Translate

Google Translate
Arabic Korean Japanese Chinese Simplified Russian Portuguese
English French German Spain Italian Dutch

Quem sou eu

Minha foto

Pesquisadora nas áreas de sustentabilidade e saúde da habitação. Tem como objetivo projetar e prestar consultoria a clientes com interesse na busca pelo Viver Saudável, uma interação equilibrada entre meio ambiente, pessoas  e o Lar em que habitam.

Fale Conosco

- Deixe seu comentário ou envie um e-mail: celinalago@hotmail.com
- Se desejar receber as novidades do site seja um seguidor que o envio é automático.
- A sua participação é muito importante. Só assim, unidos conseguiremos reverter o processo de destruição planetária pelo qual estamos passando e encontrar um equilíbrio saudável.

Muita Luz e Amor,

Celina Lago

30 de out de 2015

10 RESIDÊNCIAS DE BAIXO IMPACTO AMBIENTAL


Figurando principalmente em grandes metrópoles, as construções de baixo impacto ambiental apresentam ideias criativas e soluções eficientes para driblar o desperdício, sem deixar a estética de lado. Os modelos de casa sustentável a seguir mostram que sustentabilidade não significa apenas respeito ao meio ambiente, mas também qualidade de vida.

Blooming Bamboo Home (imagem do topo)

Criada para atender as necessidades de uma região assolada por enchentes frequentes, no Vietnã, a Blooming Bamboo Home é toda construída em bambu, material considerado um dos mais sustentáveis do mundo. A decoração interna, assim como o mobiliário, também é fabricada do mesmo material, afim de reduzir resíduos e promover durabilidade e economia. Em caso de enchentes, a casa é suspensa e flutua.

Earthships


Com base de pneus antigos preenchidos com terra, a Eartships é considerada o modelo de casa mais sustentável do mundo. Projetada para captar total luminosidade e água da chuva, ela é completamente autônoma de fontes externas. Seu conforto térmico fica por conta da massa ecológica que reveste a construção, que ajuda a manter a temperatura à 22°C independente da condição do ambiente.

Industrial Moderno


Economia com criatividade e design. O resultado dessa soma pode ser visto na casa de 31 containers, projetada pelo arquiteto Todd Miller. À primeira vista deve ser difícil imaginar como essa casa colabora com o meio ambiente e estreita a relação do morador com a natureza. Mas uma olhadela mais minuciosa revela: sua principal matéria-prima é um objeto reciclado e, o que não é feito de container é madeira de reflorestamento. As janelas são propositalmente grandes, permitindo total entrada de luz natural.

Residência da Linha PATH


Projetada para produzir 50% a mais de energia do que consome, a primeira residência da linha PATH (Casas Pré-Fabricadas Tecnológicas Acessíveis) foi desenvolvida pelo arquiteto Phillippe Starck em parceria com a construtora europeia Riko. O projeto inicial apresenta soluções como painéis fotovoltaicos, turbinas eólicas, sistemas de captação de água da chuva, bombas de calor e vidraças inteiriças para total iluminação. Comercializada com a opção de 34 plantas diferentes, os itens inclusos ficam a gosto do cliente. As obras duram cerca de seis meses e são feitas com materiais que geram poucos resíduos.

Bosco Verticale


Ganhador do concurso internacional Highrise Award de 2014, o projeto sustentável foi idealizado pelo arquiteto Stefano Boeri. Localizado em Milão, uma das cidades mais poluídas do mundo, o notório prédio de 110 metros de altura recebeu cerca de 900 árvores (cada uma medindo 3, 6 ou 9 m de altura), além de diversos arbustos e plantas florais. A fachada cria um microclima capaz de filtrar as partículas de pó presentes no ambiente urbano, proporcionando conforto térmico interno. Toda a irrigação das plantas é feita com água reutilizada da chuva e dos moradores. Para finalizar, os sistemas de energia eólica e fotovoltaica contribuem para o sistema de autossuficiência energética das duas torres.

Soleta Zero Energy One


Chamada de “casa do futuro”, a obra da Fundação Justin Capra para Invenção e Tecnologias Sustentáveis (FITS) é constituída de 97% de materiais recicláveis. Conectada com a natureza, possui um sistema inteligente que alia energia solar e geotérmica, proporcionando o aquecimento da água e dos ambientes a partir de uma energia limpa. Há também um mecanismo que armazena e filtra a água da chuva para uso nas torneiras da casa. Ela prevê a iluminação através das lâmpadas de LED, que garante eficiência energética. Também conta com um sistema de automação que facilita a regulagem de temperatura, iluminação e controle de energia.

BIQ


Localizada em Hamburgo, na Alemanha, a ‘’casa aquário” possui 129 placas de água com algas. Os nutrientes líquidos e o CO2 garantem o desenvolvimento das algas, que são transportadas a uma usina de biogás. Lá elas são fermentadas para criação do gás biológico. Além de garantir sua eficiência enérgica produzindo biomassa e energia geotérmica, ajuda a despoluir o ambiente.

Casa de Cob


Não é a casa dos amigos pequeninos da Branca de Neve, mas bem poderia ser. Construída a partir das matérias-primas encontradas na natureza, ela é completamente sustentável. Sua principal origem é o Cob – uma mistura de argila, areia e palha. O material é altamente resistente a abalos sísmicos e tem um custo quase nulo. Além disso, proporciona excelente conforto térmico, mantendo a casa fria no verão e quente no inverno. Se for bem projetada e construída, pode durar séculos.

Z6 House


A Z6 House confirma que o sustentável, aliado a um bom projeto, resulta em uma construção elegante e eficaz. Projetada para emitir níveis zero de resíduos, energia, emissões de carbono e água, ela é uma combinação de todos os métodos sustentáveis de construção. A partir de placas fotovoltaicas e aquecedores de água, supre 70% de sua necessidade. Fica nos Estados Unidos.

Drew House


Autossuficiente nos requisitos energia e água, através de painéis solares e sistema de captação de água, o projeto da casa inova por um motivo especial: toda a residência foi montada em um ambiente pronto para construção, assim evitou o trabalho in loco e os resíduos deixados por ele. Após isso, ela foi transportada para uma região remota de Queensland, na Austrália, integrando-se perfeitamente à natureza ao redor.