Translate

Google Translate
Arabic Korean Japanese Chinese Simplified Russian Portuguese
English French German Spain Italian Dutch

Quem sou eu

Minha foto

Pesquisadora nas áreas de sustentabilidade e saúde da habitação. Tem como objetivo projetar e prestar consultoria a clientes com interesse na busca pelo Viver Saudável, uma interação equilibrada entre meio ambiente, pessoas  e o Lar em que habitam.

Fale Conosco

- Deixe seu comentário ou envie um e-mail: celinalago@hotmail.com
- Se desejar receber as novidades do site seja um seguidor que o envio é automático.
- A sua participação é muito importante. Só assim, unidos conseguiremos reverter o processo de destruição planetária pelo qual estamos passando e encontrar um equilíbrio saudável.

Muita Luz e Amor,

Celina Lago

14 de out de 2013

FACHADAS VEGETAIS

As paredes cobertas com plantas surgem como um novo conceito de cobertura de paredes e telhados, maximizando a utilização do bem mais escasso nas cidades, o espaço.
Países como Alemanha ou França já utilizam essa modalidade que além disso outorgam um valor estético adicionando muitas vantagens ambientais.
Um jardim vertical consiste em revestir paredes e telhados com plantas que crescem sem nenhum tipo de solo, como acontece com as epífitas, os musgos, liquens, orquídeas, samambaias e bromélias, também chamadas  de plantas aéreas que se usam como suporte outras espécies em vez de se enraizarem ao solo. Para isso empregamos fibras sintéticas específicas associadas a racks.
Os jardins verticais são leves e podem ser instalados no exterior dos edifícios e em diferentes climas, criando assim superfícies vegetais que servem de filtros de ar e reguladores térmicos, reduzindo até 8° a temperatura exterior y até 10 decibéis a poluição sonora.
Jardines verticales Urbanarbolismo.


JARDINS VERTICAIS DE INTERIOR

Também é factível a integração as integração de espaços verdes em interiores criando-se espaços que favorecem a relação com o meio ambiente. Qualquer espaço é suscetível de ser plantado.
Entre seus benefícios se encontram poupança de energia graças a combinação entre sombra, evapotranspiração e efeitos de isolamento que se traduzem em uma conta mais barata de energia na hora de se refrigerar o quarto em que está localizado.
Cada jardim vertical possui uma grande capacidade de fixar CO2, e em adição liberar oxigênio. Determinadas espécies vegetais utilizadas nos sistemas absorvem contaminantes específicos produzidos por nossos objetos do cotidiano. Em escritórios e casas podemos encontrar muitas substâncias químicas como o formaldeido, o benzeno e o tricloroetileno, que são a causa de problemas diversos de saúde como também o monóxido de carbono.

BENEFÍCIOS DOS JARDINS VERTICAIS

Benefícios para o meio ambiente:

  • Reduzem o efeito da ilha de calor das grandes cidades. (Prof. Hiroyki Yamada).
  • Reduzem até 5° a temperatura interior de um edifício no verão, assim como a mantém no inverno, economizando assim com os gastos de energia. (Akira Hoyano (Professor, Tokyo Institute of Tecnology).
  • Reduzem inundações já que retém boa parte da água da chuva em tempestades.
  • Habilitam espaços urbanos não utilizados.
  • Consomem pouca água já que é um circuito fechado de água.
  • Não atraem nem permitem a proliferação de insetos e bactérias já que o sistema contém repelente biológico.
Benefícios para a Saúde:

  • 1m² de cobertura vegetal produz o oxigênio requerido por uma pessoa para o ano todo. (Darlington, 2001).
  • 1m² de cobertura vegetal captura 10 gramas de poeira por ano. (Darlington, 2001).
  • Em um edifício de 4 andares com 60m², com uma fachada feita nesse sistema, irá filtrar 40 toneladas de gases nocivos por ano. (Wolverton et al.1989).
  • Em um edifício de 4 andares com 60m², com uma fachada feita nesse sistema é capaz de capturar e processar 15kg de metais pesados. (Darlington, 2001).
  • Melhora o rendimento e reduz mal estares das pessoas que tem vegetação em seu local de trabalho. (Lohr et al. 1996; Bringslimark, et al. 2007).
  • O isolamento vegetal reduz até 10 decibéis a poluição sonora. . (Akira Hoyano (Professor, Tokyo Institute of Tecnology).
Os Sistemas Construtivos:

Os muros desse sistema são um reticulado feito com materiais artificiais que permitem as plantas assentarem-se verticalmente, e por gravidade, obtendo seus nutrientes. Os sistemas utilizados são:
1.      Sistema f + p
 Trata-se do sistema mais utilizado por sua rapidez de montagem, baixo peso e facilidade de manutenção.
O Sistema consiste em um simples revestimento de painéis impermeáveis sobre o qual é colocada uma camada sintética que forma um sustrato por onde corre uma soluão hidropônica.
A vegetação é plantada ou substituída muito facilmente, sem necessidade de afetar o resto do jardim. As instalações funcionam entre as paredes e a camada de substrato de modo que a manutenção ou a substituição é simples.
Evolución en 6 meses (de octubre de 2009 a marzo 2010) del jardín vertical en Getafe.


2.      Ar Condicionado Vegetal:
Este sistema apresenta muito mais vantagens do que outros sistemas, o valor agregado de atuar como refrigerador e filtro de ar do espaço em que estiver instalado.
A operação é simples, o ar é recirculado através do sistema de ventilação e retorna a habitação através da fachada vegetal passando através do substtrato plantado e da vegetação.
O arquivo em pdf específico sobre o sistema de ar condicionado vegetal está disponível na web, onde se pode consultar as vantagens de energia e econômicas deste sistema. Seu consumo energético é 100 vezes menor do que um sistema de ar condicionado tradicional.
 3.      Sistema Nébula:
Esse sistema é formado por um agrupamento de plantas aéreas: tillandsias. Essa família de plantas obtém a água e os nutrientes que necessita, do ar, e por isso, não é necessário nenhum tipo de instalação de rega nem de aporte de nutrientes.
A principal janela desse sistema é a mínima manutenção que se pode realizar mediante pulverizadores manuais ou com nebulizadores, o que cria em torno as fachada uma pequena nuvem que forma parte de sua estética. Trata-se de um sistema especialmente recomendado para interiores.


PROJETOS EXECUTADOS:

Jardim Vertical. Restaurante Els Vents.

Os jardins verticais do restaurante “Els Vents” constituem a primeira fachada vegetal construída em interior, na Espanha. Esta fachada permitiu ao restaurante ter presença na televisão e uma grande afluência de público.
É curioso que na Espanha tenham criado grandes projetos de edifícios representativos como o do CaixaForum e não tenham utilizado fachadas vegetais em seus interiores, onde seu funcionamento é melhor, diminui o consumo de energia e água, e os usuários se beneficiam diretamente das vantagens ambientais que proporciona.

O Jardim Vertical escondido de Getafe.

O jardim recobre a torre de ventilação que cobre o supermercado que fica situado no pátio interno do bloco, essa construção do jardim foi devido a um pedido dos vizinhos para melhorar a paisagem interna da cobertura do supermercado.
Cria uma paisagem interior singular dentro do pátio e contribuí para regular a temperatura e a qualidade do ar.
As quatro orientações tem sido um desafio para a equipe de urbanarborismo-paisagismo já que tanto as espécies vegetais como a irrigação varia em função da orientação. Para surpresa de todos a vida se rompe no feltro e começaram a surgir espécies de musgo espontaneamente que colaboraram com as plantas existentes nesse eco-sistema vertical.

Totens:

Os totens são pequenas versões móveis de um jardim vertical que levam inclusos o sistema de fertirrigação. Podem ser alugadas ou adquiridas e são apropriadas para a conformação de stands ou em inaugurações de locais.
Para alcançar sua independência de uma completa instalação de rega dos totems utilizam  a mais moderna tecnologia em fertirrigação, o que os coloca como os primeiros jardins verticais móveis da Europa.
Os totens podem ser agrupados de várias maneiras diferentes para criar um efeito de um jardim vertical de grande proporção.

Perguntas Freqüentes:

Aparecem insetos nos jardins verticais?

Não, os produtos naturais utilizados no sistema de rega impedem sua aparição, seu objetivo principal é conservar a saúde das plantas.

O consumo de água não é excessivo?

O sistema de fertirrigação faz recircular a água que rega o jardim vertical, portanto o consumo é mínimo. A água utilizada retorna em qualidade ambiental do lugar esfriando o ambiente mediante evapo-transpiração.
E a manutenção?

As paredes verticais precisam apenas de pouca manutenção porque funcionam com o princípio hidropônico, o gasto de água é mínimo, já que a água que sobra é reutilizada para regas posteriores mediante um circuito fechado. A única manutenção necessária  é uma revisão periódica das instalações, assim como eventuais podas.