Pular para o conteúdo principal

Contêineres são transformados em estufas hidropônicas para cultivo diverso



Os contêineres são cada vez mais úteis para a construção civil. Mas, a funcionalidade não para por aí. Há sete anos o norte-americano Tripp Williamson resolveu pesquisar a transformação dessas latas gigantes em estufas hidropônicas. O trabalho deu certo e se tornou mais uma alternativa para a agricultura, principalmente urbana.

A família Williamson é famosa nos Estados Unidos por suas inovações para elevar a produtividade. O pai, Burl Williamson, ficou conhecido pela criação de uma estufa que modificou a forma como o tabaco era cultivado no país. Agora, chegou a vez do herdeiro inovar e tornar a produção de alimentos mais sustentável.

O CropBox é um contêiner que tem a sua estrutura externa intacta, quem olha de fora não imagina o tamanho de sua eficiência. Internamente ele foi totalmente adaptado para oferecer as condições ideais para o cultivo hidropônico, ou seja, “plantio” que usa água no lugar da terra.



O espaço é repleto de linhas e cubos, que disponibilizam 2.800 pontos de plantio. A iluminação aérea é fornecida por luzes fluorescentes e uma bomba mantém os 200 litros de água usados no sistema sempre circulando. Através de uma tecnologia aplicada na estrutura, os produtores conseguem acompanhar todos os detalhes da produção pelo computador ou smartphone remotamente. Informações como: temperatura, iluminação, água, Ph, CO2 e níveis de umidade estão sempre à disposição, aumentando o controle sobre todo o cultivo, que está em condições ideais durante todo o ano, independente da temperatura externa.


Além de ocupar um espaço muito pequeno e reaproveitar os contêineres para um novo uso, esta opção se torna muito eficiente em termos econômicos. De acordo com o fabricante, o CropBox utiliza 90% menos água do que o cultivo tradicional e 80% menos fertilizantes, ele ainda descarta totalmente o uso de pesticidas. Com essas condições, o fabricante garante que os alimentos podem ser comercializados com menos custos.

Fonte: CicloVivo

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Casas Sustentáveis

Diversos modelos e ideias ou projetos de casas sustentáveis bem legais! Divirta-se e apreciem os modelos sem moderação! Captação de água e circulação de ar que mantém a temperatura agradável.  Ideias para aplicar em casas já construídas! Telhado verde! Tendência e obrigatoriedade em alguns países! Este modelo apresenta novas tecnologias! Lâmpadas com energia eólica! Captação de água e armazenamento. Fonte: Bioconservation

AQUECEDOR SOLAR DE ÁGUA FEITO COM TUBOS DE PVC

PROJETO EXPERIMENTAL solução barata para aquecer água para banho Nota:  Aquecedor Solar de Água com o coletor solar feito com tubos de PVC: Criação, pesquisa e desenvolvimento por Edison Urbano. Obs.: Esse projeto foi baseado na tecnologia do ASBC - Sigla que caracteriza o Aquecedor Solar de Baixo Custo, projeto originalmente elaborado pela equipe da ONG Sociedade do Sol que, para a confecção do seu coletor térmico solar, usa placas alveolares de PVC (normalmente usadas para construções de forros). ÍNDICE INTRODUÇÃO Energia Elétrica - consumo sustentável. Formas simples para economizar energia elétrica. Estudo do consumo de energia elétrica por um chuveiro elétrico Explicações gerais do projeto experimental do Aquecedor Solar de água feito com tubos de PVC próprios para água potável. Aprendendo a dimensionar um Aquecedor Solar feito com tubos de PVC. MONTAGEM do(s) COLETOR(es) MONTAGEM do COLETOR feito com TUBOS de PVC Obs.: as medidas podem ser alt

Como Assentar um Piso Drenante?

O piso drenante não é apenas um piso pré moldado em placas de concreto drenante, é na verdade um sistema que engloba os materiais de assentamento formando uma escala granulométrica que drena as águas pluviais para o solo. As placas de piso não podem ser assentadas diretamente sobre a terra, pois a mesma irá entupir os vazios da placa de concreto evitando o correto funcionamento. A placa drenante deve ser assentada em um colchão drenante da seguinte forma de acordo com o manual técnico da Segato Pisos do Brasil: -Espalhar sobre o solo compactado uma camada de brita de aproximadamente 12cm de espessura. -Sobre a camada de brita, espalhar uma camada de Areia de aproximadamente 7cm de espessura. -Fazer colocação das placas usando uma linha de nylon para orientar no alinhamento e nivelamento. -A colocação tem que ser feita de forma que as peças fiquem travadas. Seguindo essas regras, teremos um piso ecologicamente correto podendo participar dos projetos com princípios