Quem sou eu

Minha foto

Pesquisadora nas áreas de sustentabilidade e saúde da habitação. Tem como objetivo projetar e prestar consultoria a clientes com interesse na busca pelo Viver Saudável, uma interação equilibrada entre meio ambiente, pessoas  e o Lar em que habitam.

Fale Conosco

- Deixe seu comentário ou envie um e-mail: celinalago@hotmail.com
- Se desejar receber as novidades do site seja um seguidor que o envio é automático.
- A sua participação é muito importante. Só assim, unidos conseguiremos reverter o processo de destruição planetária pelo qual estamos passando e encontrar um equilíbrio saudável.

Muita Luz e Amor,

Celina Lago

7 de dez de 2016

MODELO DE SUSTENTABILIDADE NA ARQUITETURA: REAL GOODS SOLAR LIVING CENTER

O trabalho do arquiteto Sim Van Der Ryn é notável na área da sustentabilidade. Segundo seu portifólio, ele segue o princípio do Design for Life, ou seja, “desenho para a vida“, projetos feitos para valorizar a vida, inspirados na natureza, nos seus processos e ciclos e formas.

O projeto Real Goods Solar Living Center é um dos maiores modelos de sustentabilidade aplicada à arquitetura. Está localizado na Califórnia, EUA e foi projetado em 1996. Seus princípios de arquitetura sustentável são:

– projeto bioclimático;

– paisagismo sustentável com criação de espécies orgânicas;

– autonomia de energia;

– uso de água de chuva;

– materiais de baixo impacto, como a terra estabilizada (paredes em taipa).

A forma do complexo construído partiu do formato da espiral áurea, que é uma espiral logarítmica com um valor específico para o fator de crescimento. Este padrão é muito encontrado na natureza e para muitos estudiosos, é uma proporção pela qual identificamos a harmonia das formas. Os edifícios ao redor são escalonados e permitem que a luz e o calor do sol entre em cada ambiente de acordo com a necessidade de cada estação do ano.



A arquitetura bioclimática dos edifícios faz uso de luz natural com proteção através de brises:


No centro deste complexo está um espelho de água em espiral que serve para melhorar a umidade do ar e criar um elemento natural harmonico no centro.



O uso e efeito da luz natural nos ambientes tem grande importância nos espaços e são tratados de forma especial pelo benefício que trazem para os usuários. Um exemplo disso é a iluminação natural da loja, que vende produtos naturais feitos no local, as aberturas superiores é suficiente para iluminar o ambiente e no meio da loja prismas criam um arco iris no chão pela incidência da luz solar.


As unidades habitacionais são criadas dentro do mesmo princípio, com formas orgânicas e paredes feitas em taipa. cada unidade tem sua produção própria de alimento:


O complexo é auto suficiente em energia, há fontes de energia alternativas em todos os espaços:

Fonte: EcoD Home

24 de nov de 2016

Umas idosas Japonesas vivem na que deve ser a mais Mágica Casa de Retiro de Idosos do Mundo

Localizada entre árvores em Shizuoka, uma prefeitura rural apropriadamente apelidada de "Riviera do Japão" é uma pequena comunidade de pequenos e belos bângalos. Longe de ser um parque de campismo, semelhante as tendas indianas, estas casas incluem a Jikka, uma encantadora casa de retiro projetada pelo arquiteto Tokio Issei Suma.
jikka casa retiro 02
 O desenho estilo Tipi imita a paisagem montanhosa circundante, oferecendo as mais modernas acomodações em seu interior, perfeitas para aquelas pessoas que passaram suas vidas trabalhando e agora buscam um lugar onde possam relaxar.
 jikka casa retiro 01 
Jikka foi projetada inicialmente para duas meulheres em seus sessenta anos prontas para se aposentarem.  Uma era Assistente Social e a outra cozinheira.
 jikka casa retiro 03
Construída em concreto e madeira, a casa de 100 metros quadrados está equipada com cozinha, corredor, dormitório compartilhado, quarto de hóspedes e banheiro.
jikka casa retiro 05
jikka casa retiro 04 
Existe ainda uma piscina para cadeirantes em espiral para que os moradores realaxem.
jikka casa retiro 08
jikka casa retiro 09 
Além de ser um alojamento, o complexo também prepara e entrega alimentação para a população idosa da comunidade circundante.
jikka casa retiro 06
jikka casa retiro 07 
Bonita, funcional e de caridade, Jikka é a casa de repouso perfeita.
jikka casa retiro 10
jikka casa retiro 11

13 de nov de 2016

Criação Fantástica Que Gera 100 Litros De Água Por Dia


Já está a ser utilizado na Etiópia e apenas podemos esperar que rapidamente chegue a todos os países que sofrem com a falta de água.

O "Warka Water" é uma criação dos dois arquitectos Arturo Vittori e Andreas Vogler, do estúdio Architecture and Vision, e foi apresentado pela primeira vez na Bienal de Veneza de 2012.

A ideia é que a enorme torre consiga recolher a humidade do ar, por condensação, e depositar a água resultante num recipiente. A torre tem 10 metros e é capaz de gerar 100 litros de água por dia. 

A estrutura é feita em bambu e tem um revestimento de plástico reciclado, tudo para que não sejam necessários materiais poluentes. 

Tudo é muito fácil de montar, por módulos, e no final apenas pesa 60 kg. 

A invenção foi concebida para que a água potável chegue a sítios onde é quase impossível de existir de forma natural.

Dessa forma, melhoram-se substancialmente as condições de vida daquelas pessoas, bem como a sua forma de subsistência.







11 de nov de 2016

Eles aparafusam garrafas plásticas em um pedaço de papelão e penduram na janela. O ar circula diferente agora.

Em muitos lugares ao redor do mundo as pessoas não têm acesso aos luxos que a gente não dá valor: eletricidade, internet, água corrente, ou até mesmo itens básicos como comida e água limpa. Adicione a isso as insuportáveis temperaturas de verão em lugares como a Índia e metade da população não trabalha na maior parte da tarde. Mas há esperança para a situação deles!

Mais de 28.000 pessoas vive em uma pequena área chamada Daulatdia em Bangladesh. Elas estão amontoadas em casebres sem água corrente, e a temperatura dentro e fora de casa vai além dos 45ºC.
   YouTube/#TalkToMe
Algo tinha que ser feito, então eles inventaram o primeiro ar-condicionado sem eletricidade.
   YouTube/#TalkToMe
Ele é feito com um pedaço de papelão duro e uma série de garradas plásticas recicladas. Os fundos e os pescoços das garrafas são cortados e depois colocados nos furos feitos no papelão.
   YouTube/#TalkToMe
Quando todas as garrafas já estão no lugar, o papelão é colocado na frente da porta ou janela. O efeito refrigerador é imediato.


O ar quente entra nas garrafas pelo lado de fora e depois manda um ar mais frio pra fora pela passagem do fino pescoço. Este princípio é similar ao efeito de quando você exala dentro da sua mão com a boca aberta ou com os lábios apertados. Veja você mesmo a diferença!
    YouTube/#TalkToMe
Esta solução simples pode refrescar um espaço interno em mais de doze graus celsius negativos. Que alívio para as pessoas que passam por temperaturas extremas diariamente.



Inúmeras aldeias já começaram a usar o mais simples ar-condicionado do mundo. 

YouTube/#TalkToMe

Aqui está um vídeo que mostra exatamente com este sistema funciona:
Este sistema não apenas leva ar fresco para os casebres superaquecidos, como também é uma ótima maneira de encorajar a coleta de garrafas de plástico usadas das ruas e reciclá-las.

7 de nov de 2016

Ar-condicionado sem eletricidade é criado em Bangladesh


Asituação precária de Bangladesh torna a vida de muitos habitantes difícil, além de não terem eletricidade, internet, água limpa, comida, ainda sofrem com a alta temperatura.

Em Daulatdia um vilarejo no país com aproximadamente 28 mil pessoas, empilhadas em casebres sem água corrente, com temperaturas que passam de 45ºC, criaram o primeiro ar-condicionado sem eletricidade, com baixo custo já que é feito de garrafas pet e papelão.

São feitos furos no papelão, e preenchidos com garrafas pet. Após finalizado, o ar-condicionado é colocado na frente da porta ou janela. O efeito refrigerador é imediato e abaixa 12º celsius.


Isso acontece pois o ar quente entra nas garrafas pelo lado de fora e depois manda um ar mais frio pra fora pela passagem da garrafa. Além de ajudar na refrigeração deste lugar, também incentiva a reciclagem.

O Eco-cooler com certeza é uma ideia muito criativa e que ajuda muito essas pessoas, veja o vídeo abaixo de como funciona essa invenção:


Compartilhe com seus amigos! 

Deixe seus comentários.

Fonte: Engenhariae

1 de nov de 2016

Telhado de Bambu

É muito resistente quando devidamente tratado, com uma estética linda e, não se utiliza só como cobertura, mas como vedação (paredes). 

Quando os bambus não são tratados, o sol e a chuva os tornam fragilizados, criando fungos e ressecamento, a durabilidade é de uns 2 ou 3 anos, dependendo da região. Mas, se souber colher no dia certo (não caruncha e dura bastante) e aplicar um spray impermeável, a duração será muito maior que três anos

*Dica: 
- popularmente, a lua minguante (4ºdia) é conhecida como a melhor lua para se cortar os colmos (caule) de bambu. 
- Use sulfato de cobre.











Uruguai tem primeira escola pública totalmente sustentável da América Latina

A construção teve 60% de sua base proveniente de materiais reciclados. |

A “Ecoescola Sustentável” é a primeira instituição pública de ensino feita de forma totalmente sustentável na América Latina. O prédio que abriga a escola foi construído por voluntários, seguindo os conceitos da bioarquietura, que utiliza materiais que iriam para o lixo e aproveita as condições naturais para reduzir os impactos da construção.

O arquiteto que assina o projeto da Ecoescola Sustentável é o norte-americano Michael Reynolds, criador do conceito Earthship, que há 45 se dedica às edificações autossustentáveis em diversos lugares do mundo.

A nova escola pública uruguaia está localizada em Jaureguiberry, uma comunidade costeira, que abriga, em média 500 pessoas. O projeto tem sido trabalhado com os moradores locais desde 2014, através de ações de mobilização de pais e filhos, envolvidos em todas as etapas de planejamento e construção da instituição.


Além da participação da comunidade de Jaureguiberry, a construção também contou com o apoio de 200 voluntários de 30 países, interessados em promover e conhecer melhor os conceitos da bioarquitetura.


O projeto contou com o reaproveitamento de muitos materiais normalmente considerados lixo. Para um edifício de 270 m2, foram usados: dois mil pneus, cinco mil garrafas de vidro, dois mil metros quadrados de papelão e oito mil latas de alumínio. De acordo com a Tagma, organização não-governamental por trás do projeto, a construção teve 60% de sua base proveniente de materiais reciclados. O colégio ainda conta com sistemas de captação de energia solar e eólica e hortas para a produção de alimentos orgânicos.


A Ecoescola Sustentável atende, atualmente, a 45 crianças. Mas, o intuito é beneficiar até cem estudantes, com uma metodologia de ensino baseada nos cuidados com o meio ambiente, a natureza e o uso racional dos recursos naturais.


Fonte: Una Escuela Sustentable     Via:  CicloVivo

27 de out de 2016

DESIGN SIMPLES E MATERIAIS BÁSICOS EM UMA BELA CASA RURAL

ESCRITÓRIO PROJETA CASA QUE MOSTRA QUE É POSSÍVEL CRIAR ESPAÇOS BELOS E CONFORTÁVEIS COM MATERIAIS E FORMAS SIMPLES.
Nada de panos de vidro ou materiais luxuosos. A proposta dos arquitetos e designers da Rural Design Architects foi desenvolver um projeto “simples”, no melhor sentido da palavra.

Localizada na Ilha de Skye, a maior do arquipélago Hébridas, na Escócia, a residência com cara de ‘tiny house’ foi projetada e construída no estilo galpão, muito comum em ambientes rurais. Tanto características sociais, quanto condições climáticas locais foram os norteadores do projeto que tirou proveito dos materiais para criar um espaço eficiente e confortável sem abrir mão de estética.
© Rural Design Architects/ David Barbour

© Rural Design Architects/ David Barbour

Utilizando materiais básicos e até sucatas foi possível construir todos os componentes da edificação, inclusive algumas peças do mobiliário. A pele de metal externa, predominante em todas as fachadas, possui uma função de proteção contra os ventos fortes e tempestades, muitas vezes ferozes na região. Mesmo com uma paisagem natural belíssima no entorno, as janelas foram abertas cuidadosamente, criando um enquadramento horizontal para a paisagem. Mesmo com vãos não tão grandes, os ambientes internos são bem iluminados.

Com 70 metros quadrados, a residência é composta, basicamente, por madeira reciclada, estrutura e telhas metálicas, e blocos de concreto. O espaço interno se divide em sala de estar e jantar, cozinha, banheiro, quarto e varanda, além de áreas destinadas à lavanderia, armazenamento e closet.

© Rural Design Architects/ David Barbour

© Rural Design Architects/ David Barbour

© Rural Design Architects/ David Barbour

© Rural Design Architects/ David Barbour

© Rural Design Architects/ David Barbour

© Rural Design Architects/ David Barbour

Segundo o arquiteto especialista no conceito Passivhaus, Bronwyn Barry, as formas simples sem grandes peles de vidro conseguem ser mais eficientes de maneira mais fácil. Além disso, esse tipo de projeto facilita enormemente a manutenção.

O estilo “é quadradão mas é bonito” pode ser encontrado em vários projetos do Rural Design Architects. Você pode conhecer mais no site oficial do escritório. O projeto foi concluído em 2106.

© Rural Design Architects/ David Barbour

© Rural Design Architects/ David Barbour

© Rural Design Architects/ David Barbour