Pular para o conteúdo principal

Empresa vende embalagem de cogumelos que vira adubo e alimento depois de usada


Uma embalagem natural e biodegradável, produzida com cogumelos e resíduos agrícolas, foi desenvolvida por estudantes do Instituto Politécnico Rensselaer, em parceria com a empresa Ecovative Design, em Nova Iorque. O material ganhou o nome de Mycobond, e pode ser usado posteriormente como adubo orgânico e até servir de alimento para os humanos. Além disso, durante a produção da embalagem, as emissões de gás carbônico são dez vezes menores do que na fabricação das embalagens convencionais.

Vendidas sob encomenda no site da empresa, as embalagens Mycobond são elaboradas com os fungos mycelium, que ficam isolados por uma semana, em local escuro com temperatura ambiente. Nestas condições, os cogumelos crescem dentro de uma estrutura de plástico, que determina o formato da embalagem. Quando fica pronta, a peça é aquecida, interrompendo o processo de crescimento dos cogumelos. No total, o processo de fabricação utiliza uma quantidade de energia oito vezes inferior à necessária para produzir embalagens convencionais – e o objetivo é diminuir ainda mais este consumo de eletricidade.

Antes de ser preparada, a embalagem passa por um processo de esterilização especial, desenvolvido em parceria com a National Sciene Foundation, importante órgão norte-americano de desenvolvimento e tecnologia. O método usa vapores especiais para retirar as impurezas encontradas nos fungos.

Agora, a equipe que desenvolveu o Mycobond realiza esforços para fazer com que a esterilização seja cada vez mais sustentável – a meta é utilizar óleos naturais extraídos da canela e do orégano para eliminar os resíduos encontrados na matéria-prima. Se a prática de esterilização sustentável der certo, o uso de energia na fabricação das embalagens será 40% inferior ao padrão de produção das embalagens convencionais.

Fonte: CicloVivo

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Casas Sustentáveis

Diversos modelos e ideias ou projetos de casas sustentáveis bem legais! Divirta-se e apreciem os modelos sem moderação! Captação de água e circulação de ar que mantém a temperatura agradável.  Ideias para aplicar em casas já construídas! Telhado verde! Tendência e obrigatoriedade em alguns países! Este modelo apresenta novas tecnologias! Lâmpadas com energia eólica! Captação de água e armazenamento. Fonte: Bioconservation

AQUECEDOR SOLAR DE ÁGUA FEITO COM TUBOS DE PVC

PROJETO EXPERIMENTAL solução barata para aquecer água para banho Nota:  Aquecedor Solar de Água com o coletor solar feito com tubos de PVC: Criação, pesquisa e desenvolvimento por Edison Urbano. Obs.: Esse projeto foi baseado na tecnologia do ASBC - Sigla que caracteriza o Aquecedor Solar de Baixo Custo, projeto originalmente elaborado pela equipe da ONG Sociedade do Sol que, para a confecção do seu coletor térmico solar, usa placas alveolares de PVC (normalmente usadas para construções de forros). ÍNDICE INTRODUÇÃO Energia Elétrica - consumo sustentável. Formas simples para economizar energia elétrica. Estudo do consumo de energia elétrica por um chuveiro elétrico Explicações gerais do projeto experimental do Aquecedor Solar de água feito com tubos de PVC próprios para água potável. Aprendendo a dimensionar um Aquecedor Solar feito com tubos de PVC. MONTAGEM do(s) COLETOR(es) MONTAGEM do COLETOR feito com TUBOS de PVC Obs.: as medidas podem ser alt

Como Assentar um Piso Drenante?

O piso drenante não é apenas um piso pré moldado em placas de concreto drenante, é na verdade um sistema que engloba os materiais de assentamento formando uma escala granulométrica que drena as águas pluviais para o solo. As placas de piso não podem ser assentadas diretamente sobre a terra, pois a mesma irá entupir os vazios da placa de concreto evitando o correto funcionamento. A placa drenante deve ser assentada em um colchão drenante da seguinte forma de acordo com o manual técnico da Segato Pisos do Brasil: -Espalhar sobre o solo compactado uma camada de brita de aproximadamente 12cm de espessura. -Sobre a camada de brita, espalhar uma camada de Areia de aproximadamente 7cm de espessura. -Fazer colocação das placas usando uma linha de nylon para orientar no alinhamento e nivelamento. -A colocação tem que ser feita de forma que as peças fiquem travadas. Seguindo essas regras, teremos um piso ecologicamente correto podendo participar dos projetos com princípios