastado da atmosfera mesmo quando a madeira é transformada em produto acabado. E é ainda importante salientar que se trata de um produto passível de ser reutilizado e reciclado.
Não existe outro material utilizado na construção que necessite de tão pouca energia na sua produção: terra, água e energia solar são suficientes. Em suma, trata-se de um material de baixo valor de energia incorporada.

Placas Ecotop

Vedação de áreas molhadas feita com painéis produzidos a partir de materiais 100% reciclados. São compostos por 25% de alumínio e 75% de plástico provenientes de tubos de creme dental, material de difícil degradação na natureza, e seus processos de fabricação não geram nenhum tipo de efluentes ou poluentes atmosféricos. Possuem alta resistência, grande durabilidade e geram isolamento termo acústico.   
Tijolo ecológicoTaipaMadeira de manejoEcoplacaKit Telhado verdeTelhado verde
Fonte: CRIA