Translate

Google Translate
Arabic Korean Japanese Chinese Simplified Russian Portuguese
English French German Spain Italian Dutch

Quem sou eu

Minha foto

Pesquisadora nas áreas de sustentabilidade e saúde da habitação. Tem como objetivo projetar e prestar consultoria a clientes com interesse na busca pelo Viver Saudável, uma interação equilibrada entre meio ambiente, pessoas  e o Lar em que habitam.

Fale Conosco

- Deixe seu comentário ou envie um e-mail: celinalago@hotmail.com
- Se desejar receber as novidades do site seja um seguidor que o envio é automático.
- A sua participação é muito importante. Só assim, unidos conseguiremos reverter o processo de destruição planetária pelo qual estamos passando e encontrar um equilíbrio saudável.

Muita Luz e Amor,

Celina Lago

15 de fev de 2011

Camiseta muda de cor em contato com a poluição


Uma invenção de dois estudantes da Universidade de Nova York transformou simples camisetas em indicadores de poluição. São dois modelos, um com a estampa de um coração e outra com o desenho de um pulmão, que ganham tonalidades azuis quando entram em contato com o ar poluído.
Segundo os criadores das peças, a intenção era mostrar às pessoas o que acontece quando elas respiram o ar poluído das grandes cidades. “Os órgãos do seu corpo são invisíveis para você, assim como a poluição e os outros assassinos em silêncio lá fora”, diz Nien Lam, um dos criadores da camisa.
A escolha dos órgãos não foi por acaso, já que o coração e o pulmão são os que mais sofrem com a poluição. Para destacar as veias em azul, a dupla fixou um pequeno sensor de monoxido de carbono na camiseta que ao detectar poluentes envia sinais elétricos através de fios para as estampas.
Por serem feitas de tecido termocrômico, ao receberem o calor dos fios os desenhos mudam de cor e criam o efeito. Assim, fumaças de escapamento dos carros, de fábricas e até de cigarros são detectadas e “exibidas” através da camisa.
“Este é um lembrete severo para si e para outros ao seu redor”, alerta Sue Ngo, co-autora do projeto.
As camisetas ainda são apenas protótipos, mas os alunos já estão estudando formas de barateá-las, para tornar os modelos acessíveis para a população. Por enquanto, a confecção de cada camisa custa cerca de US$60,00.
Fonte: Eco4planet   Via: EcoD
Eles também estão experimentando modelos com outros tipos de sensores – incluindo um detector de álcool. “Assim, quando você ingerisse álcool, o sensor captaria e alteraria a cor do seu fígado”, explica Sue.