Translate

Google Translate
Arabic Korean Japanese Chinese Simplified Russian Portuguese
English French German Spain Italian Dutch

Quem sou eu

Minha foto

Pesquisadora nas áreas de sustentabilidade e saúde da habitação. Tem como objetivo projetar e prestar consultoria a clientes com interesse na busca pelo Viver Saudável, uma interação equilibrada entre meio ambiente, pessoas  e o Lar em que habitam.

Fale Conosco

- Deixe seu comentário ou envie um e-mail: celinalago@hotmail.com
- Se desejar receber as novidades do site seja um seguidor que o envio é automático.
- A sua participação é muito importante. Só assim, unidos conseguiremos reverter o processo de destruição planetária pelo qual estamos passando e encontrar um equilíbrio saudável.

Muita Luz e Amor,

Celina Lago

5 de out de 2013

Apagador transforma pó da lousa em novos bastões de giz


Um novo dispositivo criado por uma dupla de designers converte o pó do giz dos quadros negros em um novo bastão. O equipamento, desenvolvido para as salas de aula, é um híbrido entre apagador e aspirador, que, depois de limpar a lousa, armazena os resíduos de giz, e, com um pouco de água, consegue dar formato a um novo cilindro num curto período de tempo.

Batizado de Chalkeeper, o objeto foi criado por Yonggu Do e Eunha Seo, e não só estimula o reaproveitamento do resíduo, como também reduz a poluição do ar nas salas de aula, o que evita crises alérgicas e até diminui problemas respiratórios entre alunos, professores e outros funcionários. A gravura abaixo descreve o funcionamento do dispositivo:


Além de ser usado como apagador nas lousas, o dispositivo também retira os resíduos de outras superfícies – como paredes, objetos e roupas – colaborando para a limpeza das salas de aula e reduzindo o consumo de água para lavar os ambientes e as peças do vestuário.

O Chalkeeper chegou a ser chamado de “apagador mágico”, e, quando acumula uma quantidade suficiente de resíduos de sulfato de cálcio, depende apenas de um pouco de água e calor, elementos que provocam reações químicas capazes de transformar o dispositivo num tipo de fábrica portátil de giz. Desenvolvido em 2011, o produto ainda é conceitual e não tem previsão de ser comercializado.

Fonte: CicloVivo