Pular para o conteúdo principal

Green Tower Brasília busca pré-certificação LEED Gold


Edificação foi estruturada no conceito core & shell
(crédito: Tishman Speyer)
O Green Tower Brasília, localizado na capital federal, é um empreendimento corporativo da Tishman Speyer com a Via Engenharia, composto por três torres de edifícios comerciais, construídas em fases, que totalizam 85.000 m2 de área locável.

Com vãos livres de até 16 metros e lajes de 1.600 a 1.800 metros quadrados por torre, estruturado no conceito core & shell, o Green Tower Brasília possui interligação entre os edifícios e flexibilidade para atender um ou múltiplos usuários. No térreo, uma área de conveniência integra as três torres com restaurantes, lojas e serviços.

Projetado pelo escritório de arquitetura americano Arquitectonica, o projeto do sistema de AVAC foi realizado pela Teknika com instalação da Tuma Engenharia.

De acordo com Antonio Almeida, engenheiro da Trane do Brasil, os conceitos aplicados para sustentabilidade e conforto levou o Green Towers Brasília a receber a pré certificação LEED categoria Gold do USGBC.

Composição do sistema

Trata-se de um sistema do tipo expansão direta com a utilização de unidades condicionadoras do tipo self contained de alta eficiência integradas a sistemas de VAVs. As Torres são composta por 17 andares cada, totalizando 34 equipamentos por torre, 2 por laje, num total de 3604 kW (1025 TR) cada. “As unidades condicionadoras de ar do tipo self contained são modulares, de alta capacidade e eficiência, e fazem parte da linha Intellipack Trane, com condensadores resfriados a água. Os circuitos frigoríficos são individualizados, ou seja, totalmente independentes para cada compressor de alta eficiência de fabricação da própria Trane, da linha 3-D® Scroll. Assim, é possível modular a carga de equipamentos por circuito. A especificação desse equipamento foi feita juntamente com o projetista do sistema de AVAC, uma das vantagens que o diretor da Teknika, Raul Almeida, levou ao empreendedor, no caso a Tishman Speyer, foi que este tipo de equipamento possibilita a instalação destes após a locação dos andares, ou seja, de acordo com a carga térmica que terá a ocupação, o que possibilita um ganho de energia para o condomínio, uma vez que o usuário utilizará a climatização de acordo com o número de pessoas dentro do ambiente”, informa Almeida.

No térreo, uma área de conveniência integra as três torres com restaurantes, lojas e serviços

O equipamento dispõe de válvula automática para controle e variação de fluxo de água nos condensadores, ventiladores centrífugos acionados por inversores de frequência e motores de alta eficiência para utilização em sistemas do tipo VAV, painel de controle com display para interface homem - máquina, sensores de temperatura, pressão, umidade e fluxo.

“Para atender os níveis de eficiência do empreendimento os equipamentos possuem ciclo economizador do tipo “water economizer”. Cada serpentina evaporadora possui uma serpentina adicional de pré-resfriamento através de água de refrigeração. Na região de Brasília as condições de temperatura e umidade relativa favorecem esta aplicação. Os equipamentos atendem aos requisitos para IAQ - filtragem de ar classe F5 (Merv 9), bandeja de condensado em aço inox (positive slope) e sensor de pressão de filtro saturado”, diz Almeida.

Ele informa ainda que esta solução é muito similar ao tipo de sistema VRF. No caso do Green Tower Brasília, diz Almeida, as torres de resfriamento distribuem a água resfriada para os self containeds, colocando em operação os equipamentos individualizados por andar à medida que forem requeridos. Dependendo da aplicação esses equipamentos conseguem 1 kW por TR e permitem a variação da vazão de água nos condensadores por meio de inversores de frequência, sendo possível diminuir a potência consumida pelas bombas.

Sistema de climatização possibilita a instalação do equipamento de AC após a locação 
dos andares, de acordo com a carga térmica de ocupação

Tecnologia embarcada

Todo o conjunto possui tecnologia de controle embarcada, com placas eletrônicas microprocessadas com protocolo aberto LCI-Lon interligadas em rede, permitindo integração e leitura de todos os parâmetros de operação do equipamento com o sistema supervisório central utilizando protocolo Bacnet e LonTalk (cerca de 40 sinais analógicos e digitais de supervisão monitorados, incluindo-se ocupação, alarmes de falhas, temperaturas,pressão, fluxo,status de operação de compressores, set-points ajustáveis, etc.).

“O sistema de gerenciamento predial BMS integra a monitoração tanto do sistema de climatização como de utilidades (iluminação, elevadores, controle de acesso, etc.) Através da assessoria predial da Bosco fizemos estudos e integramos os equipamentos ao BMS onde foi possível enxergar todos os parâmetros dos equipamentos (temperaturas, pressões, falhas, os volumes de ar variável, caixas de VAV, etc.)”, explica Almeida.

Ficha Técnica:

Green Tower Brasília

Incorporadora: Tishman Speyer

Construtora: Via Engenharia

Projeto arquitetônico: Arquitectonica

Projeto do sistema de AVAC: Teknika

Instalação – Tuma Engenharia

Equipamentos de ar condicionado e automação embarcada – TRANE

Torres de resfriamento: Semco

VAV – TROX do Brasil

Supervisão predial – Somitec Automação

Fonte: Portal E & A

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Casas Sustentáveis

Diversos modelos e ideias ou projetos de casas sustentáveis bem legais! Divirta-se e apreciem os modelos sem moderação! Captação de água e circulação de ar que mantém a temperatura agradável.  Ideias para aplicar em casas já construídas! Telhado verde! Tendência e obrigatoriedade em alguns países! Este modelo apresenta novas tecnologias! Lâmpadas com energia eólica! Captação de água e armazenamento. Fonte: Bioconservation

Como Assentar um Piso Drenante?

O piso drenante não é apenas um piso pré moldado em placas de concreto drenante, é na verdade um sistema que engloba os materiais de assentamento formando uma escala granulométrica que drena as águas pluviais para o solo. As placas de piso não podem ser assentadas diretamente sobre a terra, pois a mesma irá entupir os vazios da placa de concreto evitando o correto funcionamento. A placa drenante deve ser assentada em um colchão drenante da seguinte forma de acordo com o manual técnico da Segato Pisos do Brasil: -Espalhar sobre o solo compactado uma camada de brita de aproximadamente 12cm de espessura. -Sobre a camada de brita, espalhar uma camada de Areia de aproximadamente 7cm de espessura. -Fazer colocação das placas usando uma linha de nylon para orientar no alinhamento e nivelamento. -A colocação tem que ser feita de forma que as peças fiquem travadas. Seguindo essas regras, teremos um piso ecologicamente correto podendo participar dos projetos com princípios

Telhado de Bambu

É muito resistente quando devidamente tratado, com uma estética linda e, não se utiliza só como cobertura, mas como vedação (paredes).  Quando os bambus não são tratados, o sol e a chuva os tornam fragilizados, criando fungos e ressecamento, a durabilidade é de uns 2 ou 3 anos, dependendo da região. Mas, se souber colher no dia certo (não caruncha e dura bastante) e aplicar um spray impermeável, a duração será muito maior que três anos *Dica:  - popularmente, a lua minguante (4ºdia) é conhecida como a melhor lua para se cortar os colmos (caule) de bambu.  - Use sulfato de cobre. Fonte: Brincadeira Sustentável