Pular para o conteúdo principal

Casa sustentável brasileira é apresentada em competição internacional



As obras apresentadas devem levar em consideração o conforto, a capacidade de geração de energia e a qualidade da obra em geral. | Foto: Ekó House/Divulgação
 
O projeto de casa sustentável de estudantes brasileiros está participando do evento Solar Decatlhon, que acontece a cada dois anos e tem como objetivo apresentar novas soluções energéticas para residências.

As obras apresentadas devem levar em consideração o conforto, a capacidade de geração de energia e a qualidade da obra em geral. Neste ano, os projetos são expostos na Espanha.

Chamado de Solar Decathlon Europe, o evento é uma competição internacional entre universidades que promove a investigação para o desenvolvimento de casas eficientes. O objetivo das equipes participantes é projetar e construir residências que consomem o mínimo de recursos naturais possíveis e produzem o mínimo de resíduos.

O projeto brasileiro batizado de Ekó House foi desenvolvido por estudantes de universidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Santa Catarina, Campinas e do estado do Rio Grande do Norte.

Para chegar ao modelo final, os estudantes analisaram diversos fatores, incluindo as condições climáticas e a melhor maneira de aproveitar os recursos naturais para benefício da habitação.

A energia da Ekó House é fornecida através de painéis fotovoltaicos, que tornam a casa autossuficiente energeticamente e ainda reduzem os impactos ambientais gerados pela produção elétrica. O projeto também apresenta sistemas que auxiliam o gerenciamento dos detritos. O banheiro seco é um dos exemplos. A tecnologia é responsável pela compostagem eficiente dos resíduos.

Segundo o site do projeto, os efluentes provenientes do chuveiro, lavatório e da máquina de lavar roupas serão tratados através de um sistema natural. Assim, a água poderá ser utilizada novamente, reduzindo significativamente os gastos.

Os visitantes na Espanha têm acesso livre para visitar os stands e ver os projetos montados, além de terem a oportunidade de participar de diversas atividades sobre energia renovável. O objetivo principal é “sensibilizar o público para utilização de energias renováveis ​​e, em particular, as possibilidades da energia solar em casas”.

O Solar Decatlhon teve início no último dia 14 e segue até o próximo dia 30. Com informações do Espaço Decorado.

Via: CicloVivo

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Casas Sustentáveis

Diversos modelos e ideias ou projetos de casas sustentáveis bem legais! Divirta-se e apreciem os modelos sem moderação! Captação de água e circulação de ar que mantém a temperatura agradável.  Ideias para aplicar em casas já construídas! Telhado verde! Tendência e obrigatoriedade em alguns países! Este modelo apresenta novas tecnologias! Lâmpadas com energia eólica! Captação de água e armazenamento. Fonte: Bioconservation

Como Assentar um Piso Drenante?

O piso drenante não é apenas um piso pré moldado em placas de concreto drenante, é na verdade um sistema que engloba os materiais de assentamento formando uma escala granulométrica que drena as águas pluviais para o solo. As placas de piso não podem ser assentadas diretamente sobre a terra, pois a mesma irá entupir os vazios da placa de concreto evitando o correto funcionamento. A placa drenante deve ser assentada em um colchão drenante da seguinte forma de acordo com o manual técnico da Segato Pisos do Brasil: -Espalhar sobre o solo compactado uma camada de brita de aproximadamente 12cm de espessura. -Sobre a camada de brita, espalhar uma camada de Areia de aproximadamente 7cm de espessura. -Fazer colocação das placas usando uma linha de nylon para orientar no alinhamento e nivelamento. -A colocação tem que ser feita de forma que as peças fiquem travadas. Seguindo essas regras, teremos um piso ecologicamente correto podendo participar dos projetos com princípios

Telhado de Bambu

É muito resistente quando devidamente tratado, com uma estética linda e, não se utiliza só como cobertura, mas como vedação (paredes).  Quando os bambus não são tratados, o sol e a chuva os tornam fragilizados, criando fungos e ressecamento, a durabilidade é de uns 2 ou 3 anos, dependendo da região. Mas, se souber colher no dia certo (não caruncha e dura bastante) e aplicar um spray impermeável, a duração será muito maior que três anos *Dica:  - popularmente, a lua minguante (4ºdia) é conhecida como a melhor lua para se cortar os colmos (caule) de bambu.  - Use sulfato de cobre. Fonte: Brincadeira Sustentável