Translate

Google Translate
Arabic Korean Japanese Chinese Simplified Russian Portuguese
English French German Spain Italian Dutch

Quem sou eu

Minha foto

Pesquisadora nas áreas de sustentabilidade e saúde da habitação. Tem como objetivo projetar e prestar consultoria a clientes com interesse na busca pelo Viver Saudável, uma interação equilibrada entre meio ambiente, pessoas  e o Lar em que habitam.

Fale Conosco

- Deixe seu comentário ou envie um e-mail: celinalago@hotmail.com
- Se desejar receber as novidades do site seja um seguidor que o envio é automático.
- A sua participação é muito importante. Só assim, unidos conseguiremos reverter o processo de destruição planetária pelo qual estamos passando e encontrar um equilíbrio saudável.

Muita Luz e Amor,

Celina Lago

1 de mai de 2013

Rio Grande do Sul quer liderar energia eólica no Brasil




<p>
 A produção gaúcha que, atualmente, é de 460 MW, deve chegar a 1.418 MW, em quatro anos. | Foto: <a href='http://www.flickr.com/photos/holacomovai/8007992653/sizes/m/in/photostream/' target='_blank'>Hola como vai/Flickr</a></p>
A produção gaúcha que, atualmente, é de 460 MW, deve chegar a 1.418 MW, em quatro anos. | Foto:Hola como vai/Flickr
O Rio Grande do Sul está disposto a se tornar o estado brasileiro líder em produção de energia eólica. Atualmente os gaúchos ocupam a segunda posição nacional, atrás do Ceará. Mas, novos investimentos no setor poder mudar este cenário.

Recentemente, a montadora japonesa Honda, anunciou a construção de uma usina eólica no litoral norte do estado, em Xangri-lá. O projeto é de que a estrutura seja equipada com nove turbinas de três megawatts, que somarão o potencial de 27 MW. O montante seria suficiente para suprir a demanda de 35 mil pessoas.

O investimento foi feito pela empresa com o intuito de fornecer energia limpa para abastecer a fábrica da Honda em Sumaré, SP. Dessa forma, a eletricidade produzida em Xangri-lá é direcionada às redes de transmissão, enquanto a montadora utiliza a energia distribuída em sua região, equilibrando o gasto.

O Rio Grande do Sul está entre os estados brasileiros que mais cresceram e investiram em energia limpa. As condições geográficas propícias e os trabalhos de incentivo resultaram nos 15 parques eólicos já em funcionamento e cooperaram para que até 2017 esse número chegue à casa dos 40, conforme planejado.

A produção gaúcha que, atualmente, é de 460 MW, deve chegar a 1.418 MW, quando todos os parques estiverem finalizados. O montante deve ser suficiente para abastecer toda a capital Porto Alegre. Com informações do G1.

Via: CicloVivo