Pular para o conteúdo principal

Casa é montada dentro de vagão de trem abandona

A residência possui todas as comodidades modernas, com sala, quarto, 
escritório e banheiro. | Foto: Apartment Therapy

 


O jornal Bom Dia Brasil, da Rede Globo, mostrou na última segunda-feira (12) que o Brasil possui mais de cinco mil vagões de trem abandonados em galpões. Só no Estado de São Paulo há mais de dois mil. Além disso, há também as locomotivas que, somadas aos vagões, resultam em uma grande quantidade de sucata.

Tais materiais poderiam ser aproveitados de maneira mais eficiente. Em outubro, um dos trens no complexo ferroviário de Vinhedo, em São Paulo, foi queimado. Os vagões da estação foram comprados pela prefeitura há cerca de oito anos. O objetivo na época era construir um museu e um trem turístico.

No entanto, há muitos projetos estrangeiros que também buscam maneiras de reutilizar e/ou reciclar vagões de trem e que deram certo. Já foram construídos Cafés, restaurantes e com a estrutura de um vagão de 1949 foi criada uma casa em Portland, nos Estados Unidos.

A residência possui todas as comodidades modernas, com sala, quarto, escritório e banheiro. Para acomodar os objetos e, fazer a separação, todos os acabamentos e itens internos do trem foram retirados.

Dentro do trem foram colocados os móveis, instalados sistemas elétricos e a superfície recebeu um novo forro. A reforma ficou tão bem feita que a parte interna ficou semelhante a uma casa comum. A residência no trem chegou a ser oferecida na corretora de imóveis Laurie Holland, Portland, por 225.000 dólares. Não há informações no site do escritório sobre sua venda.

Essa é apenas uma das muitas formas já apresentadas para dar uma nova utilidade para as estruturas que muitas vezes servem de abrigo para usuários de drogas. Além de ser um meio de proliferação do mosquito da dengue, causando transtorno para a população que vive em torno do local. Com informações do Atitude Sustentável e Ecofriend.

Fonte: CicloVivo

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Casas Sustentáveis

Diversos modelos e ideias ou projetos de casas sustentáveis bem legais! Divirta-se e apreciem os modelos sem moderação! Captação de água e circulação de ar que mantém a temperatura agradável.  Ideias para aplicar em casas já construídas! Telhado verde! Tendência e obrigatoriedade em alguns países! Este modelo apresenta novas tecnologias! Lâmpadas com energia eólica! Captação de água e armazenamento. Fonte: Bioconservation

Como Assentar um Piso Drenante?

O piso drenante não é apenas um piso pré moldado em placas de concreto drenante, é na verdade um sistema que engloba os materiais de assentamento formando uma escala granulométrica que drena as águas pluviais para o solo. As placas de piso não podem ser assentadas diretamente sobre a terra, pois a mesma irá entupir os vazios da placa de concreto evitando o correto funcionamento. A placa drenante deve ser assentada em um colchão drenante da seguinte forma de acordo com o manual técnico da Segato Pisos do Brasil: -Espalhar sobre o solo compactado uma camada de brita de aproximadamente 12cm de espessura. -Sobre a camada de brita, espalhar uma camada de Areia de aproximadamente 7cm de espessura. -Fazer colocação das placas usando uma linha de nylon para orientar no alinhamento e nivelamento. -A colocação tem que ser feita de forma que as peças fiquem travadas. Seguindo essas regras, teremos um piso ecologicamente correto podendo participar dos projetos com princípios

Telhado de Bambu

É muito resistente quando devidamente tratado, com uma estética linda e, não se utiliza só como cobertura, mas como vedação (paredes).  Quando os bambus não são tratados, o sol e a chuva os tornam fragilizados, criando fungos e ressecamento, a durabilidade é de uns 2 ou 3 anos, dependendo da região. Mas, se souber colher no dia certo (não caruncha e dura bastante) e aplicar um spray impermeável, a duração será muito maior que três anos *Dica:  - popularmente, a lua minguante (4ºdia) é conhecida como a melhor lua para se cortar os colmos (caule) de bambu.  - Use sulfato de cobre. Fonte: Brincadeira Sustentável