Translate

Google Translate
Arabic Korean Japanese Chinese Simplified Russian Portuguese
English French German Spain Italian Dutch

Quem sou eu

Minha foto

Pesquisadora nas áreas de sustentabilidade e saúde da habitação. Tem como objetivo projetar e prestar consultoria a clientes com interesse na busca pelo Viver Saudável, uma interação equilibrada entre meio ambiente, pessoas  e o Lar em que habitam.

Fale Conosco

- Deixe seu comentário ou envie um e-mail: celinalago@hotmail.com
- Se desejar receber as novidades do site seja um seguidor que o envio é automático.
- A sua participação é muito importante. Só assim, unidos conseguiremos reverter o processo de destruição planetária pelo qual estamos passando e encontrar um equilíbrio saudável.

Muita Luz e Amor,

Celina Lago

3 de dez de 2010

A melhor resposta para a pergunta: e o bambu?

O poste dá a luz em cima.. a mulher dá a luz em baixo… e o bambu? O bambu a gente usa pra fazer escolas! Pelo menos em Bali, Indonésia, isso se tornou possível graças aos designers-ambientalistas John Hardy e Cynthia Hardy. Com a criação, a dupla quer dar exemplo para a vizinhança e mesmo para a comunidade internacional sobre como é possível viver apoiado na sustentabilidade.
Na instituição, afiliada à Fundação Meranggi e a PT Bambu, as crianças começam seus estudos ambientais, aprendendo a construir com bambu. Plantar, colher, cozinhar o arroz, e assim aprendem de onde vem os alimentos e como cultivá-los. Também estudam música e artes plásticas.
O prédio em si é uma maravilha arquitetônica, possivelmente a maior estrutura de bambu do mundo. Construído a mão por carpinteiros em duas espirais, a escola levou apenas três meses para ficar pronta, segundo informa o GreenProphet.
As salas de aula não tem paredes então a brisa passa livremente. Quando chove, os funcionários e as crianças cobrem o telhado com uma bolha feita de bambu e de borracha natural.

Estão no currículo da escola temas como ecologia, meio ambiente e artes. Assim, o foco é tornar os pequenos alunos de Bali e de outros países, verdadeiros líderes em sustentabilidade.


Para complementar a vocação ecológica do empreendimento, a escola usa energia obtida por painéis solares e dois vórtices de água, que geram 8.000 watts de eletricidade. As calçadas são feitas de pedras vulcânica retiradas a mão – sem asfalto ou petroquímica.

Fonte: Eco4planet