Pular para o conteúdo principal

PELE DUPLA PROTEGE EDIFICAÇÃO E PERMITE VENTILAÇÃO NATURAL

O VOLUME CONTORCIDO E ENVIDRAÇADO ABRIGA AS INSTALAÇÕES DO CENTRO TECNOLÓGICO DE ENERGIA SUSTENTÁVEL, DEDICADO À PESQUISA DE FONTES ENERGÉTICAS ALTERNATIVAS E TÉCNICAS SUSTENTÁVEIS DE CONSTRUÇÃO. COMPOSTO POR EDIFÍCIO DE CINCO PAVIMENTOS E EMBASAMENTO SUBTERRÂNEO, ELE SOMA 1,3 MIL METROS QUADRADOS DE ÁREA CONSTRUÍDA E DEU À EQUIPE DE MARIO CUCINELLA ARCHITECTS, EM 2008, O PRÊMIO SUÍÇO MIPIM/GREEN BUILDING.

Durante uma apresentação no Brasil de projetos desenvolvidos na Europa e na Ásia pelo escritório franco-italiano, o arquiteto Luca Bertacchi se referiu ao paradigma da eficiência energética e da sustentabilidade do ambiente construído com uma espécie de afirmação interrogativa. Embora a responsabilidade ambiental se apresente como a grande oportunidade criativa para a arquitetura neste início de século, a ela corresponderia uma nova linguagem?, questionou o arquiteto.

A julgar pela exposição que Bertacchi fez sobre o Centro Tecnológico de Energia Sustentável(CSET, sigla do nome em inglês), a resposta é não. Embora se trate de edifício impactante, marcado pela geometria irregular de fachadas envidraçadas que se flexionam tridimensionalmente por meio das angulações de um quadrado disforme, os mecanismos de sustentabilidade e eficiência energética são visualmente discretos, por vezes até subterrâneos ou isolados da edificação.


A cidade chinesa de Ningbo tem 6 milhões de habitantes e é suscetível a condições climáticas extremas. Verão e inverno rigorosos fazem parte do cotidiano do CSET, implantado em área ribeirinha do grande lago que atravessa o campus chinês da Universidade de Nottingham, do Reino Unido, a que ele pertence. A figura do leque e dos biombos translúcidos, tradicionais naarquitetura oriental, serviram de inspiração aos arquitetos, que utilizaram o artifício da fachada dupla para proteger os interiores das bruscas variações de temperatura e permitir a ventilação natural em estações climáticas amenas. A pele externa, constituída por vidro laminado e impresso, minimiza a incidência solar e o ofuscamento dos interiores; a fachada interna, feita com dupla camada de concreto, atua no sentido de manter a temperatura média computada em ciclos diários.

O vazio perimetral que percorre todo o volume da edificação possibilita a ventilação natural tanto no inverno quanto no verão, sem a contrapartida negativa do resfriamento ou aquecimento em decorrência do contato com o ar externo. A saída do ar frio incidente pela base da fachada dupla é induzida através da abertura das chaminés localizadas na cobertura. No verão, direciona-se o ar dos exteriores, já aquecido por mecanismo alimentado por energia solar, do topo em direção à base da edificação. A cobertura verde do subsolo atua de modo similar, colaborando para o conforto térmico dos laboratórios e da sala de exposições nele localizada. Tanto o edifício quanto seu embasamento são atendidos, portanto, por mecanismos naturais - ou passivos, como se costuma denominá-los - de bom desempenho energético.

A energia geotérmica foi outro recurso explorado pelo projeto da equipe do estúdio de Mario Cucinella: a temperatura constante da terra, transmitida aos interiores através de tubulações subterrâneas e da laje radiante do piso do subsolo, pode resfriar ou aquecer convenientemente os ambientes.

Quanto ao aporte de fontes de energia eólica e fotovoltaica para a iluminação artificial, o trunfo do projeto, sob a perspectiva da sustentabilidade, extrapola sua linguagem de impacto. Não é a estética que importa, alertou Bertacchi, referindo-se à necessidade de pensar a profissão em um sistema amplo, no qual a arquitetura atua como mediadora.











Ficha técnica
Centro Tecnológico de Energia Sustentável
Local Ningbo, China
Início do projeto 2006
Conclusão da obra 2008
Área construída 1.200 m2
Arquitetura Mario Cucinella Architects - Mario Cucinella, Elizabeth Francis, Angelo Agostini e David Hirsch (autores); Eva Cantwell, Francesco Fulvi, Giuseppe Perrone e Luca Stramigioli (colaboradores); Richard Ceccanti (3D); Caterina Maciocco (software STRL) ; Debora Venturi (estratégias ambientais)
Estratégias ambientais Universidade de Nottingham/Reino Unido - Brian Ford, Saffa Riffat, Rosa Schiano e Mauricio Hernandez Tascon
Estrutura Luca Turrini
Gerenciamento Universidade de Nottingham/Reino Unido - Chris Jagger; Universidade de Nottingham/China - Charles Lee e Orlando Shi
Equipamentos e tecnologias energéticas Universidade de Nottingham/China - Jo Darkwa Arquiteto local Guo Xiao Hui
Construção WEG
Luminotécnica Tifs Engineers e Roberto Zecchin
Fotos Daniele Domenicali

Fonte: Arcoweb

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Política dos 5 R's e Consumo Consciente

A politica dos 5Rs, são as possíveis acções práticas que no dia a dia, podem reduzir o impacto no meio ambiente, através do estímulo ao consumo consciente. São elas: 1 - Repensar os hábitos de consumo Pense na real necessidade da compra daquele produto, antes de comprá-lo. Depois de consumi-lo, separe as embalagens, matéria orgânica e óleo de cozinha usado. Deite no lixo apenas o que não for reutilizável ou reciclável. Evite o desperdício de alimentos. Use produtos de limpeza biodegradáveis. Prefira embalagens de papel e papelão. Adquira produtos recicláveis ou produzidos com matéria-prima reciclada, durável e resistente. Utilize lâmpadas economizadoras e pilhas recarregáveis ou alcalinas. Mude seus hábitos de consumo. 2- Recusar produtos que prejudicam o meio ambiente e a saúde Compre apenas produtos que não agridem o meio ambiente e a saúde. Fique atento ao prazo de validade e escolha as fábricas e empresas que têm compromissos com a ecologia. Evite o excesso de sacos

Casas Sustentáveis

Diversos modelos e ideias ou projetos de casas sustentáveis bem legais! Divirta-se e apreciem os modelos sem moderação! Captação de água e circulação de ar que mantém a temperatura agradável.  Ideias para aplicar em casas já construídas! Telhado verde! Tendência e obrigatoriedade em alguns países! Este modelo apresenta novas tecnologias! Lâmpadas com energia eólica! Captação de água e armazenamento. Fonte: Bioconservation

AQUECEDOR SOLAR DE ÁGUA FEITO COM TUBOS DE PVC

PROJETO EXPERIMENTAL solução barata para aquecer água para banho Nota:  Aquecedor Solar de Água com o coletor solar feito com tubos de PVC: Criação, pesquisa e desenvolvimento por Edison Urbano. Obs.: Esse projeto foi baseado na tecnologia do ASBC - Sigla que caracteriza o Aquecedor Solar de Baixo Custo, projeto originalmente elaborado pela equipe da ONG Sociedade do Sol que, para a confecção do seu coletor térmico solar, usa placas alveolares de PVC (normalmente usadas para construções de forros). ÍNDICE INTRODUÇÃO Energia Elétrica - consumo sustentável. Formas simples para economizar energia elétrica. Estudo do consumo de energia elétrica por um chuveiro elétrico Explicações gerais do projeto experimental do Aquecedor Solar de água feito com tubos de PVC próprios para água potável. Aprendendo a dimensionar um Aquecedor Solar feito com tubos de PVC. MONTAGEM do(s) COLETOR(es) MONTAGEM do COLETOR feito com TUBOS de PVC Obs.: as medidas podem ser alt