Pular para o conteúdo principal

Rio promove fórum para incentivar uso da bicicleta como meio de transporte



O Rio de Janeiro quer chegar a 2016 com 450 quilômetros de ciclovias. | Foto: BiciRio/Divulgação
 
Reforçar a cultura da bicicleta como meio de transporte é o principal objetivo do 2º Fórum Internacional da Mobilidade por Bicicleta (BiciRio), que a Secretaria Municipal do Meio Ambiente promove a partir do próximo domingo (23), na capital fluminense.

Na última quinta-feira (20), o subsecretário municipal de Meio Ambiente do Rio, Altamirando Moraes adiantou à Agência Brasil que o evento vai começar informalmente nesta sexta-feira (21) com o lançamento do primeiro mapa cicloviário da cidade, destinado aos turistas nacionais e estrangeiros.

“Você tem todas as atrações turísticas do Rio de Janeiro e como chegar até elas de bicicleta. Tem todas as rotas. Se você tiver algum problema, há indicação de onde está delegacia, hospital, onde você pode consertar a bicicleta”. O mapa terá distribuição gratuita e informará também as regras para uso da bicicleta no município. “O mapa vai entrar no portfólio da cidade”, disse.

Segundo Moraes, a partir do próximo sábado (22), a SuperVia, concessionária que explora o transporte ferroviário urbano, a exemplo do que ocorreu com o Metrô do Rio, vai permitir a entrada gratuita de bicicletas nos trens, nos fins de semana. “A pessoa poderá entrar com sua bicicleta no trem, saltar em uma estação e fazer a complementação [do percurso] com a bicicleta”.

A programação do fórum será aberta no domingo (23), pela manhã, com um passeio ciclístico que sairá do Museu de Arte Moderna, no Parque do Flamengo, até o Mourisco, em Botafogo, retornando ao parque. O passeio já tem mais de 20 mil inscritos até agora. “Vai ser um grande passeio para incentivar e consolidar cada vez mais a questão da bicicleta como meio de transporte complementar e alternativo na cidade”.

Já na segunda-feira (24), serão feitas visitas técnicas para mostrar aos participantes do fórum que é possível fazer a integração da bicicleta com os demais meios de transporte público, “na tentativa de retirar mais veículos individuais da cidade”. No dia 25, haverá palestras e debates técnicos, no Centro Empresarial Rio. Na oportunidade, serão apresentadas experiências de projetos implantados em outras cidades do Brasil e do mundo.

A cidade do Rio de Janeiro é líder no país em quilômetros de ciclovias construídas. De acordo com Moraes, o município conta atualmente com 282 quilômetros de malha cicloviária em operação e deverá alcançar 300 quilômetros antes do final do ano. O objetivo a cada ano é somar mais 50 quilômetros, de modo a chegar a 2016 com 450 quilômetros de ciclovias. “A meta é chegar, pelo menos, a 10% das pessoas que usam a bicicleta como meio de transporte na cidade. Isso dá mais de 2 milhões de viagens de bicicleta por dia”. Hoje, são feitas um milhão de viagens diárias de bicicleta no Rio de Janeiro, considerando o sistema de bicicletas de aluguel e o deslocamento das pessoas com suas próprias “magrelas”. 

O secretário lembrou, ainda, que além de constituir uma alternativa de transporte, a bicicleta contribui para a redução dos gases de efeito estufa. Metodologia desenvolvida pelo Banco Mundial (Bird) está sendo aplicada pela secretaria para ver como o uso da bicicleta está reduzindo a emissão de gases poluentes na cidade. “A gente tem uma meta de chegar até o final do ano emitindo menos 8% do que emitia em 2005”.

O objetivo é mostrar que a cidade pode crescer de maneira sustentável. “E o uso da bicicleta contribui para isso”. Um estudo que está sendo elaborado pela prefeitura, em parceria com o Banco Mundial e a Coordenação de Programas de Pós-Graduação de Engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Coppe-UFRJ), vai calcular a diminuição de gases poluentes alcançada com a utilização da bicicleta, nos últimos anos. 

O 2º Fórum Internacional da Mobilidade por Bicicleta (BiciRio) ocorre dentro da Semana Nacional do Trânsito. A agenda técnica terá mais de 300 participantes. Ela será aberta pelo vice-presidente da Federação Europeia de Ciclismo (ECF, na sigla em inglês), Frans Van Schoot. A entidade representa mais de 100 cidades europeias e responde pela organização da Conferência Internacional Velo-City Global. O secretário acredita que a vinda de Van Schoot ao Rio pode levar esse evento mundial a ser realizado, pela primeira vez, fora da Europa, na capital fluminense. “A gente está planejando fazer isso até 2016”. 

Alana Gandra, da Agência Brasil.           Via: Ciclo Vivo

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Casas Sustentáveis

Diversos modelos e ideias ou projetos de casas sustentáveis bem legais! Divirta-se e apreciem os modelos sem moderação! Captação de água e circulação de ar que mantém a temperatura agradável.  Ideias para aplicar em casas já construídas! Telhado verde! Tendência e obrigatoriedade em alguns países! Este modelo apresenta novas tecnologias! Lâmpadas com energia eólica! Captação de água e armazenamento. Fonte: Bioconservation

AQUECEDOR SOLAR DE ÁGUA FEITO COM TUBOS DE PVC

PROJETO EXPERIMENTAL solução barata para aquecer água para banho Nota:  Aquecedor Solar de Água com o coletor solar feito com tubos de PVC: Criação, pesquisa e desenvolvimento por Edison Urbano. Obs.: Esse projeto foi baseado na tecnologia do ASBC - Sigla que caracteriza o Aquecedor Solar de Baixo Custo, projeto originalmente elaborado pela equipe da ONG Sociedade do Sol que, para a confecção do seu coletor térmico solar, usa placas alveolares de PVC (normalmente usadas para construções de forros). ÍNDICE INTRODUÇÃO Energia Elétrica - consumo sustentável. Formas simples para economizar energia elétrica. Estudo do consumo de energia elétrica por um chuveiro elétrico Explicações gerais do projeto experimental do Aquecedor Solar de água feito com tubos de PVC próprios para água potável. Aprendendo a dimensionar um Aquecedor Solar feito com tubos de PVC. MONTAGEM do(s) COLETOR(es) MONTAGEM do COLETOR feito com TUBOS de PVC Obs.: as medidas podem ser alt

Como Assentar um Piso Drenante?

O piso drenante não é apenas um piso pré moldado em placas de concreto drenante, é na verdade um sistema que engloba os materiais de assentamento formando uma escala granulométrica que drena as águas pluviais para o solo. As placas de piso não podem ser assentadas diretamente sobre a terra, pois a mesma irá entupir os vazios da placa de concreto evitando o correto funcionamento. A placa drenante deve ser assentada em um colchão drenante da seguinte forma de acordo com o manual técnico da Segato Pisos do Brasil: -Espalhar sobre o solo compactado uma camada de brita de aproximadamente 12cm de espessura. -Sobre a camada de brita, espalhar uma camada de Areia de aproximadamente 7cm de espessura. -Fazer colocação das placas usando uma linha de nylon para orientar no alinhamento e nivelamento. -A colocação tem que ser feita de forma que as peças fiquem travadas. Seguindo essas regras, teremos um piso ecologicamente correto podendo participar dos projetos com princípios