Translate

Google Translate
Arabic Korean Japanese Chinese Simplified Russian Portuguese
English French German Spain Italian Dutch

Quem sou eu

Minha foto

Pesquisadora nas áreas de sustentabilidade e saúde da habitação. Tem como objetivo projetar e prestar consultoria a clientes com interesse na busca pelo Viver Saudável, uma interação equilibrada entre meio ambiente, pessoas  e o Lar em que habitam.

Fale Conosco

- Deixe seu comentário ou envie um e-mail: celinalago@hotmail.com
- Se desejar receber as novidades do site seja um seguidor que o envio é automático.
- A sua participação é muito importante. Só assim, unidos conseguiremos reverter o processo de destruição planetária pelo qual estamos passando e encontrar um equilíbrio saudável.

Muita Luz e Amor,

Celina Lago

28 de nov de 2013

Bairro no México é construído com 50 contêineres reaproveitados


Já foram vistos casas e até mesmo alguns hotéis feitos de contêiner, entretanto, alguns designers mexicanos levaram a reciclagem para uma escala maior e criaram a Container City, na cidade de Cholula, cerca de duas horas da Cidade do México.

Cholula é a mais antiga cidade habitada no México e é muito frequentada por turistas por suas pirâmides e tesouros arqueológicos.


O bairro de contêiner foi criado e construído por Gabriel Caram, designer da Universidade das Américas, México, em 2010. O designer se baseou em estudos de regiões metropolitanas e desenvolvimento sustentável. Sua tentativa foi criar uma área descolada que respirasse arte, moda e gastronomia, como os bairros de Soho, em Nova York, e Palermo, na Argentina.


O distrito possui cerca de cinco mil metros quadrados e faz uso de cinquenta contêineres de metal reciclados. Eles foram colocados em diferentes posições, criando ruas, becos e vielas. A "cidade" abriga lojas hippie, livrarias, galerias de arte, bares, restaurantes, escritórios, padarias, cafés e espaços de convivência.


Todos os contêineres possuem um sistema térmico para manter a temperatura ideal e isolamento acústico.

Além da reutilização dos contêineres marítimos, a cidade também utilizou material reaproveitado nos pisos e decoração. Toda a mão de obra para sua construção e funcionamento foi realizada por habitantes locais.


Por Mayra Rosa - Via: CicloVivo