Pular para o conteúdo principal

PROJETO REALIZADO EM SESTO - ITÁLIA - COLINA DOLOMITAS

Plasma Studio - DOLOMITENBLICK HOUSE - External Photography

O edifício está localizado em uma encosta, nas Dolomitas, na borda de uma área residencial. O volume foi, em parte, determinada pelos elementos funcionais necessários para hospedar seis apartamentos independentes, com um núcleo comum de circulação. Uma incisão formal, marca o principal acesso e a divisão das unidades, dividindo o volume principal em duas metades. Além de suas conotações funcionais, esta incisão torna-se o elemento definidor do edifício. De ambos os lados do corte, uma tira se desdobra para formar a balaustrada de uma varanda generosamente coberta que se funde com a topografia circundante. Dando seguimento a encosta íngreme e natural com cada andar, as tiras e fachada saltam para trás.

Plasma Studio - DOLOMITENBLICK HOUSE - External Photography

PROGRAMA

O edifício abriga seis generosos apartamentos de férias, todos voltados para o sol do sul e para a vista panorâmica das Dolomitas. Cada unidade é projetada para maximizar a privacidade através de (1) a divisão do volume de construção em duas partes, e (2) através das balaustradas escalonadas que bloqueiam os espaços de esplanada de vista da unidade de cima e de transeuntes. Cada apartamento goza de uma extensão da sala de estar interna através de um terraço-solar frontal coberto, e com vista frontal, que termina em um pequeno jardim privado. Madeira de larício local define áreas de estar internas e externas. Uma visão máxima do chão ao teto permite ganho solar a habitação. Sombras projetadas pelas varandas surgem minimizando o superaquecimento durante o verão.

A circulação principal, uma continuação da incisão formal, é muito compacta onde foi utilizada a mesma madeira local em larício, da fachada.

Plasma Studio - DOLOMITENBLICK HOUSE - External Photography

MATERIAL

Situada na borda de uma área residencial com uma aparência muito eclética, foi criado um volume que cresce fora de sua topografia circundante e em harmonia com ele, se limitando ao uso de material local, quase que um código vernacular: madeira de larício e cobre pré-oxidado. Tanto o cobre quanto a madeira lariço estão sujeitas a uma mudança natural em sua cor pela influência atmosférica do sol, chuva e neve. Por empréstimo das fazendas vizinhas com seus tons escuros, as fachadas de madeira lariço queimadas pelo sol, o edifício se integra ao ambiente natural.

Plasma Studio - DOLOMITENBLICK HOUSE - External Photography

Foi dada atenção à concepção das balaustradas de cobre que decorrem da topografia natural, e envolvem o prédio com seu entorno na incisão central, descolando novamente e terminando mais uma vez na topografia circundante. Quando descascando, as folhas de metal, divididas em faixas horizontais, descrevem uma curvada geometria hiperbólica parabolóide. Aqui, o conhecimento do artesão é mostrado em toda sua extensão.

Plasma Studio - DOLOMITENBLICK HOUSE - External Photography

O cobre escuro rodeia o volume por todos os lados. As tiras formam uma segunda pele, oferecendo abrigo e definindo o telhado como uma continuação da fachada e do volume geral da construção. A forma do telhado por si só, desenhada com bases na regulamentação de planejamento local, permite apenas um telhado inclinado para este lote específico do edifício. Ligeiramente deformado, ele se funde com o conceito de design dos Arquitetos, bem como com a tradicional tipologia do telhado inclinado; não apenas através da repetição, mas sim explorando o seu potencial escondido.

Plasma Studio - DOLOMITENBLICK HOUSE - Internal PhotographyPlasma Studio - DOLOMITENBLICK HOUSE - Internal Photography
Plasma Studio - DOLOMITENBLICK HOUSE - Internal PhotographyPlasma Studio - DOLOMITENBLICK HOUSE - Internal PhotographyPlasma Studio - DOLOMITENBLICK HOUSE - External Photography
Plasma Studio - DOLOMITENBLICK HOUSE - Internal PhotographyPlasma Studio - DOLOMITENBLICK HOUSE - Internal PhotographyPlasma Studio - DOLOMITENBLICK HOUSE - External Photography

Construída em Sesto, Itália em 2012 com uma área de 1500m², em parceria com: Eva Castro, Holger Kehne, Ulla Inferno.
ARQUITETOS: David Preindl e Ulla Inferno 
EQUIPE: Nicoletta Gerevini, Peter Pichler, Daniela Walder, Maya Shopova
ASSESSORIA: Erlacher Andreas (Engenharia de Estruturas), Alfred Jud (Fire Safety e Serviços), Georg Mutschlechner (Serviços de Engenharia), Ralf Pellegrini (Security Management), Sulzenbacher Ursula (Engenharia Geológica), Hertha Hurnaus (Fotografia)
Fonte: Plasma Studio

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Casas Sustentáveis

Diversos modelos e ideias ou projetos de casas sustentáveis bem legais! Divirta-se e apreciem os modelos sem moderação! Captação de água e circulação de ar que mantém a temperatura agradável.  Ideias para aplicar em casas já construídas! Telhado verde! Tendência e obrigatoriedade em alguns países! Este modelo apresenta novas tecnologias! Lâmpadas com energia eólica! Captação de água e armazenamento. Fonte: Bioconservation

AQUECEDOR SOLAR DE ÁGUA FEITO COM TUBOS DE PVC

PROJETO EXPERIMENTAL solução barata para aquecer água para banho Nota:  Aquecedor Solar de Água com o coletor solar feito com tubos de PVC: Criação, pesquisa e desenvolvimento por Edison Urbano. Obs.: Esse projeto foi baseado na tecnologia do ASBC - Sigla que caracteriza o Aquecedor Solar de Baixo Custo, projeto originalmente elaborado pela equipe da ONG Sociedade do Sol que, para a confecção do seu coletor térmico solar, usa placas alveolares de PVC (normalmente usadas para construções de forros). ÍNDICE INTRODUÇÃO Energia Elétrica - consumo sustentável. Formas simples para economizar energia elétrica. Estudo do consumo de energia elétrica por um chuveiro elétrico Explicações gerais do projeto experimental do Aquecedor Solar de água feito com tubos de PVC próprios para água potável. Aprendendo a dimensionar um Aquecedor Solar feito com tubos de PVC. MONTAGEM do(s) COLETOR(es) MONTAGEM do COLETOR feito com TUBOS de PVC Obs.: as medidas podem ser alt

Como Assentar um Piso Drenante?

O piso drenante não é apenas um piso pré moldado em placas de concreto drenante, é na verdade um sistema que engloba os materiais de assentamento formando uma escala granulométrica que drena as águas pluviais para o solo. As placas de piso não podem ser assentadas diretamente sobre a terra, pois a mesma irá entupir os vazios da placa de concreto evitando o correto funcionamento. A placa drenante deve ser assentada em um colchão drenante da seguinte forma de acordo com o manual técnico da Segato Pisos do Brasil: -Espalhar sobre o solo compactado uma camada de brita de aproximadamente 12cm de espessura. -Sobre a camada de brita, espalhar uma camada de Areia de aproximadamente 7cm de espessura. -Fazer colocação das placas usando uma linha de nylon para orientar no alinhamento e nivelamento. -A colocação tem que ser feita de forma que as peças fiquem travadas. Seguindo essas regras, teremos um piso ecologicamente correto podendo participar dos projetos com princípios