Pular para o conteúdo principal

Arquitetos propõem casa modular de bambu para intempéries

 Resistente e moldável, a edificação pode ser ampliada conforme a necessidade.


Uma residência moldável, elevada do solo, inteiramente feita com bambu. Esta é a proposta do escritório H&P Architects para construções capazes de enfrentar o difícil clima do Vietnã-  país que figura na lista dos mais vulneráveis a desastres naturais, onde tempestades tropicais e tufões são frequentes.

“No Vietnã, os fenômenos da natureza são graves e diversos: tormentas, inundações, deslizamentos de terra, entre muitos outros. Anualmente estes desastres matam cerca de 500 pessoas, além de destruir as áreas envolvidas. O objetivo deste projeto é entregar uma solução para essas pessoas através da arquitetura”, afirma a H&P Architects ao apresentar a Casa Blooming Bamboo. 

O protótipo da Casa Bb foi criado para resistir a enchentes de até três metros. Elevada do nível natural do solo, o método assemelha-se ao sistema construtivo de palafitas, geralmente, construído em regiões alagadiças.

Sua alta resistência é garantida pelo bambu, que suporta grandes cargas de peso. O material é resistente o suficiente para substituir o aço em algumas estruturas, como mostram construções em países como China, Japão e Indonésia. 

 

  

O bambu capta uma grande quantidade de CO2 do ar, é flexível, além de ter um transporte fácil por ser leve e compacto.

Na Casa Bb, o bambu é onipresente. Compõe paredes, pisos, telhado e até móveis. O projeto ainda sugere usar toras de bambu para criar um belo jardim vertical na fachada, além da instalação de um tanque de armazenamento e um sistema de filtragem de água da chuva, de forma que a água captada possa ser reutilizada para fins não potáveis, como na descarga do banheiro.

  

Feita em módulos, a edificação pode ser ampliada conforme a necessidade. Além disso, pode agregar ainda outros materiais locais, neste caso foram usadas folhas de coco e vime.

Por ser multifuncional, a estrutura pode ser convertida em casa, escola, centro médico, centro comunitário ou o que mais for preciso. Em situações de calamidade poderia até servir de abrigo emergencial.  


Outro aspecto positivo deste projeto está na possibilidade de autossuficiência. Por sua praticidade, a casa modular pode ser construída por uma pessoa sozinha em apenas 25 dias. Mas é preciso habilidade para fazer parafusamentos e amarrações.

Imagens

 

 

 

 

 

 

 
Fonte: Ciclo Vivo






Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Casas Sustentáveis

Diversos modelos e ideias ou projetos de casas sustentáveis bem legais! Divirta-se e apreciem os modelos sem moderação! Captação de água e circulação de ar que mantém a temperatura agradável.  Ideias para aplicar em casas já construídas! Telhado verde! Tendência e obrigatoriedade em alguns países! Este modelo apresenta novas tecnologias! Lâmpadas com energia eólica! Captação de água e armazenamento. Fonte: Bioconservation

AQUECEDOR SOLAR DE ÁGUA FEITO COM TUBOS DE PVC

PROJETO EXPERIMENTAL solução barata para aquecer água para banho Nota:  Aquecedor Solar de Água com o coletor solar feito com tubos de PVC: Criação, pesquisa e desenvolvimento por Edison Urbano. Obs.: Esse projeto foi baseado na tecnologia do ASBC - Sigla que caracteriza o Aquecedor Solar de Baixo Custo, projeto originalmente elaborado pela equipe da ONG Sociedade do Sol que, para a confecção do seu coletor térmico solar, usa placas alveolares de PVC (normalmente usadas para construções de forros). ÍNDICE INTRODUÇÃO Energia Elétrica - consumo sustentável. Formas simples para economizar energia elétrica. Estudo do consumo de energia elétrica por um chuveiro elétrico Explicações gerais do projeto experimental do Aquecedor Solar de água feito com tubos de PVC próprios para água potável. Aprendendo a dimensionar um Aquecedor Solar feito com tubos de PVC. MONTAGEM do(s) COLETOR(es) MONTAGEM do COLETOR feito com TUBOS de PVC Obs.: as medidas podem ser alt

Como Assentar um Piso Drenante?

O piso drenante não é apenas um piso pré moldado em placas de concreto drenante, é na verdade um sistema que engloba os materiais de assentamento formando uma escala granulométrica que drena as águas pluviais para o solo. As placas de piso não podem ser assentadas diretamente sobre a terra, pois a mesma irá entupir os vazios da placa de concreto evitando o correto funcionamento. A placa drenante deve ser assentada em um colchão drenante da seguinte forma de acordo com o manual técnico da Segato Pisos do Brasil: -Espalhar sobre o solo compactado uma camada de brita de aproximadamente 12cm de espessura. -Sobre a camada de brita, espalhar uma camada de Areia de aproximadamente 7cm de espessura. -Fazer colocação das placas usando uma linha de nylon para orientar no alinhamento e nivelamento. -A colocação tem que ser feita de forma que as peças fiquem travadas. Seguindo essas regras, teremos um piso ecologicamente correto podendo participar dos projetos com princípios