Pular para o conteúdo principal

Norte-americano cria lâmpada de plástico flexível mais sustentável que o LED



Feita de plástico maleável, a lâmpada não quebra e pode ser moldada em diversos formatos. | Foto: Divulgação
 
David Carroll, professor de física na Universidade de Wake Forrest, nos EUA, criou uma nova lâmpada de plástico flexível. A tecnologia, batizada de FIPEL, é mais econômica e mais duradoura que o LED, e não utiliza mercúrio e nem resíduos cáusticos.

A nova fonte de iluminação promete ser mais eficiente que o LED. Além de emitir uma luminosidade mais intensa do que os produtos atualmente disponíveis no mercado, a FIPEL é uma lâmpada produzida apenas com plástico, que não quebra, como as convencionais, e nem derrete, como os LEDs. Além disso, por ser flexível, o material é capaz de ser moldado em diversas formas, permitindo diferentes usos na decoração de ambientes.

Embora a FIPEL seja mais brilhante do que o LED, a luminosidade é menos artificial e não agride os olhos, ao contrário das outras lâmpadas. Isso acontece porque o material tenta reproduzir a luz solar natural, a qual os olhos já estão acostumados. No entanto, é possível alterar as cores do plástico, conferindo mais um recurso decorativo.

A eficiência da FIPEL fica por conta das três camadas plásticas que formam a lâmpada. Compostas por nanopartículas, as partes ficam aquecidas quando a corrente elétrica passa por elas. Outra vantagem desta fonte de luz é a sua composição, que não contém mercúrio e nem substâncias cáusticas, que contaminam o meio ambiente e podem causar danos à saúde das pessoas.

Carroll e sua equipe ainda afirmam que cada exemplar pode durar mais de dez anos com a mesma intensidade de quando foi comprada. A intenção dos criadores é fazer com que a mesma luz tenha aplicações diferentes, seja nas residências, na iluminação pública, em cenários teatrais, em bares ou casas noturnas.

A universidade ainda não firmou todos os acordos comerciais, entretanto, é possível que os primeiros exemplares cheguem ao mercado no ano que vem. Carroll ainda afirma que a FIPEL tem baixos custos de produção. Com informações do TreeHugger.

Fonte: Ciclo Vivo

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Casas Sustentáveis

Diversos modelos e ideias ou projetos de casas sustentáveis bem legais! Divirta-se e apreciem os modelos sem moderação! Captação de água e circulação de ar que mantém a temperatura agradável.  Ideias para aplicar em casas já construídas! Telhado verde! Tendência e obrigatoriedade em alguns países! Este modelo apresenta novas tecnologias! Lâmpadas com energia eólica! Captação de água e armazenamento. Fonte: Bioconservation

AQUECEDOR SOLAR DE ÁGUA FEITO COM TUBOS DE PVC

PROJETO EXPERIMENTAL solução barata para aquecer água para banho Nota:  Aquecedor Solar de Água com o coletor solar feito com tubos de PVC: Criação, pesquisa e desenvolvimento por Edison Urbano. Obs.: Esse projeto foi baseado na tecnologia do ASBC - Sigla que caracteriza o Aquecedor Solar de Baixo Custo, projeto originalmente elaborado pela equipe da ONG Sociedade do Sol que, para a confecção do seu coletor térmico solar, usa placas alveolares de PVC (normalmente usadas para construções de forros). ÍNDICE INTRODUÇÃO Energia Elétrica - consumo sustentável. Formas simples para economizar energia elétrica. Estudo do consumo de energia elétrica por um chuveiro elétrico Explicações gerais do projeto experimental do Aquecedor Solar de água feito com tubos de PVC próprios para água potável. Aprendendo a dimensionar um Aquecedor Solar feito com tubos de PVC. MONTAGEM do(s) COLETOR(es) MONTAGEM do COLETOR feito com TUBOS de PVC Obs.: as medidas podem ser alt

Como Assentar um Piso Drenante?

O piso drenante não é apenas um piso pré moldado em placas de concreto drenante, é na verdade um sistema que engloba os materiais de assentamento formando uma escala granulométrica que drena as águas pluviais para o solo. As placas de piso não podem ser assentadas diretamente sobre a terra, pois a mesma irá entupir os vazios da placa de concreto evitando o correto funcionamento. A placa drenante deve ser assentada em um colchão drenante da seguinte forma de acordo com o manual técnico da Segato Pisos do Brasil: -Espalhar sobre o solo compactado uma camada de brita de aproximadamente 12cm de espessura. -Sobre a camada de brita, espalhar uma camada de Areia de aproximadamente 7cm de espessura. -Fazer colocação das placas usando uma linha de nylon para orientar no alinhamento e nivelamento. -A colocação tem que ser feita de forma que as peças fiquem travadas. Seguindo essas regras, teremos um piso ecologicamente correto podendo participar dos projetos com princípios