Translate

Google Translate
Arabic Korean Japanese Chinese Simplified Russian Portuguese
English French German Spain Italian Dutch

Quem sou eu

Minha foto

Pesquisadora nas áreas de sustentabilidade e saúde da habitação. Tem como objetivo projetar e prestar consultoria a clientes com interesse na busca pelo Viver Saudável, uma interação equilibrada entre meio ambiente, pessoas  e o Lar em que habitam.

Fale Conosco

- Deixe seu comentário ou envie um e-mail: celinalago@hotmail.com
- Se desejar receber as novidades do site seja um seguidor que o envio é automático.
- A sua participação é muito importante. Só assim, unidos conseguiremos reverter o processo de destruição planetária pelo qual estamos passando e encontrar um equilíbrio saudável.

Muita Luz e Amor,

Celina Lago

27 de out de 2013

Casa ecológica feita com 7 mil pneus é construída em São Paulo


Uma casa ecológica está em fase de construção no município de Joanópolis, no estado de São Paulo. Para construi-la serão reutilizados cerca de sete mil pneus. Também foram utilizadas três mil garrafas PET e cinco mil latinhas de alumínio.

O projeto da casa, que se iniciou em 1991, foi idealizado pelo casal Yuri e Vera Sanada, após viajarem o mundo por 12 anos em um veleiro e conhecerem mais de quarenta países. "A Casa Orgânica é o resultado de quase duas décadas de observações e experiências ao redor do mundo, em terra e no mar, resultando num lar vivo, que pode ajudar a mudar a vida das comunidades brasileiras", diz Vera.

Os pneus e latinhas compõem a parede. De acordo com o biólogo Yuri Sanada, a casa é a primeira com esse sistema no Brasil. Talvez, por isso, ela não tenha sido bem recebida pelos vizinhos. “Já teve até denúncia por causa da dengue, por causa de mau cheiro dos pneus, mas o fiscal disse ‘é perfeita, é limpa a construção, não tem mau cheiro nem nada’, a resistência inicial é muito complicada”.

Fotos: Divulgação/Casa Orgânica

Além da parede da casa, os pneus também são usados no muro, na escada e na estrutura da piscina. Há também outras paredes e lajes erguidas com garrafas plásticas. Em relação à segurança do local, os materiais usados dão a estabilidade necessária. “O pneu já é borracha com uma cinta de aço em volta, então é totalmente seguro. Quando você enche com terra do próprio local, estufa o pneu e ele pesa mais de 150 quilos. Então, é uma parede estrutural muito forte”, afirma Sanada. Segundo ele, não há uma coluna que sustenta a casa, toda a parede a sustenta.

O método adotado para fazer paredes com garrafas PET, que utiliza a garrafa de plástico, ferragens, bambu, barro e cimento para acabamento, foi apelidado de “PET a pique” fazendo alusão ao “pau a pique”, método tradicional brasileiro. “Fica totalmente resistente”, garante o biólogo. Para a iluminação foram usadas claraboias e garrafas de vidro.

Fotos: Divulgação/Casa Orgânica

A laje também foi edificada por cima da estrutura de garrafas. A casa também irá tratar o esgoto de forma biológica e economizará cerca de 60% de água se comparada a uma residência comum.

A casa ainda está em fase de construção. Ela terá 450 metros quadrados com piscina, sauna, churrasqueira e uma cobertura verde com horta.

As paredes grossas e o jardim na cobertura funcionam como um isolante térmico para a construção, que se mantem sempre na temperatura de 25 °C, não importa se esteja frio ou calor no lado de fora.

A casa deverá custar até 30% menos que uma casa comum. No site do projeto também é possível acompanhar o desenvolvimento da construção.

Confira o vídeo onde o casal mostra a casa e suas tecnicas:

Mayra Rosa - Redação CicloVivo

Fote: CicloVivo