Pular para o conteúdo principal

Casa na Coreia do Sul gasta 1/8 da energia de uma construção comum



A ênfase do projeto é mostrar como é possível construir residências verdes com menos custo e sistema otimizados de fabricação. l Foto: Sergio Pirrone
 
Os arquitetos do escritório sul-coreano Unsangdong, juntamente com o Instituto Kolon de Tecnologia, projetaram uma casa passiva e certificada. Uma residência nesses padrões deve ser eficiente energeticamente e requerer baixo aquecimento e arrefecimento.

A casa foi chamada de E + Green Home e recebeu a certificação PH do instituto alemão Passivhaus. Para conseguir a aprovação do órgão é necessário que a estrutura ofereça um ambiente interno confortável a seus ocupantes gastando apenas, no máximo, 1/8 da energia dos edifícios tradicionais.

O processo de certificação da E + Green Home durou 15 meses, mas a equipe de arquitetos conseguiu alcançar os 33 itens rigorosos necessários para conseguir o selo. A casa ainda conta com outros conceitos e tecnologias sustentáveis. A ênfase do projeto é mostrar como é possível construir residências verdes com menos custo e sistema otimizados de fabricação.

A estrutura conta com 95 tecnologias diferentes para deixá-la o menos impactante possível. O primeiro ponto apresentado é o isolamento de alto desempenho e a utilização de várias janelas de densidade tripla, que proporcionam redução nos gastos energéticos. A iluminação e ventilação natural foram priorizadas para elevar a qualidade de vida dos moradores.

Os projetistas aplicaram sistemas que evitam a saída de ar pelas janelas, mantendo a temperatura interna em uma constante. Além disso, a obtenção energética é feita a partir de tecnologias que aproveitam o calor natural e a luz do sol.

A casa é inteligente e conta com monitores que controlam a concentração de CO2. Outros 450 sensores são instalados para monitorar o funcionamento das tecnologias, enquanto um sistema especial pode guardar ou combinar a produção e gasto energético para aumentar a eficiência.
Fonte: Ciclo Vivo

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Casas Sustentáveis

Diversos modelos e ideias ou projetos de casas sustentáveis bem legais! Divirta-se e apreciem os modelos sem moderação! Captação de água e circulação de ar que mantém a temperatura agradável.  Ideias para aplicar em casas já construídas! Telhado verde! Tendência e obrigatoriedade em alguns países! Este modelo apresenta novas tecnologias! Lâmpadas com energia eólica! Captação de água e armazenamento. Fonte: Bioconservation

AQUECEDOR SOLAR DE ÁGUA FEITO COM TUBOS DE PVC

PROJETO EXPERIMENTAL solução barata para aquecer água para banho Nota:  Aquecedor Solar de Água com o coletor solar feito com tubos de PVC: Criação, pesquisa e desenvolvimento por Edison Urbano. Obs.: Esse projeto foi baseado na tecnologia do ASBC - Sigla que caracteriza o Aquecedor Solar de Baixo Custo, projeto originalmente elaborado pela equipe da ONG Sociedade do Sol que, para a confecção do seu coletor térmico solar, usa placas alveolares de PVC (normalmente usadas para construções de forros). ÍNDICE INTRODUÇÃO Energia Elétrica - consumo sustentável. Formas simples para economizar energia elétrica. Estudo do consumo de energia elétrica por um chuveiro elétrico Explicações gerais do projeto experimental do Aquecedor Solar de água feito com tubos de PVC próprios para água potável. Aprendendo a dimensionar um Aquecedor Solar feito com tubos de PVC. MONTAGEM do(s) COLETOR(es) MONTAGEM do COLETOR feito com TUBOS de PVC Obs.: as medidas podem ser alt

Como Assentar um Piso Drenante?

O piso drenante não é apenas um piso pré moldado em placas de concreto drenante, é na verdade um sistema que engloba os materiais de assentamento formando uma escala granulométrica que drena as águas pluviais para o solo. As placas de piso não podem ser assentadas diretamente sobre a terra, pois a mesma irá entupir os vazios da placa de concreto evitando o correto funcionamento. A placa drenante deve ser assentada em um colchão drenante da seguinte forma de acordo com o manual técnico da Segato Pisos do Brasil: -Espalhar sobre o solo compactado uma camada de brita de aproximadamente 12cm de espessura. -Sobre a camada de brita, espalhar uma camada de Areia de aproximadamente 7cm de espessura. -Fazer colocação das placas usando uma linha de nylon para orientar no alinhamento e nivelamento. -A colocação tem que ser feita de forma que as peças fiquem travadas. Seguindo essas regras, teremos um piso ecologicamente correto podendo participar dos projetos com princípios