Translate

Google Translate
Arabic Korean Japanese Chinese Simplified Russian Portuguese
English French German Spain Italian Dutch

Quem sou eu

Minha foto

Pesquisadora nas áreas de sustentabilidade e saúde da habitação. Tem como objetivo projetar e prestar consultoria a clientes com interesse na busca pelo Viver Saudável, uma interação equilibrada entre meio ambiente, pessoas  e o Lar em que habitam.

Fale Conosco

- Deixe seu comentário ou envie um e-mail: celinalago@hotmail.com
- Se desejar receber as novidades do site seja um seguidor que o envio é automático.
- A sua participação é muito importante. Só assim, unidos conseguiremos reverter o processo de destruição planetária pelo qual estamos passando e encontrar um equilíbrio saudável.

Muita Luz e Amor,

Celina Lago

29 de dez de 2013

Telhado verde em casa de campo refresca e economiza energia em cidade paulista

Telhado verde foi uma das opções dos arquitetos para amenizar o forte 
calor da região de Bragança Paulista
Foto: Fernando Guerra/Divulgação

Inserir a construção de forma mais natural possível na paisagem e aproveitar ao máximo os recursos ambientais disponíveis. Esses foram os objetivos dos arquitetos Maria Cristina Motta e Marcio Kogan, do escritório paulistano Studio MK27, ao projetarem uma casa de campo no município de Bragança Paulista, no interior de São Paulo, uma região bastante ensolarada e com extensas áreas verdes.

Assim, em vez de um telhado comum, eles optaram por cobrir a casa com um tapete de plantas suculentas, e criaram uma grande construção térrea, na qual se alternam o concreto e a madeira. “As características do local, como insolação, vista e o gosto do cliente pautaram a concepção do projeto. O que fizemos foi projetar uma casa de campo térrea, espaçosa, bem iluminada”, resumiu Maria Cristina à PrimaPágina.

O telhado verde tem o papel de proteger a laje da incidência direta de raios solares. “Com isso, diminui-se a utilização de ar-condicionado. O telhado verde foi escolhido pela economia de energia e também por questões estéticas”, explicou a arquiteta.
O projeto, no entanto, não se resume a um laboratório de soluções sustentáveis

Além do telhado verde, os arquitetos utilizaram outras medidas para reduzir o consumo ou otimizar o uso de recursos naturais da região. Todos os cômodos possuem ventilação cruzada, técnica em que o vento entra por um lado e sai pelo lado oposto, de maneira espelhada.

Conforto e estética

A água da chuva é captada e armazenada no tanque de reuso, que abastece o jardim. A casa tem aquecimento solar para o abastecimento de chuveiros e torneiras.

O projeto, no entanto, não se resume a um laboratório de soluções sustentáveis. O conforto, a estética e o gosto dos proprietários também pesaram. Os donos do imóvel gostam de receber amigos e familiares para cozinhar na varanda. Por isso, a área externa ganhou atenção especial, com um espelho d’água, deque e piscina.
A varanda é o ponto central da casa, já que o espaço faz a transição entre o interior e o exterior, dividindo-a em dois blocos de madeira. O bloco sul – com garagem e sala de TV – e o bloco norte – com quartos, cozinha, área de serviço e sala de estar. Além disso, era importante proporcionar bastante espaço para os moradores e os visitantes. Por isso, o terreno de 4500 m² ganhou uma área construída de 715 m², que comporta dez pessoas confortavelmente.

A decoração das áreas internas ficou a cargo da arquiteta paulistana Diana Radomysler, que utilizou móveis bastante confortáveis, como grandes sofás e almofadas. A madeira foi escolhida como ponto central do projeto de interiores para manter a linguagem de materiais presente no projeto. A cor também foi um ponto importante para manter o clima de casa de campo.

Clique nas fotos da galeria abaixo para conhecer mais detalhes da casa:

GALERIA DE FOTOS 

Fonte: Portal EcoD