Translate

Google Translate
Arabic Korean Japanese Chinese Simplified Russian Portuguese
English French German Spain Italian Dutch

Quem sou eu

Minha foto

Pesquisadora nas áreas de sustentabilidade e saúde da habitação. Tem como objetivo projetar e prestar consultoria a clientes com interesse na busca pelo Viver Saudável, uma interação equilibrada entre meio ambiente, pessoas  e o Lar em que habitam.

Fale Conosco

- Deixe seu comentário ou envie um e-mail: celinalago@hotmail.com
- Se desejar receber as novidades do site seja um seguidor que o envio é automático.
- A sua participação é muito importante. Só assim, unidos conseguiremos reverter o processo de destruição planetária pelo qual estamos passando e encontrar um equilíbrio saudável.

Muita Luz e Amor,

Celina Lago

1 de mai de 2013

Horta de mil metros quadrados cobre terraço de shopping em São Paulo

O adubo da horta é proveniente da reciclagem de 25% das 300 toneladas de lixo do shopping

O Shopping Eldorado, em São Paulo, destaca-se no cenário urbano da Marginal Pinheiros ao transformar seu terraço em uma horta de mil metros quadrados. O espaço coberto de concreto e propício a acumular calor, agora produz berinjelas, jiló, alfaces etc, que vão parar nos pratos dos funcionários.

A construção de hortas em telhados, além do ganhar com a produtividade do alimento, ajuda na redução do efeito de concentração de calor e no sequestro de carbono, já que hortaliças adoram CO2, gás presente em abundância em grandes centros urbanos.

O legal também é que o adubo, que faz com que as plantas se desenvolvam, é fruto do desperdício na praça de alimentação do Eldorado. De acordo com o Plante Sustentável, o empreendimento utiliza 14 toneladas de adubo por mês, todo ele proveniente da reciclagem de 25% das 300 toneladas de lixo geradas no local mensalmente.

Segundo o engenheiro agrônomo, Rui Signori, a compostagem é utilizada há um ano e seu processo foi acelerado para 3 horas, em vez de 180 dias, graças a duas enzimas que auxiliam na aceleração da decomposição.

Até ao final do ano, Signori pretende cobrir todo o teto, que possui 9.800 metros quadrados. O projeto custa R$12 mil por mês. "Daqui cinco anos, vai ser praticamente inviável mandarmos lixo para o aterro devido às taxas. Quando o projeto ganhar corpo, teremos uma grande economia", prevê o técnico de operações Tiago de Lima Silva.

Além disso, o shopping pretende futuramente diminuir em um grau a temperatura interna do local.
Fonte: Portal EcoD