Translate

Google Translate
Arabic Korean Japanese Chinese Simplified Russian Portuguese
English French German Spain Italian Dutch

Quem sou eu

Minha foto

Pesquisadora nas áreas de sustentabilidade e saúde da habitação. Tem como objetivo projetar e prestar consultoria a clientes com interesse na busca pelo Viver Saudável, uma interação equilibrada entre meio ambiente, pessoas  e o Lar em que habitam.

Fale Conosco

- Deixe seu comentário ou envie um e-mail: celinalago@hotmail.com
- Se desejar receber as novidades do site seja um seguidor que o envio é automático.
- A sua participação é muito importante. Só assim, unidos conseguiremos reverter o processo de destruição planetária pelo qual estamos passando e encontrar um equilíbrio saudável.

Muita Luz e Amor,

Celina Lago

10 de abr de 2012

Instituto Ideal lança cartilha sobre eletricidade solar

Cartilha tem caráter didático e busca difundir a eletricidade solar como alternativa/Imagem: Reprodução

Levar informação e conscientização sobre a energia solar é um dos principais objetivos da Cartilha de Eletricidade Solar elaborada pelo Instituto para o Desenvolvimento de Energias Alternativas na América Latina (Ideal), sediado em Florianópolis. O guia, lançado na terça-feira, 3 de abril, foi conhecido em primeira mão pelos alunos do quinto ano do ensino fundamental do Colégio de Aplicação da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina).

Por meio da iniciativa, o instituto busca difundir o documento entre instituições de ensino, empresas de energia, governos e sociedade civil do Brasil e América Latina. O presidente do Ideal, Mauro Passos, abriu a palestra destacando que a decisão de lançar a cartilha em uma escola dentro da UFSC deve-se ao fato de a instituição ser referência em pesquisas de energia fotovoltaica no Brasil, além da possibilidade de levar aos jovens informações sobre uma fonte que será comum no futuro.

“Todos vocês entrarão em contato com a energia solar e outras fontes de energia limpa em seus cotidianos. O próprio carro elétrico será uma realidade corriqueira e as casas funcionarão como mini unidades de produção”, projetou Passos, diante de uma plateia entusiasmada.

Jovens estudantes conheceram a cartilha em primeira mão/Foto: Bárbara Sperb

Em seguida, o professor universitário e doutor em energia solar, Trajano Viana, apresentou o tema aos alunos. Ele lembrou o grande potencial brasileiro em geração de energia fotovoltaica devido à abundância de luz solar no país. Também deu exemplos de possibilidades do seu uso em regiões isoladas, nas quais não existe acesso à energia convencional. “É muito importante cultivar o interesse nas crianças e despertar sua curiosidade sobre novas fontes de energia. E eventos como este são fundamentais para incentivar o consumo da energia fotovoltaica”, frisou.

Após a palestra, os alunos receberam um exemplar da cartilha e desfrutaram de uma aula prática junto aos painéis solares instalados dentro da escola, que ajudam a abastecer a iluminação da instituição. Em tom de brincadeira, o professor Trajano conectou um painel portátil a um aparelho de rádio para exemplificar a simplicidade e a eficácia da tecnologia. O evento foi encerrado com aplausos animados da garotada, sinal de que a semente da inovação está lançada.

Sobre a Cartilha

A Cartilha de Eletricidade Solar, um livreto colorido de 20 páginas em papel reciclado, em linguagem simples e didática, explica o funcionamento da energia, as vantagens, as diferentes tecnologias e os possíveis locais de implantação. Editada em português e espanhol, será enviada para as instituições interessadas e poderá ser reimpressa e distribuída aos seus públicos no Brasil e na América Latina.

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) prepara uma regulação para geração distribuída que deve incentivar a instalação de mini-usinas em residências no Brasil, aproveitando mais uma fonte energética abundante no país. A região menos exposta à radiação solar é 40% maior do que a região mais ensolarada da Alemanha, por exemplo, um dos países que lideram o uso da energia fotovoltaica no mundo.


Fonte: Portal EcoD