Translate

Google Translate
Arabic Korean Japanese Chinese Simplified Russian Portuguese
English French German Spain Italian Dutch

Quem sou eu

Minha foto

Pesquisadora nas áreas de sustentabilidade e saúde da habitação. Tem como objetivo projetar e prestar consultoria a clientes com interesse na busca pelo Viver Saudável, uma interação equilibrada entre meio ambiente, pessoas  e o Lar em que habitam.

Fale Conosco

- Deixe seu comentário ou envie um e-mail: celinalago@hotmail.com
- Se desejar receber as novidades do site seja um seguidor que o envio é automático.
- A sua participação é muito importante. Só assim, unidos conseguiremos reverter o processo de destruição planetária pelo qual estamos passando e encontrar um equilíbrio saudável.

Muita Luz e Amor,

Celina Lago

13 de ago de 2013

MCB recebe mostra sobre moradias flutuantes no norte do país

Obras revelam aspectos da arquitetura das habitações ribeirinhas na região de Nhamundá, a 570 km de Manaus.

               

Na quinta edição de Casas do Brasil, projeto que propõe a formação de um inventário sobre a diversidade do morar no país, o Museu da Casa Brasileira, instituição da Secretaria do Estado da Cultura, realiza a exposição “Casas do Brasil 2013 - Habitação ribeirinha na Amazônia”, com abertura no dia 2 de julho, terça-feira às 19h30, e visitação até 8 de setembro.

A mostra revela aspectos da arquitetura das habitações ribeirinhas na região de Nhamundá, município localizado a 570 km de Manaus. Por meio de registros do fotógrafo Eduardo Girão, com curadoria da geógrafa Sandra Lencioni e da socióloga Maria Ruth Amaral de Sampaio, são apresentadas palafitas e casas flutuantes adotadas na região, que representam soluções do morar em harmonia com o meio ambiente.

“Casas do Brasil 2013 - Habitação ribeirinha na Amazônia” traz, além dasfotografias e textos, maquetes que detalham a adequação da palafita e da casa flutuante ao ritmo de variação do nível das águas. “A habitação ribeirinha, das várzeas dos rios alagáveis, harmoniza-se com as oscilações do nível da água, com tipos predominantes de casas: as palafitas e as casas flutuantes, ambas de madeira retirada da floresta”, afirma Sandra Lencioni.

“Os habitantes originais dessa região, tanto quanto os que aí chegaram ao longo do tempo, tiveram não só que se integrar ao ritmo das águas, mas também adaptar-se aos diversos contextos econômicos e políticos. Seu modo de vida não é um resíduo da história, não é passado, é expressão de várias temporalidades, que remete a tempos longínquos, a heranças indígenas, coloniais e migratórias”, explica a geógrafa.

Sobre Casas do Brasil

Realizado desde 2006, o projeto Casas do Brasil procura mapear as diversas tipologias de moradias brasileiras com o objetivo de formar um inventário sobre a diversidade do morar no país. Já foram temas do projeto em exposições no Museu da Casa Brasileira “Barraca Cigana” (2012) e “Casa Xinguana” (2011), entre outros. Cada mostra no MCB corresponde a uma publicação, sendo “Habitação ribeirinha na Amazônia” o quinto volume da série.

Realização: Museu da Casa Brasileira

Apoio: Roca

SERVIÇO:

Casas do Brasil 2013 - Habitação ribeirinha na Amazônia

Abertura: 2 de julho, terça-feira, às 19h30 (Gratuito e aberto ao público em geral)

Visitação: até 8 de setembro de 2013, de terça a domingo das 10h às 18h (Ingressos a 4 reais)

    
     
Fonte: MCB