Pular para o conteúdo principal

Telhados verdes ajudam a preservar biodiversidade em áreas urbanas


A eficiência dos telhados verdes para o controle da temperatura interna e global já são bastante conhecidos. Agora, um grupo de pesquisadores norte-americanos decidiu estudar o seu impacto na biodiversidade, até então um mistério.

Os cientistas fazem parte de quatro instituições: Barnard College, Columbia University, Fordham e da Universidade do Colorado. Em seus estudos, os pesquisadores perceberam que os jardins plantados em telhados podem suportar espécies diferentes dos jardins localizados ao nível da rua.

O grupo começou a fazer testes em 2011 e, desde então, foram analisadas as composições do solo em dez telhados verdes espalhados por cinco distritos de Nova York. Para mensurar as diferenças, eles também coletaram amostras de parques localizados nas proximidades dos telhados verdes.

A principal divergência entre os cenários é a presença massiva de fungos nos “jardins suspensos”. Conforme publicado no site “The Atlantic Cities” a principal descoberta foi a presença de 109 espécies diferentes de fungos nos telhados. Apesar de parecer estranho, esse é um dos pontos positivos dessas áreas verdes, pois contribui para a biodiversidade em meio às cidades.

Outro benefício percebido pelos pesquisadores é a relação com os poluentes. Nos parques analisados, os níveis de micróbios e metais presentes foi considerado alto, isso pode tornar as hortas urbanas cultivadas nesses locais impróprias para o consumo. Esse é um problema que os cultivos nos telhados não têm.

Essas áreas verdes também atraem diversas espécies. Os insetos são os mais comuns, mas existem casos de animais maiores, como répteis, morcegos e diversas aves. Um caso curioso ocorreu em Brighton, no Reino Unido. Gaivotas e cervos acabaram destruindo parte da grama do telhado em busca de comida. Uma grande coruja e uma águia dourada foram usadas para espantar esses animais.

Fonte: CicloVivo

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Casas Sustentáveis

Diversos modelos e ideias ou projetos de casas sustentáveis bem legais! Divirta-se e apreciem os modelos sem moderação! Captação de água e circulação de ar que mantém a temperatura agradável.  Ideias para aplicar em casas já construídas! Telhado verde! Tendência e obrigatoriedade em alguns países! Este modelo apresenta novas tecnologias! Lâmpadas com energia eólica! Captação de água e armazenamento. Fonte: Bioconservation

AQUECEDOR SOLAR DE ÁGUA FEITO COM TUBOS DE PVC

PROJETO EXPERIMENTAL solução barata para aquecer água para banho Nota:  Aquecedor Solar de Água com o coletor solar feito com tubos de PVC: Criação, pesquisa e desenvolvimento por Edison Urbano. Obs.: Esse projeto foi baseado na tecnologia do ASBC - Sigla que caracteriza o Aquecedor Solar de Baixo Custo, projeto originalmente elaborado pela equipe da ONG Sociedade do Sol que, para a confecção do seu coletor térmico solar, usa placas alveolares de PVC (normalmente usadas para construções de forros). ÍNDICE INTRODUÇÃO Energia Elétrica - consumo sustentável. Formas simples para economizar energia elétrica. Estudo do consumo de energia elétrica por um chuveiro elétrico Explicações gerais do projeto experimental do Aquecedor Solar de água feito com tubos de PVC próprios para água potável. Aprendendo a dimensionar um Aquecedor Solar feito com tubos de PVC. MONTAGEM do(s) COLETOR(es) MONTAGEM do COLETOR feito com TUBOS de PVC Obs.: as medidas podem ser alt

Como Assentar um Piso Drenante?

O piso drenante não é apenas um piso pré moldado em placas de concreto drenante, é na verdade um sistema que engloba os materiais de assentamento formando uma escala granulométrica que drena as águas pluviais para o solo. As placas de piso não podem ser assentadas diretamente sobre a terra, pois a mesma irá entupir os vazios da placa de concreto evitando o correto funcionamento. A placa drenante deve ser assentada em um colchão drenante da seguinte forma de acordo com o manual técnico da Segato Pisos do Brasil: -Espalhar sobre o solo compactado uma camada de brita de aproximadamente 12cm de espessura. -Sobre a camada de brita, espalhar uma camada de Areia de aproximadamente 7cm de espessura. -Fazer colocação das placas usando uma linha de nylon para orientar no alinhamento e nivelamento. -A colocação tem que ser feita de forma que as peças fiquem travadas. Seguindo essas regras, teremos um piso ecologicamente correto podendo participar dos projetos com princípios