Pular para o conteúdo principal

Painéis de vidro e estrutura metálica unem casa à natureza

Esta casa no interior paulista tira partido da estrutura metálica e de grandes painéis de vidro. Presentes até em vigas e pilares, cores fortes arrematam o resultado
Por Danilo Costa (texto) e Deborah Apsan (visual) Projeto Bernardo Telles | Fotos Eduardo Pozella

Ele se gaba mesmo. “A vista é espetacular. Nos ambientes mais altos, minha mulher e eu gostamos de apreciar a floresta, uma área de reserva ambiental nos fundos do terreno”, fala o dono desta casano interior de São Paulo. “Quando alguém nos visita pela primeira vez, adivinha por onde começamos o tour?”, brinca.


Eduardo Pozella

Para conquistar ambientes claros, que parecem se fundir à natureza, esta casa no interior paulista tira partido da estrutura metálica e de grandes painéis de vidro. Presentes até em vigas e pilares, cores fortes arrematam o resultado.

O privilégio de ter a natureza aos pés não foi obra do acaso. Multiplicamos o uso do vidro e, para conseguir vãos livres generosos, elegemos a estrutura metálica”, explica o arquiteto Bernardo Telles, de Campinas, SP, convidado para tocar o projeto e a execução. O sistema construtivo permitiu criar grandes trechos quase sem apoios, como os dois ateliês que parecem flutuar sobre a piscina, e agilizou a empreitada: em sete meses, toda a armação metálica ficou pronta. “Essa opção custa um pouco mais caro que o concreto armado. Até 20%, aproximadamente. Em contrapartida, você ganha com a racionalização das etapas, além de evitar o desperdício de material”, completa o arquiteto. Nos trechos onde era crucial reduzir o peso sobre os perfis de metal, o fechamento leva placas cimentícias, e as paredes são de drywall. O resto da casa empregou os tradicionais blocos de concreto. Inteligência construtiva à parte, este projeto também pode se gabar de uma implantação bem pensada. Sem a necessidade de uma terraplanagem radical, a construção se organiza em três patamares e vence os 7 m de declive. “A ideia era evitar grandes diferenças de nível ao longo do lote”, argumenta Bernardo. Aberta para os fundos e uma das laterais, a morada aproveita a face norte e é iluminada pelo sol o dia todo. Por isso, os quartos, alocados no piso superior, ajudam a fazer sombra. Já a lateral cega, com parede de blocos de concreto aparente e sem janelas, fica voltada para a face sudoeste. “Ela serve de proteção contra os ventos e as chuvas mais fortes”, complementa. Na distribuição da planta, o térreo, no mesmo nível da rua, concentrou a garagem, o hall de entrada e a lavanderia. Atendendo ao pedido dos moradores, nada de escadas para descer até os pavimentos inferiores, onde estão as áreas de convívio, ou subir até a ala íntima, que reúne, com privacidade, os quartos e os ateliês do casal. “O percurso acontece por rampas. Sempre gostei desse tipo de circulação, que me faz lembrar os lugares públicos”, diz o proprietário. Formado em administração e atualmente estudante de jornalismo, ele também já cursou dois anos de arquitetura. Fã de tudo que é inovador, não foi difícil para ele aceitar as propostas ousadas do arquiteto – e contribuir com elas, como aconteceu na escolha da incomum paleta de cores. “Elas quebram o cinza dos outros materiais. O amarelo e o roxo trazem alegria e felicidade. Exatamente o que temos de sobra aqui”, resume.

Em busca da luminosidade

Ensolarada, a casa se vale da distribuição dos ambientes para tirar o melhor proveito da luz e do calor em todas as estações do ano.

Fabio Flaks
Lá vem o sol: no verão, ele nasce à esquerda do lote e percorre toda a construção até chegar à rua, onde se põe. As suítes do piso superior, todas com varanda em balanço, ajudam a sombrear a ala social. No inverno, o caminho do sol acontece na outra lateral do terreno.

Fabio Flaks
Área: 525 m²; Projeto de fundações, instalações elétricas e hidráulicas: WGA Engenharia;Projeto de estrutura metálIca: Maurício Dario; Estrutura metálIca: Dalmo Branco Júnior;Perfis metálicos: Gerdau; Construção: BCS Construtora

Fabio Flaks
Barreira contra o calor: vista deste lado, a morada exibe o paredão de blocos de concreto que veda a face sudoeste, mais exposta ao sol da tarde no verão. Um corredor lateral foi criado no recuo obrigatório de 1,50 m da construção vizinha.

Sempre fresca e ventilada

A abertura no teto favorece a circulação de ar e ainda amplia a entrada de luz natural.

Fabio Flaks
Para garantir ambientes agradáveis, o arquiteto bolou um rasgo de 40 cm de largura na cobertura, que une laje e telhas metálicas. Pensado como um ponto de ventilação, esse vão contribui para a exaustão do ar quente formado dentro da residência nos dias mais abafados. Também faz com que o sol se espalhe no interior da casa por meio de iluminação indireta no verão e direta no inverno. “Dessa maneira, a luz zenital contribui para o equilíbrio térmico dos ambientes durante o ano todo”, explica Bernardo.
Fonte: Casa Abril


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Política dos 5 R's e Consumo Consciente

A politica dos 5Rs, são as possíveis acções práticas que no dia a dia, podem reduzir o impacto no meio ambiente, através do estímulo ao consumo consciente. São elas: 1 - Repensar os hábitos de consumo Pense na real necessidade da compra daquele produto, antes de comprá-lo. Depois de consumi-lo, separe as embalagens, matéria orgânica e óleo de cozinha usado. Deite no lixo apenas o que não for reutilizável ou reciclável. Evite o desperdício de alimentos. Use produtos de limpeza biodegradáveis. Prefira embalagens de papel e papelão. Adquira produtos recicláveis ou produzidos com matéria-prima reciclada, durável e resistente. Utilize lâmpadas economizadoras e pilhas recarregáveis ou alcalinas. Mude seus hábitos de consumo. 2- Recusar produtos que prejudicam o meio ambiente e a saúde Compre apenas produtos que não agridem o meio ambiente e a saúde. Fique atento ao prazo de validade e escolha as fábricas e empresas que têm compromissos com a ecologia. Evite o excesso de sacos

Casas Sustentáveis

Diversos modelos e ideias ou projetos de casas sustentáveis bem legais! Divirta-se e apreciem os modelos sem moderação! Captação de água e circulação de ar que mantém a temperatura agradável.  Ideias para aplicar em casas já construídas! Telhado verde! Tendência e obrigatoriedade em alguns países! Este modelo apresenta novas tecnologias! Lâmpadas com energia eólica! Captação de água e armazenamento. Fonte: Bioconservation

AQUECEDOR SOLAR DE ÁGUA FEITO COM TUBOS DE PVC

PROJETO EXPERIMENTAL solução barata para aquecer água para banho Nota:  Aquecedor Solar de Água com o coletor solar feito com tubos de PVC: Criação, pesquisa e desenvolvimento por Edison Urbano. Obs.: Esse projeto foi baseado na tecnologia do ASBC - Sigla que caracteriza o Aquecedor Solar de Baixo Custo, projeto originalmente elaborado pela equipe da ONG Sociedade do Sol que, para a confecção do seu coletor térmico solar, usa placas alveolares de PVC (normalmente usadas para construções de forros). ÍNDICE INTRODUÇÃO Energia Elétrica - consumo sustentável. Formas simples para economizar energia elétrica. Estudo do consumo de energia elétrica por um chuveiro elétrico Explicações gerais do projeto experimental do Aquecedor Solar de água feito com tubos de PVC próprios para água potável. Aprendendo a dimensionar um Aquecedor Solar feito com tubos de PVC. MONTAGEM do(s) COLETOR(es) MONTAGEM do COLETOR feito com TUBOS de PVC Obs.: as medidas podem ser alt